Sindicato Rural de Assis vai aderir acordo da Monsanto

Além disso, o acordo dá aos produtores o direito de obter uma licença para adquirir soja Intacta RR2 Pro

Presidente do Sindicato Rural de Assis, Orson Mureb Jacob (centro) reunido com diretoria (Foto: Assessoria)

Embora o Sindicato Rural de Assis tenha ação na Justiça para questionar a forma de pagamento de royalties da Monsanto, referente à tecnologia Roundup Ready 1, a entidade se pronunciou a favor do acordo. “A CNA e as demais federações que assinaram o acordo estão de parabéns, pois a negociação mostrou-se vantajosa tanto para o produtor como para a produção”, declarou Orson Mureb Jacob, presidente do Sindicato Rural de Assis.

Embora a Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (Faesp) não tenha assinado o acordo, os produtores paulistas podem ser beneficiados, uma vez que a adesão é individual. O Sindicato Rural de Assis foi a única entidade da região a acionar judicialmente a Monsanto, e aguarda a chegada do representante da empresa para viabilizar o acordo feito com a CNA.

Ao contrário do que a Federação de Agricultura do Mato Grosso – Famato e a Aprosoja estão orientando – para que seus associados não assinem o acordo, a entidade assisense espera que os produtores aproveitem essa oportunidade, já que o acordo permite que os produtores sejam liberados do pagamento de royalties da RR1 nas safras 2012/2013 e posteriores, referente aos 2% da produção pagos na hora da comercialização.

Além disso, o acordo dá aos produtores o direito de obter uma licença para adquirir soja Intacta RR2 Pro – nova geração da tecnologia Roundup Ready que oferece proteção contra quatro lagartas que atacam a cultura da soja.

Caso a maioria dos agricultores assine o acordo da Monsanto, a região também será beneficiada economicamente, pois calcula-se em, aproximadamente R$11 milhões, o valor destinado ao pagamento de royalties da Monsanto e que deixariam de sair da região, isto é, os 2% pagos pelo produtor na hora da venda da produção e que não serão descontados a partir da safra 2012/2013.

Para Jacob, esse acordo proposto pela Monsanto é resultado da pressão que a multinacional sofreu devido às diversas ações judiciais propostas pelas entidades de classe no país inteiro. “Esse é o trabalho que os Sindicatos Rurais devem fazer para obter resultados positivos para o setor. Se todos unirem suas forças, os resultados aparecerão com mais rapidez. Mas é preciso se engajar, participar das discussões e se associar ao sindicato”.

O departamento jurídico do Sindicato Rural de Assis convoca todos os produtores que participam da ação judicial contra a Monsanto para procurar a entidade e se informar sobre esse novo acordo e suas vantagens.

#MAIS LIDAS DA SEMANA