Fique conectado

Brasil

Policiais do Bope ocupam a Favela do Jacarezinho

Agentes entraram na comunidade por volta das 7h35.
Base está instalada em localidade conhecida como Azul.

Publicado em

221

Bope ocupa a favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro (Foto: Fábio Teixeira/Estadão Conteúdo)

Policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) começaram a ocupar a Favela do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio de Janeiro, na manhã desta terça-feira (16). Cerca de 150 homens vão substituir os policiais civis que estavam na comunidade desde domingo (14). A entrada dos agentes aconteceu por volta das 7h35.

A base do Bope foi instalada temporariamente na localidade conhecida como Azul, que fica na parte alta da favela. O número de policiais do Bope não foi divulgado, pois a informação é considerada estratégica para a corporação. Eles devem agir em pelo menos 15 comunidades.

Manguinhos, Varginha, Mandela e Jacarezinho foram ocupadas pelas forças de segurança neste domingo em ação que durou aproximadamente 20 minutos. Participaram da ação cerca de 2 mil homens das polícias Civil, Militar e Rodoviária, além de militares com blindados.

Policial do Bope na entrada da favela nesta manhã (Foto: Janaina Carvalho/G1)

O porta-voz do Bope, major Ivan Blaz,  afirmou que a ocupação é uma continuação do trabalho que já estava sendo feito. “É um trabalho de continuidade daquilo que vínhamos fazendo em Manguinhos para preparar o terreno para a chegada da polícia de proximidade na comunidade do Jacaré”, resume. A ocupação, diz o major, é estratégica e visa dar mais segurança a bairros que ficam nas proximidades do Jacarezinho.

A chegada do Bope foi anunciada nesta segunda (15) pelo secretário de Segurança Pública do estado, José Mariano Beltrame.  “Estou vendo hoje no Jacarezinho uma população livre para expressar o que quer, o que precisa e o que o pretende”, disse Beltrame, em visita à comunidade do Jacarezinho, após passar por Manguinhos.

Desde a ocupação, uma força-tarefa da Prefeitura realiza serviços na comunidade, como a troca de lâmpadas queimadas e a limpeza da área.  Até a tarde de segunda, a Comlurb tinha recolhido 220 toneladas de entulho das favelas ocupadas. Até este fim de semana, a Comlurb estima que o total de lixo chegue a 300 toneladas.

UPPs até janeiro
No domingo, logo após a ocupação, Beltrame explicou que o planejamento da Secretaria de Segurança é instalar até janeiro as Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) nessas comunidades. “A data limite máxima para o planejamento é janeiro. As duas serão inauguradas muito próximas. A Polícia Civil vai ficar 24 horas até terça-feira com uma ocupação permanente, depois serão executadas ações diárias sistemáticas. Se Deus quiser a partir de hoje não teremos mais uma Faixa de Gaza”, ressaltou o secretário na ocasião.

Durante entrevista ao RJTV, o secretário também sinalizou que a próxima UPP pode ser implantada no conjunto de favelas da Maré. “Eu acho que com as ações que vem sendo desenvolvidas, é muito fácil o trabalho das pessoas de identificar aonde serão os próximos caminhos. Eu, dentro da minha maneira de ver, não vou revelar nunca essa questão. Mas eu acho que por eliminação e a medida que a gente vai ocupando, a possibilidade de esconder isso, de se fazer segredo, diminui”, disse Beltrame, ao ser questionado se a próxima comunidade a receber uma UPP seria a da Maré.

O Rio de Janeiro tem hoje 28 Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), ponta de lança do processo de pacificação iniciado pelo governo do estado há quatro anos. Cerca de 370 mil moradores são beneficiados. A primeira UPP foi instalada em dezembro de 2008, no Morro Santa Marta, em Botafogo, Zona Sul da cidade.

Em 2009, o Rio ganhou mais quatro Unidades de Polícia Pacificadora, nas comunidades da Cidade de Deus, Jardim Batan, Babilônia/Chapéu Mangueira e Pavão-Pavãozinho/Cantagalo.

No ano seguinte, as UPPs chegaram a mais oito localidades: Ladeira dos Tabajaras/Cabritos, Morro da Providência, Borel, Formiga, Andaraí, Salgueiro, Turano e Macacos.

Em 2011, as comunidades de São João Quieto/Matriz, Coroa Fallet/Fogueteiro, Morro dos Prazeres/Escondidinho, Complexo de São Carlos e Mangueira/ Tuiuti ganharam UPPs.

O Morro do Vidigal, no Leblon, recebeu a primeira UPP de 2012. Em seguida, as unidades foram instaladas ao Morro do Alemão, Fazendinha, Nova Brasíllia, Adeus/Baiana, Chatuba, Fé/Sereno, Parque Proletário, Vila Cruzeiro e, em setembro, à Rocinha, a maior favela do Rio de Janeiro.

(Foto: Editoria de Arte/TV Globo)

Publicidade

Brasil

Passageira é ejetada e cai embaixo de caminhão, em acidente na BR-376

Segundo a PRF, vítima foi encaminhada ao hospital em estado gravíssimo, neste domingo (21); motorista do caminhão teve ferimentos leves.

Publicado em

Do G1
Passageira é ejetada e cai embaixo de caminhão, em acidente na BR-376 — Foto: Divulgação/PRF

Uma mulher de 59 anos foi ejetada e caiu embaixo de um caminhão, em um acidente na BR-376, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, neste domingo (21), segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A vítima era passageira do veículo e estava sem cinto de segurança, de acordo com a PRF. Ela foi encaminhada com ferimentos gravíssimos para o Hospital Regional de Ponta Grossa.

Conforme a polícia, o motorista do caminhão, de 66 anos, sofreu ferimentos leves.

De acordo com a PRF, a carga do caminhão deslizou em uma curva, puxou o veículo pra fora da pista, fazendo com que ele batesse contra um barranco. A passageira ficou presa no rodado traseiro do veículo, após ser ejetada.

Ela foi resgatada por equipes da concessionária que administra o trecho da rodovia.

Continue lendo

Brasil

Seis pessoas morrem em acidente na PR-323, no Paraná

Dois carros se envolveram na batida na madrugada desta sexta-feira (19). Segundo a PRE, todas as vítimas eram jovens.

Publicado em

Do G1
Acidente deixou seis mortos — Foto: PRE/Divulgação

Um acidente deixou seis pessoas mortas na PR-323 entre Umuarama e Perobal, no noroeste do Paraná, na madrugada desta sexta-feira (19), de acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE).

Dois carros se envolveram na batida. Segundo a PRE, todas as vítimas eram jovens. Porém, as idades ainda não foram informadas.

Quatro homens estavam no veículo, com placas de Perobal. No outro automóvel, com placas de Umurama, havia um casal.

A colisão aconteceu por volta das 3h30. Os bombeiros foram até o local para prestar socorro, mas, quando chegaram, as vítimas já tinham morrido.

A perícia técnica da Polícia Civil também foi até o trecho da rodovia para apurar as causas do acidente. Há uma curva aberta ali onde, conforme a PRE, já foram registrados outros acidentes. Porém, o local não é considerado um ponto crítico.

Alta velocidade

De acordo com a PRE, o carro em que o casal estava pode ter invadido a pista contrária, batendo de frente com o outro veículo, que acabou sendo levado em direção ao acostamento.

O motorista do automóvel ocupado pelos rapazes não era habilitado para dirigir, ainda segundo a PRE.

A PRE também afirmou que os dois carros estavam em alta velocidade. Conforme a PRF, o veículo do casal estava a 160 km/h, e o outro a 120 km/h. A velocidade máxima no trecho é de 100 km/h.

Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico-Legal (IML) de Umuarama.

Acidente aconteceu na madrugada desta sexta-feira (19) — Foto: PRE/Divulgação

Continue lendo

Brasil

Papagaio roubado volta sozinho a Zoológico de Cascavel

Homens armados renderam guarda e levaram duas aves na madrugada de terça-feira (16). Dois dias depois, um dos papagaios retornou ao local.

Publicado em

Do G1
Homens armados roubaram dois papagaios do Zoológico de Cascavel na terça-feira (16). — Foto: Reprodução/RPC

Um dos papagaios roubados do Zoológico de Cascavel, no oeste do Paraná, voltou sozinho ao local dois dias após homens armados terem rendido um guarda do parque e levado dois animais.

O roubo aconteceu na madrugada de terça-feira (16) e um dos papagaios reapareceu no zoológico nesta quinta-feira (18), de acordo com o médico veterinário Ilair Detoni.

A ave, que se recupera de uma picada de cobra, voltou ao zoológico voando.

O outro papagaio roubado, que tinha chegado ao zoológico no dia 12 de abril, não foi localizado. Nenhum dos homens foi preso.

Roubo

Na terça-feira (16), homens renderam um guarda patrimonial do zoológico para roubar o local.

O guarda diz ter sido obrigado a ficar deitado no chão enquanto um dos suspeitos conseguiu arrebentar as grades de uma janela que dá acesso ao almoxarifado, onde estavam os papagaios.

Além dos papagaios, os ladrões levaram um botijão de gás. O guarda não ficou ferido.

De acordo a direção do zoológico, essa não foi a primeira vez que o ladrões tentaram arrombar o local. Neste ano, houve outras três tentativas. Mas foi a primeira que os ladrões estavam armados.

A prefeitura informou que as rondas da Guarda Municipal serão intensificadas na região do zoológico. Além disso, existe um estudo para implantação de câmeras de monitoramento no local, mas ainda não há previsão para a instalação.

Continue lendo
Solutudo 300
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas