Uma brisa suave e uma ventania avassaladora; um pássaro indefeso e uma águia predadora; um riacho manso e uma correnteza perigosa; um sorriso cativante e um choro inconsolável; um despertar sereno e um dia agitado; uma fala mansa e um burburinho ensurdecedor; uma defensora dos sentimentos e uma opositora insensível.

Um caminhar tranqüilo e uma corrida desenfreada; um olhar amoroso e um semblante misterioso; uma gatinha manhosa e um tigre selvagem; um silêncio sobrenatural e um alvoroço enlouquecedor; um anjo de candura e uma malícia dissimulada; um bombom recheado e um chocolate com pimenta; um ser humano encantador e uma bruxinha misteriosa.

Um manjar dos deuses e um doce amargo na boca; um abraço acolhedor e um afastamento repentino; um coração amoroso e uma zanga de gelar a alma; uma inocência infantil e uma esperteza adulta; um gesto sutil e uma postura equivocada; uma juventude prazerosa e uma velhice dolorida; uma saudade imensa e uma infinidade de beijos.

Um encontro casual e uma separação inexplicável; uma surpresa agradável e uma realidade frustrante; uma percepção aguçada e uma triste realidade; um retorno festivo e uma partida dolorosa; uma voz eloqüente e um sussurro indecifrável; um sexto sentido e uma percepção desoladora; uma agonia pelo atraso e uma chegada festiva.

Uma aparência ingênua e um semblante malicioso; um paraíso celestial e um purgatório infindável; uma presença marcante e uma ausência despercebida; uma expressão cativante e uma atitude antipática; uma aparência elegante e uma postura duvidosa; um sonho dourado e uma noite de insônia; um café sem açúcar e um chá açucarado.

Um sol escaldante e uma lua orvalhada; um abraço alegre e uma separação triste; uma euforia na chegada e uma agonia na partida; uma linda garota e uma mulher atraente; um casarão de luxo e uma casinha de sapé; uma confiança abalada e uma oportunidade de explicação; um elogio as minhas camisas e uma crítica as minhas bermudas.

Um cupido de plantão e uma descrente no amor; um ataque de ciúmes e uma chuva de carinhos; uma manhã chuvosa e uma tarde ensolarada; uma conciliação provisória e uma reconciliação definitiva; uma guerrilheira destemida e uma emissária da paz; uma adepta da alimentação sadia e uma habituada a uma pizza.

Retratando de forma definitiva a beleza e a graça da mulher; Tom Jobim & Vinicius de Moraes, sentados à mesa do Bar Veloso, em Ipanema; ao verem passar à jovem Helô Pinheiro, no auge dos seus 17 anos, criaram a canção “Garota de Ipanema”; que diz em seus versos – Olha que coisa mais linda. Mais cheira de graça. É ela, menina. Que vem e que passa. Num doce balanço. A caminho do mar… Ah, se ela soubesse. Que quando ela passa. O mundo inteiro se enche de graça. E fica mais lindo. Por causa do amor…

Assine nossa newsletter

Receba as notícias do AssisNews diretamente em seu email.