Pergunte ao Arquiteto

Retrofit – O que é?

Cada vez mais ouvido no meio da construção, o termo retrofit aplica-se ao processo de revitalização de edifícios.

Cada vez mais ouvido no meio da construção, o termo retrofit aplica-se ao processo de revitalização de edifícios. Mais do que uma simples reforma, ele envolve uma série de ações de modernização e readequação de instalações. O objetivo é preservar o que há de bom na construção existente, adequá-la às exigências atuais e, ainda, aumentar a sua vida útil.

Qualquer edifício, residencial ou comercial, pode passar por um retrofit. A quantidade e tamanho das obras vão depender da necessidade de reforma e dos recursos disponíveis. Os serviços podem contemplar, por exemplo, a troca do revestimento da fachada, a substituição dos elevadores e do sistema de ar-condicionado, além da renovação de encanamentos, cabos e eletrocalhas. Em casos mais extremos, o retrofit pode modificar completamente a edificação, chegando, inclusive, a alterar o seu uso.

As diferenças entre um retrofit e uma obra convencional estão muito mais ligadas à forma de se trabalhar. “A maneira de executar uma alvenaria não muda se a obra é nova ou se é um retrofit. O que difere são as condições de trabalho, que no retrofit muitas vezes ocorre em espaços limitados e com o prédio em funcionamento.

Etapas da obra

Demolição
Geralmente o retrofit começa com a demolição controlada de partes da construção existente. Um tipo de demolição muito co­­­mum é o de paredes para a ob­­­tenção de maior área útil. O serviço pode empregar desde marteletes rompedores até equipamentos mecanizados, como tesouras hidráulicas rotativas.

Reforço de estrutura
O reforço estrutural é necessário principalmente quando há au­­­mento da capacidade de suporte da estrutura devido à alteração de uso. O serviço pode ser realizado por meio de várias técnicas, co­­­­­­­­­­­­­­­mo a adição de chapas de aço e de fibras ­­­­de carbono, ou encamisamento de concreto. 

Fechamento
Não há diferença técnica no fechamento realizado em retrofits e em construções novas. Na modernização de prédios antigos, contudo, uma prática comum é o uso de drywall para os fechamentos internos. Por serem mais leves as chapas de gesso acartonado causam menos impacto na estrutura existente.

Acabamentos
Nessa etapa, o retrofit pode servir também para tornar o edifício mais sustentável ao empregar, por exemplo, materiais recicláveis e que exigem menos manutenção.

Elétrica, telefonia e dados
Muitas vezes são as deficiências nas redes de elétrica, telefonia e dados que levam à realização de retrofits. A modernização dessas instalações vai desde a substituição de todo o cabeamento, à instalação de novas caixas de distribuição capazes de suportar a maior quantidade de cabos dos dias atuais.

Hidráulica e ar-condicionado
O retrofit oferece uma ótima oportunidade para se avaliar e renovar as instalações de água e esgoto. A instalação de equipamentos de ar-condicionado mais eficientes contribui para reduzir o consumo de energia. Além disso, dependendo do sistema escolhido, a modernização do ar-condicionado pode contribuir para liberar área útil.

Piso elevado
Em retrofits de edifícios comerciais, a instalação de piso elevado ajuda a organizar e esconder fios e cabos. Associado a edifícios inteligentes e flexíveis, o sistema também é importante para permitir futuras mudanças no local, sem exigir quebra-quebra.

Fachada
A revitalização de fachadas pode incluir a substituição de pastilhas, a troca de esquadrias, o mapeamento de falhas, o tratamento de fissuras, a colocação de pingadeiras, entre outros serviços. Costuma empregar equipamentos de movimentação de carga, que aumentam a produtividade.

Notícias relacionadas

Comente

Close