Fique conectado

Cinema

‘O homem atual não tem consciência de melhorar o mundo’, diz Banderas

Ator divulga ‘Autómata’, filme sobre a decomposição do ser humano. Coprodução com a Bulgária custou US$ 5,7 milhões.

Publicado em

73

Antonio Banderas em ‘Automata’ (Foto: Divulgação)

Antonio Banderas entrou para o mundo da ficção científica do cinema com uma história profunda sobre a decomposição do ser humano, algo não tão impensável assim para o ator, que dúvida que o homem moderno tenha a capacidade de parar para pensar, instigado pelo ritmo frenético das novas tecnologias.

“O homem atual não tem consciência de melhorar o mundo para os que venham depois dele e isso pode, eventualmente, levar à destruição do planeta e de nossa forma de viver”, refletiu o ator e produtor de “Autómata” (ainda sem título no Brasil), filme dirigido por Gabe Ibáñez, em entrevista à Agência Efe em Madri.

Mesmo assim, Banderas afirmou estar otimista porque está convencido de que precisa existir forma der se conscientizar. “Precisa existir uma maneira das pessoas encontrem um modo de se organizar e melhorar a forma de gestão para ser mais justa e com mais sentido. Acontece que, vendo as notícias, me contradigo totalmente, porque o que vivemos é o oposto, e as novas tecnologias o único que fizeram foi acelerar esses momentos, inclusive os maus, que vão a uma velocidade vertiginosa e fogem ao nosso controle: já não sabemos se poderemos controlar o monstrinho que criamos”, disse.

A conversa é nesse tom porque “Autómata” se enquadra na classificação de ficção científica mais tradicional. “Diria que é ao estilo da ficção literária de Orson Welles ou Isaac Asimov. É uma provocação para a reflexão sobre o futuro. É um espelho que reflete as sociedades modernas”, explicou.

O filme se desenvolve em um futuro no qual o que restou da humanidade vive intramuros em um mundo sem oceanos e se apoia em robôs domésticos para sobreviver. Banderas é Jacq Vaucan, um obscuro e triste agente de seguros que acaba por trair o gênero humano.

Uma coprodução com a Bulgária, onde foi rodado e que custou US$ 5,7 milhões, conseguidos através de contatos pessoais do ator: desde a produtora Millenium, passando pela voz de Javier Bardem para o primeiro robô que se dá conta que já não tem nada mais a aprender com os humanos, à sua ex-mulher, Melanie Griffith.

Publicidade

Cinema

‘Venom’ lidera no Brasil e deixa ‘Nasce uma estrela’ e ‘Tudo por um Popstar’ para trás

Filme do vilão do Homem-Aranha arrecadou R$ 17,9 milhões. Produção com Lady Gaga e Bradley Cooper somou R$ 5,77 milhões, à frente do brasileiro com Maisa Silva, que fez R$ 5,71 milhões.

Publicado em

Do G1
Cena de 'Venom' — Foto: Divulgação

O filme “Venon” liderou as bilheterias do Brasil pela segunda semana seguida.

Com Tom Hardy no papel do vilão do Homem-Aranha, a superprodução arrecadou R$ 17,9 milhões e vendeu 1 milhão de ingressos entre quinta-feira (11) e domingo (14).

Os números foram divulgados nesta segunda-feira (15) pela comScore, que monitora o mercado.

Completaram o pódio duas estreias do final de semana.

Na vice-liderança, ficou “Nasce uma estrela”, com Lady Gaga e Bradley Cooper, que faturou R$ 5,8 milhões e vendeu 301,8 mil ingressos.

O terceiro colocado foi “Tudo por um popstar”. Estrelado por Maisa Silva, Klara Castanho e Mel Maia, o filme baseado em um livro de Thalita Rebouças fez R$ 5,7 milhões, com 376,4 mil ingressos vendidos.

“Venom” teve uma queda muito discreta com relação à estreia. Na semana passada, o filme ficou em primeiro lugar com R$ 18,8 milhões. Ele agora soma R$ 43,6 milhões e já vendeu ao todo 2,7 milhões de ingressos.

Veja, abaixo, o top ten do final de semana:

  1. ‘Venom’ – R$ 17,9 milhões
  2. ‘Nasce uma estrela’– 5,8 milhões
  3. ‘Tudo por um pop star’ – R$ 5,7 milhões
  4. ‘PéPequeno’ – R$ 4,3 milhões
  5. ‘Goosebumps 2: Halloween assombrado’ – R$ 2,5 milhões
  6. ‘A freira’ –R$ 1,2 milhão
  7. ‘Cinderela e o príncipe secreto’ – R$ 716,6 mil
  8. ‘O que a verdade importa’ – R$ 715 mil
  9. ‘Papillon’ – 296,6 mil
  10. ‘A prmieira noite de um crime’ – R$ 170,9 mil
Continue lendo

Cinema

Eduardo Sterblitch interpretará Chacrinha no cinema

Publicado em

Do MSN

Eduardo Sterblitch está prestes a estrelar mais um grande papel nos cinemas. Desta vez, o artista se apresentará ao público como ninguém menos do que Chacrinha.

Segundo o colunista Leo Dias, o famoso interpretará o veterano em sua fase jovem no filme “O Velho Guerreiro”, que tem previsão de estreia para o próximo dia 25.

Além do humorista, Stepan Nercessian – que já deu vida ao comunicador por diversas vezes – também estará no longa. A produção foi gravada no ano passado.

Continue lendo

Cinema

Henry Cavill não vai mais interpretar Superman nos cinemas, diz site

Rixa com a Warner Bros. teria acontecido por desavenças envolvendo negociação para aparição do ator em ‘Shazam!’. Nenhum dos lados confirma a informação.

Publicado em

Do G1
Henry Cavill como Superman em 'Batman vs Superman: A origem da justiça' — Foto: Divulgação

Henry Cavill vai pendurar sua capa vermelha de Superman. Segundo o site da revista “The Hollywood Reporter”, o ator rompeu com a Warner Bros., que administra a DC Comics, editora dona do personagem.

A rixa teria acontecido por desavenças envolvendo a negociação para uma aparição do ator em “Shazam!”, que tem estreia prevista para 2019.

A publicação diz que as conversas contratuais entre a Warner e os representantes de Cavill, da empresa de agenciamento WME, terminaram mal. Isso teria ajudado a fechar as portas para um retorno dele como Superman. Nenhum dos lados confirma a informação oficialmente.

Cavill interpretou Superman em três filmes: “O Homem de Aço” (2013), “Batman vs Superman: A origem da justiça” (2016) e “Liga da Justiça” (2017).

Uma fonte interna da Warner citada pelo site afirma que a participação do ator em “Shazam!” não deu certo por um conflito de agendas, já que ele assinou recentemente para estrelar a série “The Witcher”, da Netflix.

Painel de ‘Liga da Justiça’ da Comic Con San Diego (a partir da esq,): o diretor Zack Snyder e os atores Ben Affleck, Gal Gadot, Ray Fisher, Ezra Miller, Jason Momoa e Henry Cavill — Foto: Chris Pizzello/Invision/AP

Mudança de foco

Outras fontes atribuem o impasse a uma mudança de foco do estúdio, que estaria concentrando esforços em um filme da Supergirl, sobre as origens da heroína adolescente. Isso excluiria a possibilidade de participação de um ator da idade de Cavill, já que o enredo teria um Superman ainda criança.

Além disso, de acordo com o “Hollywood Reporter”, a Warner não tem planos de lançar um filme solo do herói nos próximos anos.

“Superman é como James Bond. Depois de tempo, você tem que olhar para novos atores”, explicou uma fonte do estúdio, citada pela publicação.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas