As formas de contratar um arquiteto

A principal função do arquiteto é criar o projeto arquitetônico, no qual estão previstas todas as mudanças e soluções de acordo com o espaço e as necessidades do cliente.

PROJETO
A principal função do arquiteto é criar o projeto arquitetônico, no qual estão previstas todas as mudanças e soluções de acordo com o espaço e as necessidades do cliente. Também faz, ou encomenda a um engenheiro calculista, os projetos de estrutura e de instalações elétricas e hidráulicas.

Além de desenhar as plantas e as perspectivas de cada ambiente, com as informações técnicas ele avalia duas ou três opções de materiais adequados para serem empregados nas estruturas e nos acabamentos. O arquiteto ainda faz o planejamento da obra, determinando as etapas e como serão contratadas. Um cronograma prevê o tempo de execução de cada fase até a conclusão, considerando os imprevistos.
Essa “cartilha” deve ser seguida pelo dono da casa ou por quem for contratado para gerenciá-la.
PREÇO: somente para fazer o projeto, o arquiteto cobra uma porcentagem do custo estimado da obra, calculado com base na metragem quadrada da área a ser reformada ou construída e na complexidade dos serviços a serem executados.

CONSULTORIA 

Só no ouvido
Quando a reforma é bem simples, como a substituição de portas ou revestimentos, o arquiteto pode ser chamado para dar apenas uma consultoria sobre as melhores opções de mão de obra, acabamento e produtos. Não há necessidade de um projeto detalhado com informações técnicas.
PREÇO: poucos profissionais fazem apenas isso. Cobram 1/3 do valor que custaria um projeto completo.

GERENCIAMENTO
Todos os processos incluídos
O próprio arquiteto que fez o projeto pode cuidar do gerenciamento da obra, cobrando à parte. Esse trabalho é dividido em dois: a administração dos custos, que inclui as cotações de preços em três fornecedores, a compra dos materiais e a contratação da mão de obra (pedreiro, encanador, eletricista, gesseiro, carpinteiro, azulejista e pintor), e a coordenação da execução de todos os serviços. Pode ser feito também por outro arquiteto, por um engenheiro ou até pelo próprio dono da casa.
PREÇOS: de acordo com tabela do IAB, o arquiteto deve cobrar 15% do custo da obra. Se o valor for inferior a R$ 15 mil, a porcentagem sobe para 20%. Quando o arquiteto já fez o projeto, costuma cobrar 12%.

ACOMPANHAMENTO DA OBRA
Cada etapa é fiscalizada
Mesmo que não seja contratado para gerenciar a obra, o arquiteto acompanha cada etapa para verificar se o projeto está sendo seguido pelo construtor ou mestre de obras. Normalmente, é feita uma visita de uma hora semanal, com ou sem o cliente. Se, por exemplo, a bancada foi colocada em altura errada, dá tempo de refazer o serviço sem prejudicar o andamento da obra. Três visitas podem estar inclusas no valor do projeto.
PREÇO: cada visita é cobrada como hora técnica, que custa em torno de R$ 250. Alguns profissionais costumam pedir um salário mínimo por mês para fazer o acompanhamento.

OUTRAS PRÁTICAS
Reserva técnica x sobrepreço

No gerenciamento da obra, o arquiteto pode cobrar menos pelo serviço, mas compensar ganhando de 10% a 20% sobre o preço de cada material comprado ou sobre o valor da mão de obra contratada. Isso pode encarecer a obra. Existe também a reserva técnica, que é um desconto que os fornecedores costumam dar para o arquiteto, como se fosse um bônus pela ajuda na venda do produto. Alguns profissionais repassam metade desse desconto para o cliente.

10 motivos para contar com a ajuda de um profissional

1. O arquiteto é o profissional tecnicamente capacitado para resolver os problemas de uma obra, podendo conceber melhor os ambientes para o ser humano viver.

2. Esse profissional faz o projeto arquitetônico, que é o conceito da obra, com as soluções de acordo com o espaço e as necessidades do cliente, e apresenta diferentes alternativas de custos.

3. Em caso de obra nova, o arquiteto ajuda desde a escolha do terreno. Nas reformas, avalia a estrutura que pode ser mantida e a que precisa ser renovada ou removida.

4. O cálculo correto do que pode ser feito ajuda no melhor aproveitamento do espaço. No projeto, a circulação e a distribuição dos móveis são previstas com exatidão.

5. A partir do projeto, o arquiteto planeja a compra do material adequado e na quantidade certa, o que evita o desperdício e resulta em economia no custo final da obra.

6. Quando gerencia a obra, o profissional contrata mão de obra qualificada e acompanha cada etapa do processo. Isso evita maiores dores de cabeça com erros e atrasos nos serviços.

7. Sem um planejamento, os erros são maiores, incorrendo em execuções e demolições até o acerto final e gerando despesas maiores que as previstas no início da obra.

8. A obra com projeto feito por um arquiteto é mais econômica. A previsão, desde o início, de todas as instalações hidraúlicas e elétricas evita novo quebra-quebra.

9. O cronograma, feito pelo arquiteto, prevê a ordem dos serviços. Isso faz com que um trabalho não leve a refazer o outro. Exemplo: a raspagem do assoalho de madeira após a pintura das paredes.

10. Com um arquiteto envolvido na obra, naturalmente ela é mais valorizada. Além disso, no contrato, o profissional dá garantia contra vazamentos ou erros de instalações.

#MAIS LIDAS DA SEMANA