‘Tratamento da macaca Carla na ONG continua normal’, diz diretora

Secretaria de Meio Ambiente ainda não foi notificada da decisão.

Do G1

Macaca está desde o dia 3 de agosto no viveiro da associação (Foto: Alan Schneider / G1)

Apesar da Justiça ter determinado, na quarta-feira (14), a volta da macaca “Carla” para casa onde viveu por 37 anos em São Carlos (SP), os responsáveis pela Associação Protetora dos Animais Silvestres de Assis (APASS) ainda não receberam nenhuma orientação da Secretaria do Meio Ambiente sobre como será feita a transferência do animal, que era chamado de “Chico” pelos donos. “Continuamos o tratamento normal da macaca. Estamos fazendo o nosso trabalho”, afirma a diretora da ONG, Natália de Godoy.

Saiba Mais
Liminar da Justiça obriga retorno de macaca para dona em São Carlos
Veterinários de Assis atestam que macaco ‘Chico’ na verdade é fêmea
Após 37 anos, macaco tratado como filho é tirado da família em São Carlos

Ainda de acordo com ela, a notificação é enviada à Secretaria do Meio Ambiente para então a associação ser comunicada dos trâmites de devolução do animal. “Como não recebemos nada de oficial, não há nenhum procedimento para ser tomado por enquanto”, completa. A Secretaria de Meio Ambiente informou, em nota, que ainda não foi notificada da decisão da juíza Gabriela Muller Carioba Attanasio, mas, ressalta que assim que for notificada irá acionar a Polícia Ambiental para fazer o transporte e a devolução da macaca conforme determina a Justiça.

Pela decisão, após receber o animal de volta, a aposentada Elizete Farias Carmona, de 71 anos, terá um prazo de 10 dias para providenciar um local adequado para o bicho ficar e ainda ter atenção especial quanto à alimentação da macaca, o que deverá ser comprovado por um laudo profissional.

Sobre a decisão da Justiça, a diretora da ONG preferiu não se manifestar até que seja informada oficialmente pela Secretaria, mas, ressalta que vai seguir o que for estabelecido pelo órgão. “Nós somos um centro de reabilitação e nosso trabalho é cuidar dos animais que são trazidos para cá e enquanto eles estão aqui fazemos o nosso trabalho e acredito que muito bem”, ressalta.

Animal ganhou peso e melhorou mobilidade
(Foto: Alan Schneider / G1)

Evolução
Alheia às questões legais que envolvem seu futuro, a macaca ‘Carla’ continua em um processo positivo de adaptação no viveiro da APASS. Desde 3 de agosto o animal está na entidade. Segundo a diretora da associação, os movimentos e o fortalecimento ósseo da macaca da espécie ‘prego’ melhoram diariamente.

“Ela já está saltando no viveiro, ganhou um pouco de peso e adora tomate. A movimentação, o contato com outros animais da mesma espécie e a alimentação adequada contribuem para a evolução”, informou Natália. Animal ganhou peso e melhorou mobilidade

‘Carla’ chegou a APASS pesando três quilos abaixo do peso ideal. Além disso, segundo os veterinários, a alimentação inadequada oferecida pela idosa em São Carlos, como leite, farinha e arroz, provocou a diferença de peso. “Mudamos totalmente a alimentação. Já ganhou peso e pelo que foi passado para a gente, dos alimentos que ela comia em São Carlos, apenas a banana estava correto. Hoje ela come várias frutas. Ela também gostou bastante de tomate”, avisou Natália.

O cardápio também prevê porções de ração específica para macacos, chicória, agrião, acelga, cenoura, beterraba, milho verde, pepino, vargem, couve-flor, brócolis, berinjela, pimentão, maça, uva, coco, ovo cozido, pão integral, mel, amendoim e semente de girassol. Já sobre a atrofia no corpo, ‘Carla’ também apresenta uma melhora significativa. O animal continua no viveiro na companhia de “Chica”, uma macaca quase 30 anos mais nova. “Nunca mais ela vai ficar igual aos outros macacos. Mas dá para perceber uma evolução nos movimentos considerável”, disse a diretora da entidade.

Macaca ‘Carla’ se exibe no viveiro da associação (Foto: Alan Schneider / G1)


Deixe seu comentário