Após fechamento de usina, moradores buscam novas ocupações

Empresa em Ibirarema (SP) era a principal fonte de renda do município.
Cursos de capacitação auxiliam os ex-funcionários da usina.

Usina era a principal fonte de renda dos moradores da cidade (Foto: Reprodução / TV TEM)

Em Ibirarema (SP), ex-funcionários de uma usina que fechou as portas estão sendo qualificados para voltar ao mercado de trabalho. A usina era a principal geradora de renda da cidade. Com o fechamento, mais de 1,2 mil pessoas perderam o emprego. A cidade também teve redução no número de habitantes. Segundo um levantamento da prefeitura, mais de 1,7 mil pessoas foram embora da cidade.

Trabalhadores são capacitados em novas funções
(Foto: Reprodução / TV TEM)

O trabalho da prefeitura agora é recuperar esses moradores e qualificar os que ficaram na cidade. “Nós conseguimos a recolocação de 400 pessoas no mercado de trabalho, onde nós oferecemos transporte gratuito para cidades vizinhas. Nós também temos licitações especiais para micro e pequenas empresas, que conseguem competir em igualdade com as empresas maiores nos processos licitatórios”, explica o prefeito Thiago Antonio Briganó.

A costureira Andreia Virgílio é uma das ex-funcionárias que participa da equipe do Programa Escola/Emprego, onde ela aprendeu a costurar. Andreia e o marido dela trabalhavam em uma usina da região que encerrou as atividades em 2012. Desempregados e com três filhos para criar, eles passaram por dificuldades. “Nós ficamos devendo para todo mundo, só agora que estamos conseguindo pagar as dívidas”, conta.

Ela faz parte da primeira turma que se formou na escola de costura. Pelo menos 50 mulheres já passaram pelo curso. Algumas conseguiram financiamento e são autônomas. Outras resolveram trabalhar juntas em um sistema de cooperativa. “Eu tinha muita vontade de aprender, mas não tinha como pagar as aulas, agora tive essa oportunidade e daqui vou tirar o sustento da minha casa”, completa Andreia.

Ainda não foi decidido o futuro da usina e uma nova reunião deve ocorrer até o dia 15 de agosto. Mas não são só as mulheres que se capacitaram em um novo ofício. Em uma das obras da cidade, dos 11 funcionários, sete eram trabalhadores da usina.

Valmir de Oliveira Silva faz parte desse grupo. Ele aprendeu o oficio de pedreiro e, agora, está otimista. “Para nós está sendo vantajoso porque não tinha serviço em Ibirarema. Agora temos uma oportunidade de pelo menos 2 anos”, afirma.

A prefeitura acredita que até atualmente pelo menos 400 pessoas foram recolocadas no mercado de trabalho.

Ex-funcionários trabalham em obras da cidade (Foto: Reprodução / TV TEM)

#MAIS LIDAS DA SEMANA