Desde antes de Jesus…

O ser humano de um modo geral, por mais boa vontade que tenha, não consegue visualizar as tempestiva de seus atos e nem tão pouco o desfecho de uma decisão tomada de forma desmesurada. Independente da época, em que as gerações viveram neste planeta, é claro e notório as formas equivocadas, com que lidaram com as situações no seu dia a dia. E isto, continua se repetindo até os dias de hoje.

Os homens, desde a pré-história até os dias atuais, trazem em seu DNA, a busca desenfreada para alcançarem um lugar de destaque, de reconhecimento, de poder e de liderança perante a sociedade.  Assim, não medem esforços para concretizarem seus sonhos e entrarem para história. Não importa se como heróis ou vilões.

Quanta coisa o ser humano poderia aprender com os sábios, os idosos, as crianças, os animais, as aves e a natureza de um modo geral. Do nascimento do Menino Jesus, até a sua morte em uma cruz, todos de alguma forma, acabou fazendo parte da trajetória vivida por Jesus na terra. Seja como Judas, que o entregou por trinta moedas de prata, como Pilatos, que lavou as mãos diante do seu julgamento ou como Fariseus (doutores da lei), diante de sua intolerância e ignorância, em não aceitar os ensinamentos de Jesus.

Na contra mão dos fatos, o camelo, na sua simplicidade, transportou os três Reis Magos (Melchior, Baltasar e Gaspar) que seguiam o caminho da estrela-guia…  O boi, sentindo o frio que fazia naquela noite santa, deitou-se ao lado da manjedoura para aquecer Jesus… O jumento, diante da ordem de Herodes, para matar todas as crianças, fugiu levando Jesus, Maria e José para o Egito…

O peixe, percebendo a necessidade, de se ter fé, encheu de tal forma as redes de pesca do discípulo Pedro, que o barco ficou à deriva…  O grão de trigo, observando a grande multidão dispersa em torno de Jesus, quando falava em um descampado, multiplicou-se para saciar a fome de todos…  A água, aparentemente sem muita importância, transformou-se em vinho no casamento de Caná da Galileia…

O homem, considerado um animal racional, segundo a teoria de Aristóteles (filósofo grego), a possuir o segredo da eternidade e criado a sua imagem e semelhança, deu-lhe o madeiro em forma de cruz. A cruz de seus intermináveis pecados…                                                                                                          

VEJA TAMBÉM

Carlos R. Ticiano

Guerras & Epidemias…

Carlos R. Ticiano

A triste realidade…

#MAIS LIDAS DA SEMANA