Lei que proíbe caça do javaporco preocupa produtores de São Paulo

Javaporco não têm predadores naturais no Brasil e traz grandes prejuízos ao meio ambiente e à produção rural.

O javaporco é um animal híbrido, resultado do cruzamento do porco doméstico e do javali. Ele invade lavouras e destrói o que encontra pela frente. O agricultor Claudemir Trevelim planta milho em Araçatuba (SP) e calcula que 20% da lavoura foi perdida devido ao ataque desses animais.

Uma nova lei no estado de São Paulo, que proíbe todo e qualquer tipo de caça, chega trazendo insegurança e preocupação aos produtores. Há o temor de que, sem a caça e nem predadores naturais, a população de javaporcos saia do controle, gerando mais problemas.

Agrônomo há 40 anos, Sérgio Paoliello conta que não se lembra de ter enfrentado invasores tão resistentes como os javaporcos. A cerca do sítio dele era simples, mas passou por adaptações para tentar evitar o ataque dos animais. São três arames elétricos, dois farpados e estacas para fixar os fios.

Sérgio lembra que o custo é alto. Para proteger a área de 30 hectares foi necessário desembolsar pelo menos R$ 30 mil.

A lei estadual sancionada em junho proíbe a caça em qualquer modalidade, e para qualquer finalidade, de animais domésticos ou domesticados, silvestres, nativos ou exóticos e seus híbridos.

A caça ao javaporco foi autorizada pelo Ibama em 2013. Esse animal está presente em 15 estados do país. A lei paulista vem gerando questionamentos na Justiça.

#MAIS LIDAS DA SEMANA