Iniciativa remaneja animais silvestres que estão em área de obras

Espécies em risco de extinção, como a cuica-lanosa, ninhos com ovos ou filhotes e até colmeias de abelhas nativas são remanejados.

Espécies em risco de extinção são remanejados (Foto: Nature/Divulgação)

Apesar de nem sempre serem vistos pelas pessoas, muitos animais silvestres vivem às margens das rodovias. Para proteger a fauna, numa iniciativa inovadora, a CART resgata e transfere para local seguro anfíbios, mamíferos, répteis, aves e insetos encontrados nas áreas das futuras obras de duplicação das rodovias e que não conseguiriam dispersar-se por meios próprios. Eles são soltos em áreas próximas que não sofrerão interferência das obras.

É o Projeto de Remanejamento de Fauna, aprovado pela Cetesb e pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente, mais uma prática de responsabilidade socioambiental. Para isso, a CART contratou uma empresa especializada em soluções ambientais, que utiliza métodos consolidados de captura e manejo da fauna. Após a obtenção do Licenciamento Ambiental, mas antes que as máquinas comecem a trabalhar na supressão da vegetação, é feito um inventário da fauna existente no trecho onde serão realizadas obras. Os animais silvestres encontrados na área da futura obra, quando constatada a impossibilidade de se dispersarem por próprios meios, são removidos.

Os resultados são ótimos. Na duplicação da SP-270 Raposo Tavares nos municípios de Rancharia e Martinópolis, em 2013, foram resgatados 241 animais, entre anfíbios, mamíferos, répteis, aves e insetos. Ninhos com ovos ou filhotes e até colmeias de abelhas nativas também são realocados. Os filhotes e animais feridos, se não houver condições de soltura na natureza, são encaminhados para entidades de reabilitação. Espécies em risco de extinção, como a cuica-lanosa, foram encontrados e realocados.

Atualmente, o Projeto de Remanejamento de Fauna está sendo realizado em trechos da SP-225 João Baptista Cabral Rennó, no município de Piratininga (região de Bauru), e da SP-270 Raposo Tavares nos municípios de Santo Anastácio, Presidente Bernardes e Piquerobi (na região de Presidente Prudente). Os profissionais da Nature Consultoria Ambiental, empresa contratada pela CART, estão trabalhando na localização, captura e remanejamento dos animais antes do início das obras de duplicação e modernização das rodovias.

Inventário
Além de preservar animais silvestres que poderiam ser impactados pelas obras, o projeto contribui para o conhecimento da fauna da região. Várias espécies, como onça-parda, macaco-prego e lobo-guará, foram mapeadas através de avistamentos, da localização de pegadas ou outras marcas.

Desde que iniciou as atividades, a CART também mantém um programa de captura de animais silvestres achados feridos nas rodovias que administra. Eles são encaminhados para entidades de proteção visando a recuperação e a soltura na natureza.

A CART
A Concessionária Auto Raposo Tavares, uma empresa Invepar Rodovias, administra o Corredor Raposo Tavares, formado pelas rodovias SP-225 João Baptista Cabral Rennó, SP-327 Orlando Quagliato e SP-270 Raposo Tavares, totalizando 444 quilômetros entre Bauru e Presidente Epitácio de eixo principal e conserva 390 quilômetros de vicinais. A CART trabalha e investe continuamente para a evolução deste corredor, que é uma importante conexão entre os Estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná. Nestes primeiros cinco anos de concessão, a CART, cuja sede é em Bauru, já duplicou mais de 60 quilômetros na Raposo Tavares e 7 quilômetros da João Baptista Cabral Rennó. As obras continuam em andamento. A previsão é concluir a duplicação da Raposo Tavares sob sua administração até o final de 2014 e da João Baptista Cabral Rennó até o final de 2016.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA