Marcha partiu de Assis para São Paulo deve congestionar Castelo

A Frente Nacional de Luta dos sem-terra saiu em marcha de Assis no dia 8.
Os movimentos reivindicam assentamentos rurais no oeste paulista .

O grupo passou o domingo acampado próximo ao quilômetro 69 da rodovia Castelo Branco (Foto: Aldo V. Silva)

Os usuários da rodovia Castelo Branco devem encontrar trânsito congestionado na pista sentido São Paulo, na manhã de terça-feira, 1º, data em que se comemora o aniversário de 109 anos de Assis, entre o km 50, em Araçariguama, e o km 32, em Jandira, na Grande São Paulo. Uma marcha de sem-terra que segue em direção à capital, escoltada pela Polícia Militar Rodoviária, ocupa o acostamento e a faixa da direita da rodovia. O grupo, com 250 integrantes portando faixas e bandeiras, deve iniciar a marcha às 6h30 e deixar a rodovia para adentrar a área urbana de Jandira às 10 horas.

Trabalhadores sem-terra são de locais como Pontal do Paranapanema, região de Andradina, Dracena, Assis e adjacências
(Foto: Aldo V. Silva)

Nesta segunda-feira, 30, os sem-terra seguiram por um trecho de vinte quilômetros, de Itu a São Roque, causando uma fila de seis quilômetros no trânsito.

A Frente Nacional de Luta (FNL) dos sem-terra, que saiu em marcha de Assis (SP), no dia 8 de junho, vai cumprir agenda conjunta com o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) na capital. Os movimentos reivindicam assentamentos rurais no oeste paulista e moradias na capital.

O grupo acampa na quarta-feira, 2, na Cidade Universitária, no bairro do Butantã, e na quinta, 3, se junta ao MTST no Largo da Batata, em Pinheiros. Dali, os grupos seguem juntos para a Avenida Paulista, para se concentrar à frente do prédio onde funciona o escritório Presidência da República.

No final da tarde, sem-terra e sem-teto ocupam o galpão amarelo na Feirinha da Madrugada, no bairro do Brás.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA