‘É um absurdo’ diz cidadão proibido de realizar manutenção em túmulo de sogra

Ednilson Vilar da Cruz procurou secretária do Cemitério de Assis e foi informado que apenas pedreiros credenciados podem realizar serviços.

O assisense Edinilson Vilar da Cruz, 40 anos (Foto: Reprodução)
O assisense Edinilson Vilar da Cruz, 40 anos (Foto: Reprodução)

O assisense Ednilson Vilar da Cruz, de 40 anos, ficou extremamente indignado ao saber que ele e seu sogro, que é pedreiro, não poderiam realizar manutenção no túmulo de sua sogra no Cemitério Municipal da Saudade de Assis.

“Fui até a secretaria do cemitério para falar que quero aumentar o túmulo da minha sogra e a mulher da portaria disse que eu não posso fazer a manutenção e tenho contratar um pedreiro de lá de dentro (sic).” explica o assisense.

Ele ainda explica que seu sogro é pedreiro e se fosse pra fazer o serviço diretamente gastaria apenas R$ 400,00 e pra contratar um pedreiro, teria que desembolsar pelo menos R$ 1.500,00. “Meu sogro é pedreiro e os pedreiros deles cobram R$ 1.500,00 para aumentar a carneira, não acho justo” desabafa Ednilson.

Pedro Rezende Filho, administrador do cemitério, explica que há uma lei municipal que determina que apenas pedreiros credenciados podem realizar as manutenções nos jazigos. “A Lei Municipal 4.407/2004, no Artigo 75, a qual dispõe sobre as orientações para intervenções em sepulturas, determina que apenas pedreiros devidamente credenciados possam fazer as manutenções, de forma que as sepulturas fiquem regulares” explica.

Ele conta ainda que todo ano, no mês de março é realizado o credenciamento de novos pedreiros para que possam trabalhar na manutenção dos túmulos. “Anualmente fazemos o cadastramento dos pedreiros, que precisam apenas procurar a administração do Cemitério com o RG, CPF e um comprovante de endereço” finaliza.

#MAIS LIDAS DA SEMANA