FEIRA DA FÉ – FILÓSOFO CAIPIRA (MADE IN ROÇA)

POR FILÓSOFO CAIPIRA (MADE IN ROÇA)

FILÓSOFO CAIPIRA
FILÓSOFO CAIPIRA

Quando estou muito sem fé vou à Feira, me explico, pois, a Feira é uma experiência mística.

Os mamãos parecem gestantes, estão cheios de novas vidas dentro deles. Quer algo mais transcendental?

Alguns legumes encontrados nas Feiras estão no seu estágio de crueza. Foi desse modo que o todo Poderoso Deus nos fez. Nascemos desnudos e para que sejamos cozidos com a experiência da vida pelo amor divino, nos tornemos prontos e acabados para desfrutarmos da eternidade, ou seja, cozidos.

Tenho essa experiência mística pela Feira, talvez pelo fato de que viver seja, a meu ver, uma grande refeição. Desde quando estamos virtualmente em nossos pais, nesse período analogicamente seria a preparação ou cozimento deste alimento, saímos de um estágio de crueza (nudez) para o cozimento (roupagem). Assim sendo, a alegria seria uma boa refeição e a tristeza seria prato sem sabor, e a morte seria já o processo digestivo, ou seja, uma “merda”.

Nessa perspectiva, as formas como as pessoas seriam lembradas soariam assim: bons pratos, pessoas boas; maus pratos, pessoas ruins.

Agora compete a você. Como quer ser lembrado? Como uma bela ceia ou um simplório café?

Essas são algumas inspirações que a Feira me traz. E em você, a feira e os alimentos lhes provocam algo.

VEJA TAMBÉM

Carlos R. Ticiano

Guerras & Epidemias…

Carlos R. Ticiano

A triste realidade…

#MAIS LIDAS DA SEMANA