CART reduz 72% do índice de atropelamento de animais

Diminuição ocorreu após programa de mitigação de atropelamento de fauna. Concessionária aposta em estudos e projetos socioambientais com vista à proteção dos animais

Saracura três potes (Foto: divulgação)

A CART – Concessionária Auto Raposo Tavares, que administra 834 quilômetros de rodovias entre Presidente Epitácio e Bauru, no Estado de São Paulo concluiu parte de seu programa de mitigação de atropelamento de fauna e o resultado atingido está acima do indicado pela literatura científica. Em um trecho de 71 km de rodovia, entre os municípios de Maracaí e Regente Feijó, houve redução de 72% do índice de atropelamento de animais, mesmo com a duplicação da pista e aumento de VDM (Volume Diário Médio de veículos).

Lobo Guará (Foto: divulgação)

Se forem considerados apenas os hotspots (pontos críticos de atropelamento) desse segmento, o índice de redução sobe para 86%. A literatura científica indica que hotspots tratados apresentam entre 79% e 97% de redução, portanto a CART está dentro da faixa indicada pelos especialistas. A concessionária destaca, ainda, que quatro hotspots tratados tiveram 100% de aproveitamento, ou seja, não houve mais atropelamento de animais nesses locais.

“São resultados positivos, que nos motivam a continuar o trabalho com a certeza que estamos no caminho certo”, comemora Osnir Giacon, coordenador de Meio Ambiente e Sustentabilidade da CART. A concessionária está sempre em busca das melhores práticas, especialmente em países de referência como os Estados Unidos.

Programa de mitigação de atropelamento de fau

Paca (Foto: divulgação)

na

O programa de mitigação de atropelamento de fauna da CART começa pelo mapeamento das estruturas já existentes na rodovia e indícios de animais que realizam as travessias; passa por uma análise criteriosa do banco de registros de ocorrência com animais – por atropelamento, avistamento, afugentamento e captura; e segue com a implantação de medidas de mitigação, como a construção de novas estruturas, adaptação de estruturas existentes e a implantação de sinalização.

A primeira etapa está em andamento no trecho de 220 km duplicados pela concessionária. Em dezembro de 2015 foi concluído um trecho da SP-270 (km 471 ao 542), com a implantação e adaptação de 27 passagens e 18 km de cerca de condução de fauna. Já em setembro de 2016 foi concluído outro trecho da SP-270, entre os km 571 e 654, com a implantação e adaptação de 54 passagens e quase 18 km de cerca. Atualmente, o trabalho está sendo realizado no trecho da SP-225 (km 235 a 298), com a finalização de 19 passagens de fauna, implantação de cerca e sinalização, com conclusão prevista para março de 2018.

Os passos seguintes do programa, previstos para os próximos quatro anos, incluem o monitoramento das passagens implantadas em três áreas amostrais para continuidade do levantamento da fauna existente; análise de dados para a elaboração de matrizes de curvas de aprendizagem de animais, uma vez que não há dados científicos no Brasil; e implantação de blocos de pedra e “mata-burros” (estrados que funcionam como pontes) no final das cercas de condução para aumentar a efetividade das mesmas.

Remanejamento de animais

Cerca de 50% dos animais atropelados na rodovia são domésticos (cachorro, gato, boi e cavalo). A outra metade é de animais silvestres – sendo capivara 60% desse montante, seguida de tatu e cachorro do mato.

No caso de animais capturados sem ferimento, a CART realiza a soltura em áreas de preservação ambiental distantes da faixa de domínio da rodovia. A concessionária tem autorização da GEFAU (Sistema Integrado de Gestão Ambiental da Fauna de São Paulo) para realizar esse manejo de fauna. É importante ressaltar que a CART é a primeira concessionária de rodovia do Estado de São Paulo a regularizar esse trâmite junto ao Departamento de Fauna do Estado de São Paulo.

A CART cumpre as regras estabelecidas no Código Brasileiro de Trânsito e no Manual de Sinalização do DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. “Realizamos frequentes campanhas de conscientização para que o motorista reconheça as placas que sinalizam passagem de fauna e aja corretamente, reduzindo a velocidade e redobrando a atenção”, reforça Giacon.

Parcerias estratégicas

O que contribui para os resultados positivos da CART são, também, suas parcerias estratégicas, tais como com o Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas, da Universidade Federal de Lavras; o Projeto Malha para a criação de uma ampla rede nacional de informação de impactos ambientais de rodovias e ferrovias, cujo objetivo é desenvolver tecnologia para coleta, armazenamento, gestão e distribuição destas informações, contribuindo para a geração de políticas públicas.

A concessionária conta, também, com a consultoria de especialistas brasileiros e estrangeiros, como a bióloga Msc. Fernanda Abra, considerada uma das referências nacionais sobre o assunto; e o ecólogo PhD. Marcel Huijser, da Universidade de Montana, nos Estados Unidos.

A concessionária manteve em 2016 a certificação integrada norma ISO 14001, que tem como foco identificar situações que geram impactos ambientais nas operações da CART e trabalhar para reduzi-los. Essa atuação em conformidade com as normas é evidenciada em cada evento de auditoria. É mais um sinal de que o programa de mitigação de atropelamento de fauna está sendo bem conduzido.

A CART, uma empresa Invepar Rodovias, administra o Corredor CART, que é formado pelas rodovias SP-225 João Baptista Cabral Rennó, SP-327 Orlando Quagliato e SP-270 Raposo Tavares, no total de 834 quilômetros entre Presidente Epitácio e Bauru, sendo 444 no eixo principal e 390 quilômetros de vicinais. A segurança dos usuários é um compromisso da Concessionária. Em 2016, a CART registrou 16,23% menos acidentes nas rodovias sob sua concessão em relação ao ano anterior e, no mesmo período, queda de 33,3% em vítimas fatais, antecipando os objetivos determinados como meta pela Década Mundial de Redução de Acidentes. A CART está entre as 10 melhores Concessionárias de Rodovias do Estado de SP, ocupando a sexta posição no ranking divulgado pela ARTESP – Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo que regulamenta e fiscaliza o Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA