Produtos naturais substituem fertilizantes e agrotóxicos

Sendo o Brasil o maior consumidor de agrotóxicos no mundo, é impossível ignorar seu comportamento no meio ambiente.

O uso extensivo de agrotóxicos é determinante no modelo de produções agrícolas, e estes possuem o objetivo de controlar pragas, doenças e aumentar a produtividade. Sendo o Brasil o maior consumidor de agrotóxicos no mundo, é impossível ignorar seu comportamento no meio ambiente.

Independente do modo de aplicação, os agrotóxicos possuem grande potencial de contaminação do solo e das águas, já que diversos agentes como a água da chuva, por exemplo, promovem seu deslocamento físico e até mesmo sua transformação química no ambiente. O mesmo vale para o uso de fertilizantes artificiais.

Atualmente, produtos naturais tem ganhado mercado e substituído fertilizantes e agrotóxicos nas produções agrícolas, com o objetivo de minimizar os danos ao meio ambiente e, além disso, como são produtos nacionais, visam diminuir a dependência internacional, principalmente de fertilizantes.

O Brasil tem começado a expandir tecnologias naturais para aumentar a fertilidade do solo e combater pragas, exemplo disso são fertilizantes desenvolvidos pela Embrapa, feitos a partir da reciclagem de resíduos agroindustriais poluentes, como fezes de porco, e que segundo a empresa, são tão eficientes quanto os tradicionais.

“Importamos muito fertilizante e temos muito resíduo animal no Brasil, que é um passivo ambiental. A tecnologia resolve os dois problemas. Estamos falando de 20% da demanda nacional de fertilizante. É algo fantástico”, afirma José Carlos Polidoro, pesquisador da Embrapa Solos.

O agrotóxico natural apresenta baixa agressividade à natureza. É pouco ou não tóxico ao homem, garante eficiência no combate a insetos, entre outros organismos nocivos às culturas agrícolas. Não favorece a ocorrência de formas de resistências de pragas e ainda tem custo reduzido.

Paula Zardetto Ciciliato

Trainee do Departamento de Projetos

Empresa Júnior de Engenharia Biotecnológica

www.biotecjr.com

#MAIS LIDAS DA SEMANA