Educação Municipal e UNESP são parceiras em Formação Continuada

Esse atendimento é feito de forma complementar aos estudantes com deficiência e transtornos globais do desenvolvimento.

Educação Municipal Assisense e UNESP são parceiras em Formação Continuada

Aconteceu nesta última segunda-feira, 28 de abril, na EMEIF Profª Mafalda Salotti Bartholomei, uma reunião com os professores municipais de Sala de Recursos Multifuncionais, a ação faz parte de uma parceria entre o Núcleo de Psicologia da UNESP e o Departamento de Educação Especial da Secretaria Municipal da Educação de Assis.

O Projeto “Formação Continuada e Utilização dos Recursos das Salas Multifuncionais no Atendimento Educacional Especializado” nasceu da necessidade apontada pelos profissionais que atuam no Atendimento Educacional Especializado de conhecer as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDI), os Objetos Educacionais Acessíveis (OEA) e Tecnologia Assistiva (TA) disponíveis, que auxiliam no desenvolvimento das potencialidades das crianças público-alvo da Educação Especial.

Esse atendimento é feito de forma complementar aos estudantes com deficiência e transtornos globais do desenvolvimento, matriculados em classes comuns do ensino regular, assegurando-lhes condições de acesso, participação e aprendizagem.

A iniciativa faz parte do projeto de pesquisa coordenado pela professora Profa. Dra.Enicéia G. Mendes, intitulada “Observatório Paulista de Educação Especial(OPEESP): Estudo em Rede Nacional Sobre as Salas de Recursos Multifuncionais nas Escolas Comuns”.

O professor Dr°Eduardo Galhardo, integrante do Departamento de Psicologia Experimental e do Trabalho da Unesp de Assis, juntamente com a Supervisora  responsável pela Educação Especial da Secretaria Municipal da Educação de Assis, Rosimeire dos Santos, coordenam os trabalhos da pesquisa, que visa atender às Salas de Recursos Multifuncionais das seguintes escolas municipais: Coraly Julia Gonçalves Carneiro, Mafalda SalottiBartholomei, Darcy Ribeiro, João Mendes Junior, Guiomar Namo de Mello, Maria Amélia de Castro Burali, João Luís Galvão Ribeiro, João de Castro, Angélica Amorim Pereira e Alides Celeste Razaboni Carpentieri e Lucas Thomaz Menk

As Salas Multifuncionais contem diversos equipamentos: computadores com teclados emouses adaptados, programas pedagógicos, mesas, jogos pedagógicos, DVDs e televisõesprogramadas com legendas. São divididas em dois Tipos, sendo Tipo I e Tipo II, que possui, alémdo listado acima, equipamentos para alunos deficientes visuais (computadores, máquinas deescrever e impressoras em sistema Braille, punções, conjuntos de lupas, calculadorassonoras e etc.).

De acordo com o professor Dr° Eduardo Galhardo está sendo implantado um conjunto de softwareslivres do CPIDES – Centro de Promoção de Inclusão Digital Escolar e Social da UNESP de Presidente Prudente, onde é desenvolvido uma série de ferramentas, que são objetos educacionais, com o objetivo de promover vários aspectos da alfabetização e matemática.”É a chamada Tecnologia Assistiva, termo utilizado para identificar todo o arsenal de Recursos e Serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência, para que os alunos se desenvolvam com maior motivação, aproximando a atuação da Sala de Recurso Multifuncional com a Sala Regular” informa Galhardo.

A Supervisora de Ensino, Rosimeire dos Santos,  relata que a formação continuada tem como objetivo implementar a utilização de OEA (Objetos Educacionais de Aprendizagem), voltados aos anos iniciais do Ensino Fundamental para que esses estudantes, público alvo da Educação Especial e Inclusiva, possam desenvolver autonomia e independência. Nesse sentido, buscamos realizar estudos sobre as possibilidades de acesso a essas tecnologias para proporcionar inclusão no contexto escolar, estudar padrões de acessibilidade, selecionar objetos educacionais acessíveis e validar esses objetos para aplicação na Sala de Recursos Multifuncional das Escolas da Rede Municipal de Ensino.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA