Vereador questiona a data da entrega das casas no Santa Clara

No último dia 22, foi encaminhado um requerimento ao Prefeito solicitando informações a data da efetiva entrega das casas no residencial.

Vereador questiona qual a data da entrega das casas no Santa Clara

Sargento Valmir – PSC – está preocupado com a demora da entrega das casas aos futuros mutuários, uma vez que enquanto a efetiva não for feita, os futuros mutuários, pré selecionados, continuam pagando aluguel, morando em condições sub humanas e em casas cedidas ou emprestadas. Diante desse fato, no último dia 22, foi encaminhado um requerimento ao Prefeito Municipal, solicitando informações a respeito da data da efetiva entrega das casas no residencial Santa Clara.

O Conjunto Santa Clara “Minha Casa, Minha Vida”, foi projetado com destino a famílias com renda de 0 a 3 salários mínimos, sendo construídas 570 residências com 2 dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. E ainda, segundo informações colhidas, todo o empreendimento será dotado de infraestrutura de rede de água, de esgoto, de drenagem, de energia e iluminação pública, guias, sarjetas e pavimentação asfáltica, arborização e paisagismo.

A Prefeitura e Caixa assinaram convênio para este projeto em 2012, e segundo notícias da imprensa local a época relatam que o Secretário de Governo Estadual, deixou claro que diferentemente das casas do parque das Colinas, esse conjunto seria provido de toda infraestrutura, como escola e posto de saúde, antes de entregar a chave para o contemplando. Porém, ainda não foi entregue, sendo que a placa no local consta como prazo para término das obras setembro de 2013;

O Vereador Valmir Dionizio – PSC entrou em contato com a Secretária da Assistência Social, conversou com o Gerente da Caixa Econômica Federal – agência Assis, também ouviu informações junto a Responsável pelo Projeto Técnico na Prefeitura e pelo que foi preliminarmente apurado, ficou claro que a Empreiteira ainda não conseguiu concluir os trabalhos, tentou entregar a obra, mas foram constatadas irregularidades que deveriam ter sido corrigidas antes da entrega formal.

O edil esclarece que “a burocracia na documentação também emperra o sistema, e que segundo informações colhidas, alguns nomes “escolhidos” (já que não houve sorteio) tiveram que ser substituídos pela Caixa Econômica Federal, que por sua vez solicitou a Responsável pelo projeto, via Secretária da Assistência Social envio de nome de suplentes”.

“Fica a expectativa de que o processo de entrega das residências seja efetivado o mais breve possível” finaliza.

#MAIS LIDAS DA SEMANA