Lá vem o carteiro…

Num toque sutil e ligeiro

Vai abrindo o portão e entrando,

Sem se preocupar com o Lulu.

Um cachorrinho fofinho, que gosta de dormir no corredor do quintal.

Afinal, o importante…

E que havia uma carta para entregar

E talvez, acabar com aquele olhar de espera e de expectativa

Que havia no rosto de Samantha.

Uma jovem bonita, alegre e simpática

Que vivia sempre a espera de uma carta do seu amor.

Que de tão contente, nem percebeu

Quando ele saiu na carreira e pisou na patinha da Lili.

Uma gatinha graciosa, que gostava de ficar deitada no alpendre.

E a passos largos, ligeiros e molhados

Lá vem o carteiro…

Sem se importar com a chuva de verão

Que caia naquela tarde e deixava toda a cidade molhada.

Afinal, o importante…

Era a carta endereçada a Samantha.

Que desta vez, o esperava com um belo sorriso no rosto

Do tamanho do arco-íris.

Provavelmente, em função das notícias da carta anterior.

Mas desta vez,

Atenta aos seus passos, sempre apressados

O preveniu dizendo:

Olha por anda! Não vai pisar novamente na patinha da Lili.

Que ela ainda está dodói.

Além de alertá-lo, para quando saísse em direção ao portão,

Para não esbarrar nas roseiras,

E desfolhar as rosas vermelhas que embelezavam o seu jardim.  

Já o cachorrinho Lulu, acostumado com o carteiro

Assistia a todo esse vai e vem, sem se importar e nem ao menos latir.

Como se entendesse, tudo o que acontecia.

Lá vem o carteiro…                                 

Assine nossa newsletter

Receba as notícias do AssisNews diretamente em seu email.