Viajando em busca do amor…

Por Carlos R. Ticiano.

Era para ter sido uma viagem tranqüila e sem contratempos. Mas por ironia do destino, um desfecho inesperado, surpreendeu e mudou o destino de dois jovens, que viajavam com objetivos diferentes. O avião que saiu da Bélgica com destino a Bulgária, aguardavam-lhes muitas emoções e surpresas.

Devido a intempéries do tempo, o avião começou a balançar muito a ponto de caírem do teto máscaras de oxigênio, deixando toda a população da aeronave temerosa. Longos minutos depois, devido à despressurização da aeronave, a informação da aeromoça de que o avião faria um pouso de emergência na Áustria. 

Entre os passageiros, Amy viajava com o objetivo de efetivar seu namoro, ficar noiva e com um belo anel no dedo, começar a fazer planos para o futuro. Na poltrona do lado, Adam retornava de uma viagem a trabalho, destas tantas que ele fazia rotineiramente. Como que procurando apoio afetivo, ambos se apresentaram e iniciaram uma conversa amistosa.

Assim que posaram no aeroporto internacional de Viena, Adam convidou Amy para tomarem um cafezinho e continuaram juntos, como se fossem um casal de namorados. Devido ao mau tempo, as informações eram que provavelmente teriam que passar à noite no aeroporto, aguardando por um novo voo, na manhã seguinte.

Diante dos imprevistos, Adam perguntou a Amy se ela já tinha ligado para seu namorado. Já liguei várias vezes, respondeu Amy, mas a ligação é encaminhada para a caixa postal. Engraçado, respondeu Adam, também já liguei várias vezes para a minha namorada e acontece a mesma coisa. De madrugada, cansados e sonolentos, Amy acabou de forma involuntária encostando sua cabeça no ombro de Adam, em busca de repouso.

 Na manhã seguinte, toda tripulação seguiu viagem rumo à Bulgária. Devido a uma nova distribuição dos passageiros, acabaram sentando em poltronas distantes. Talvez em função do fuso horário, Amy acabou se atrapalhando e descendo na Hungria. O avião mal levantou vôo e Adam percebeu que havia algo errado. A aeromoça confirmou suas suspeitas. 

Adam exclamou: O, Bozhe moi! (Oh, meu Deus!) No mesmo instante, pegou o celular e ligou para Amy, que já desesperada, percebendo o que tinha acontecido, atendeu ao telefone. Amy! Minha querida! Você desceu na Hungria. Surpresa exclamou: Oh, mein Gott! (Oh, meu Deus!) O que eu faço Adam? Calma! Pega o próximo voo para a Bulgária. Assim que você embarcar, me informe o horário que ira chegar.

Não se preocupe que eu vou estar lhe esperar no aeroporto. Cuida-se, meu anjo! Foram horas de ansiedade, pois era visível e notório, que já existia algo entre eles, além da amizade que surgira na viagem. No dia seguinte, lá estava Adam esperando por Amy. Quando ela apareceu no portão de desembarque, se abraçaram e se beijaram apaixonados.

Sabendo que Amy sonhava em ganhar um anel de noivado, Adam tirou do bolso um anel e perguntou: você quer se casar comigo?

VEJA TAMBÉM

Carlos R. Ticiano

A triste realidade…

#MAIS LIDAS DA SEMANA