Denunciado pela mãe, homem é condenado a 17 anos de prisão por estuprar filha de 5 anos em Vitória

Avó da vítima foi quem percebeu uma mudança no comportamento e desconfiou do crime. Caso foi investigado pela DPCA.

Um motorista autônomo de 34 anos foi condenado a 17 anos e 9 meses de prisão pelo estupro da filha de 5 anos, em Vitória, após ser denunciado pela própria mãe. O preso negou as acusações, nesta sexta-feira (17). Não cabe recurso à decisão da Justiça.

Os casos aconteceram no segundo semestre de agosto de 2013 e o condenado foi indiciado em agosto de 2014. Ele aguardava o julgamento em liberdade e foi preso na Vila Rubim, na capital, no dia 8 de novembro deste ano.

De acordo com o responsável pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Lorenzo Pazolini, o pai ficava sozinho com a menina algumas vezes, já que era autônomo, enquanto a mãe tinha carga horária fixa. Nessas ocasiões, ele cometeu os atos criminosos.

O delegado contou que o pai dizia para a menina que eles tinham um segredo. O crime de estupro de vulnerável foi comprovado a partir do depoimento da vítima e de um laudo psicossocial.

Denunciado pela mãe

Pazolini disse que a avó paterna da menina, mãe do condenado, foi quem percebeu a mudança no comportamento da vítima, que ficou mais agressiva.

A avó se aproximou mais da criança, que contou o que acontecia para ela e para a mãe. Depois disso, as três foram até a delegacia para registrar o crime.

O homem nega que tenha estuprado a filha e se diz arrependido por não ter sido um pai mais presente. Ele disse, ainda, que não ficava sozinho com a menina. “Eu quase não tinha contato com a criança, quem mais tinha contato era a minha mãe, que ficava tomando conta dela”.

Questionado se se sente injustiçado, ele respondeu: “É a minha versão, né?”. O delegado afirmou que a versão do condenado é totalmente mentirosa.

#MAIS LIDAS DA SEMANA