Fique conectado

Marcos Diniz

E vamos ao próximo escândalo

Por Marcos Diniz.

Publicado em

171

Que a imprensa Brasileira em sua maioria parece uma prostituta isso todo mundo concorda, mas se ficasse só na prostituição estava bom, mas o negócio também é controlar  a cabeça do cidadão através de matérias que não somam absolutamente nada e ainda corrompe o comportamento do cidadão, em especial daqueles cuja preguiça se resume em ler o título das matérias para soltar a coleção de pérolas nos comentários.

Queremos ficar informados, mas muitas vezes é melhor ficar sem informação, em muitos sites de notícias, o que menos se encontra são informações úteis, uma hora é a família do presidente, outra hora é a ministra e sua filha indígena, uma hora é o motorista e assim vai um escândalo por dia.

A bola da vez, a Ministra Damares, está sendo crucificada de cabeça para baixo num formigueiro coberta de mel por ter adotado uma criança indígena, de uma tribo que tem como costume enterrar recém nascidos vivos, falam que ela sequestrou, que levou a criança sem o consentimento dos pais e toda aquela papagaiada digna de um programa “Casos de Família”, mas com um detalhe, 15 anos depois ? Mas lógico, se Damares continuasse sendo mais uma mulher singular no meio social, de boas, porém como Ministra e “colocando” a casa em ordem, já sabe né, a imprensa imparcial que aplaudia Dilma quando essa saudava a mandioca ou queria estocar vento, agora desce a lenha porque não tem mais dinheiro do governo, cá pra Nós, só pagando mesmo pra elogiar duas figuras toscas como Lula e Dilma.

Pois bem, não vi a mesma militância criticar Bruno Gagliasso que foi na África adotar uma criança, que aliás é um gesto lindo, porém com os orfanatos Brasileiros lotados não seria necessário gastar tanta gasolina para fazer um anjinho feliz , não é ? O que eu quero dizer antes que me arremessem pedras, é que não importa o que você faz e sim o lado que você está, pois a imprensa sempre vai estar a espera de um próximo escândalo para massacrar e ruminar o pobre pecador causador do olho do furacão , mas sem perceber que o saco do cidadão que pensa, não tem mais espaço pra essa patifaria.

O descrédito está tão grande por parte de quem pensa quanto a imprensa, que o presidente foi eleito fazendo campanha pelo WhatsApp e facebook, sucursais com seu exército de repórteres trabalharam duramente para cavar uma Val do açaí ou um Queirós ou qualquer coisa para tentar impedir que alguém decente sentasse na cadeira de presidente, única e exclusivamente para não perder a grana que o partido vermelho dava para abafar as coisas mais cabeludas como a Refinaria sucateada nos EUA comprada por mais de um bilhão de dólares no maior esquema de lavagem de dinheiro, ficasse apenas como um contratempo do Governo, culpa do Cerveró.

A teta secou, quando as verbas da propaganda oficial deixaram de ser dadas aos baldes, a galerinha pirou, afinal, como vão sobreviver? Se for pelo conteúdo vão passar fome, e a coisa tá tão feia para a galera lacradora, que nem mais o respeito, tem.

Marcos Diniz

A mentira nossa de cada dia

Por Marcos Diniz.

Publicado em

Todos mentem, e se você me falar que não pratica essa arte ,seja bem vindo a estatística de que 100% das pessoas mentem, pelo menos na maior parte do tempo, quero te dar uma dica de um filme que aborda muito bem esse assunto e seu nome é O PRIMEIRO MENTIROSO.

O melhor do filme é passar a mensagem de que muita coisa as quais acreditamos podem ser na verdade mentiras, mas que nos faz bem, então você deve estar me questionando, ” A MENTIRA FAZ BEM ” lógico que não, porém para evitar um mal estar é melhor falar de outra maneira menos grosseira, digamos assim.

Quando você vai a um jantar na casa de seus Pais e sua Mãe serve aquele arroz meio duro, duvido você dizer na frente dos convidados que tal está ruim, antes vai soltar uma adocicado, “está gostoso”, “uma delícia”.

Falar a verdade é bom, mas em alguns momentos ela pode ser meio que indelicada, uma pessoa convalescente em um leito de hospital, ficaria bem pior se você disser que “olha amigo sua vida está chegando ao fim”, a pessoa com certeza ia morrer mais rápido.

Porém a mentira como todos Nós sabemos tem vida curta e hora ou outra vão acabar descobrindo a verdade dos fatos, seja sincero no que for falar ,mas não abandone a delicadeza das palavras e cuidado para não se viciar na droga de dizer fantasias , mentir é bom, não, mas em algumas horas é uma santo remédio para não se criar contendas

Continue lendo

Marcos Diniz

Estamos emburrecendo, poucos percebem isso

Por Marcos Diniz.

Publicado em

Eu não sei se as pessoas lêem o que escrevo, mas escrevo, pode ser que uma hora ou outra alguém ache interessante meus conglomerados de palavras e verbos, mas a verdade é que estamos lendo pouco e falando muita bobagem, estamos ficando chatos e insuportáveis .

Eu fiz questão de mandar uma foto junto com o texto de hoje, pois ela é o retrato mais falido da sociedade hoje em dia, uma mulher lutando para tirar o motorista do caminhão acidentado, e um bando de gente fazendo o quê ? Filmando, fotografando.

Hoje tira-se foto do prato de comida, da cerveja que vai beber, do passeio com a namorada, ás vezes até da hora do coito, como se houvesse uma necessidade mortal de ser visto e receber “likes”, a privacidade foi por água abaixo junto com a inteligência das pessoas.

Nossa mente quanto mais utilizada melhor fica, e estamos utilizando uma máquina, no caso do smartphone para para praticamente tudo, lembrete, fotografias , comunicação, ninguém mais se atreve por exemplo escrever uma carta, é mais fácil mandar um Zap, chega no mesmo minuto, esse imediatismo infernal está acabando com a nossa sociedade.

Resultado de tanta tecnologia e pouco calor humano, milhares de pessoas sendo acometidas pela depressão, muitas tirando a própria vida e outras se enfiando dentro de um poço em profundo de onde é difícil de sair e outras se entregando para as drogas.

Pelo amor de Deus, onde está a delicadeza ? A gentileza ? No último post no instagram? Ninguém mais presta atenção em mais nada, não lê, não sabe interpretar e ainda comentam bobagens como se fosse verdades absolutas, nesse monte de tragédias, vejo mais tragédia ainda, a falência de uma sociedade, chamada de humana, a fotografia é da C.S Lewis Brasil

Continue lendo

Marcos Diniz

De volta a 2015, quase 1987

Por Marcos Diniz.

Publicado em

Barragem de Mariana (MG) em 2015

E o País está novamente assolado com mais uma tragédia, uma barragem de rejeitos de minérios, se rompe, invade casas, destrói vidas e causa perdas irreparáveis na natureza, não aprendemos mesmo, já vimos esse filme em 2015, e de novo voltamos a ser expectadores da falta de compromisso com a vida em nome do dinheiro.

Você deve estar me questionando, o por quê, do quase 1987, eu explico, em 1987 na cidade de Goiânia, uma capsula de Césio 137, fora furtada de um equipamento de raio-x de uma clínica abandonada, levada a um ferro velho e aberta por funcionários, o pó brilhante azul, contaminou centenas de pessoas,matando a menina Leide das Neves Ferreira e sua mãe Maria Gabriela Ferreira, além dos funcionários do ferro-velho Israel Batista dos Santos e Admilson Alves de Souza, além de contaminar vários moradores da cidade e gerar mais de 13 toneladas de lixo atômico que não pode ser descartado durante 180 anos.

Pasmem com o que vou escrever, uma capsula de Césio 137 foi encontrada em um ferro velho em Alagoas, a capsula segundo o proprietário do local, pertencia a um aparelho de mamografia e agora as autoridades iniciaram uma investigação para saber como o equipamento foi parar la, ainda bem que dessa vez não abriram, caso contrário o pesadelo de 1987 estaria novamente estampando as manchetes nos sites de noticia novamente, mesmo com o que aconteceu, não aprendemos a lição.

2015 , novembro, uma barragem de rejeitos de minério se rompe e causa uma tragédia de comoção mundial, devastando um distrito completamente, destruindo rios, nascentes ao ponto de contaminar o mar, 19 pessoas perderam suas vidas, até hoje,muitas das vítimas não receberam indenização, apenas um vídeo do responsável pela mineradora dizendo que sentia muito pelo ocorrido, pouco foi feito, e caiu no esquecimento da mídia, pelo menos até hoje.

Novamente uma barragem de rejeitos se rompe, mais devastação, mais vítimas, mais contaminação para o meio ambiente, novamente um pedido de desculpas e tomara, que não fique no esquecimento, nessa nossa fissura por repetir tragédias porque damos mais atenção ás coisas fúteis do que a vida do próximo

Continue lendo

Mais lidas