Fique conectado

Brasil

Caravela-portuguesa aparece no litoral de SP e espanta banhistas e turistas

Caravela nas cores azul e roxo apareceu em Praia Grande neste domingo (16). Segundo professor da Unesp de Assis, veneno é parecido com o da aranha ‘viúva negra’.

Publicado em

826

Caravela-portuguesa aparece no litoral de SP e assusta banhistas — Foto: Reprodução

Uma caravela-portuguesa assustou banhistas e, ao mesmo tempo, virou atração em uma das praias mais movimentadas de Praia Grande, no litoral de São Paulo, neste domingo (16). Apesar de biólogos afirmarem que a colônia marinha pode aparecer nas águas da costa paulista, a presença é considerada rara à beira mar. Especialistas também advertem para manter distância, já que as caravelas portuguesas são venenosas.

A beleza e as cores marcantes chamaram a atenção das pessoas. Foi o que aconteceu com a artesã e moradora de Praia Grande Rosângela Camilo Ricardo, de 57 anos, que parou durante uma caminhada pelo Canto do Forte para fotografar a espécie. “Sou nascida e criada no litoral e nunca tinha visto isso. Parecia uma água-viva, mas como outro dia tinha visto uma postagem nas redes sociais que estavam aparecendo caravelas por aqui, e tinha uma foto, eu consegui identificar”.

A moradora conta ainda que a caravela-portuguesa tinha o tamanho da palma da mão de um adulto e ela, já conhecendo os perigos, fez o alerta. “A praia está cheia e tem muitos turistas. Quando vimos pais e crianças brincando no entorno, chamamos e avisamos que a caravela queima, pode dar febre, tudo que também ficamos sabendo pela internet”, pontua.

A caravela-portuguesa (Physalia physalis) ou barco-de-guerra-português vive nas águas de todas as regiões tropicais dos oceanos. Ela possui cor azul ou ainda rosa e roxa, dependendo de diversos fatores ambientais, além e tentáculos cheios de células urticantes. Apesar de parecer um animal é, na realidade, uma colônia composta por muitos animais inter-relacionados (pólipos).

Especialista alerta

O professor do curso de Biociências da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Assis, Sérgio Stampar, explica que a espécie é local, vive em zonas não tão próximas da linha de ondas, mas acabam chegando às praias em decorrência de ventos mais fortes.

“Elas se alimentam de crustáceos e peixes, sendo que assim a atuação das toxinas é bastante relevante para nós, humanos. Elas são, na verdade, uma colônia e pólipos (iguais as anemonas, corais e hidróides) e os grupos de pólipos têm funções diferentes. Um é o flutuador (bexiga), outro os que pegam o alimento, outro que faz a reprodução e etc”, explica.

O corpo desse animal é uma bexiga cheia de gás, que fica acima da água e se assemelha a um navio de guerra antigo, movido a vela. Segundo especialistas, a colônia tem tentáculos compridos, de até 20 metros, que têm células venenosas.

Essas células urticantes estão recheadas de filamentos que libertam as toxinas da caravela-portuguesa, quando em contacto com a pele, por exemplo. Para os humanos, o contato com os tentáculos desse animal é doloroso, mas raramente fatal.

O veneno da caravela-portuguesa é, de certa forma, parecido ao da aranha viúva-negra, que provoca dores muito fortes, queimaduras que podem ser até de terceiro grau, e em casos mais extremos, reações alérgicas graves acompanhadas de arritmias, náuseas e necrose do tecido. As queimaduras provocadas pelo contacto com os tentáculos provocam cicatrizes, em certos casos, permanentes.

Brasil

Carro desaparecido é encontrado com sete pessoas mortas

Carro com as vítimas – 6, da mesma família – estava sumido desde a noite de domingo, e foi achado no interior de uma vala em Pindamonhangaba

Publicado em

Do Metrópoles
FOTO: DIVULGAÇÃO/CORPO DE BOMBEIROS

Sete pessoas, entre elas duas crianças, foram encontradas mortas na manhã desta segunda-feira (07) no interior de um automóvel acidentado, na zona rural de Pindamonhangaba, interior de São Paulo.

O carro com as vítimas – seis da mesma família – estava desaparecido desde a noite de domingo (06). O veículo foi encontrado por volta das 6h no interior de uma vala com água, à margem da Estrada do Sapucaia, que liga a cidade ao bairro do Ribeirão Grande. Segundo a Polícia Militar, todos os ocupantes já estavam mortos, a maioria por possível afogamento.

Segundo a PM, na manhã de domingo, o motorista Douglas Fabrício, de 26 anos, e sua esposa, Angélica Mathias, de 27, decidiram levar suas filhas, de 6 e 8 anos, para brincar em um rio, no bairro rural. Os pais de Angélica e um vizinho de 36 anos também foram convidados e seguiram no mesmo veículo, um Volkswagen Gol. À noite, eles não chegaram de volta às suas casas e os familiares iniciaram as buscas.

Um parente encontrou o carro parcialmente submerso em uma vala, na estrada terra de acesso ao bairro. Conforme a Polícia Militar, exames no local indicaram que o veículo capotou e caiu na vala. Equipes do Corpo de Bombeiros fizeram o resgate das vítimas. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Pindamonhangaba. Os exames devem indicar a provável causa das mortes. A Polícia Civil abriu inquérito para apurar as causas do acidente. O carro foi retirado da vala e vai passar por perícia.

Continue lendo

Brasil

Assessor do PT que ficou milionário volta a ganhar na Mega-Sena

O sortudo participou de bolão de funcionários do partido que foi premiado com R$ 120 milhões. Desta vez, embolsou R$ 579.

Publicado em

Do Metrópoles
Assessor do PT que ficou milionário volta a ganhar na Mega-Sena (Foto: Marcelo Fonseca/Folhapress)

Um dos assessores do PT que integrou o bolão – composto por 49 pessoas – premiado com a bagatela de R$ 120 milhões, há duas semanas, parece ter muita sorte. Dias após virar milionário, o participante voltou a ganhar na Mega-Sena. Desta vez, o valor não foi tão alto, visto ter acertou apenas a quadra, e não os seis números da maior loteria do país. Ele levou para casa R$ 579. A informação é da GaúchaZH.

“Tenho certeza de que vou ganhar de novo. Jogo há mais de 20 anos. Eu não ganhei na sorte, mas na insistência”, disse o sortudo, que não teve a identidade revelada à reportagem.

Contou também que, embora prefira a discrição, não está escondendo a novidade de parentes e amigos que o questionam sobre o assunto. O destino da bolada ainda é incerto. Ele investiu fração do prêmio em pecuária, mas ainda não sabe o que fará com a maior parte do dinheiro.

Em 18 de setembro, a loteria sorteou R$ 120 milhões, valor rateado em 49 cotas, pagando R$ 2,4 milhões a cada participante. As dezenas sorteadas foram 04, 11, 16, 22, 29 e 33. Por hábito, o petista seguiu apostando e, em 24 de setembro, ganhou mais R$ 579,20.

“Não dá para parar de trabalhar com esse valor. Claro que não há mais a preocupação do dia a dia, mas está todo mundo trabalhando”, frisou.

Continue lendo

Brasil

Sogro mata o genro após filha mandar mensagem por WhatsApp pedindo socorro em SP

Elton Gomes da Silva, de 36 anos, foi morto a tiros após a companheira mandar mensagem ao pai pedindo socorro por estar sendo ameaçada de morte.

Publicado em

Do G1
Jovem e o pai, que matou o ex-genro em Praia Grande, SP — Foto: Reprodução/Facebook
Jovem e o pai, que matou o ex-genro em Praia Grande, SP — Foto: Reprodução/Facebook

Um homem de 36 anos foi morto a tiros pelo próprio sogro durante uma discussão em Praia Grande, no litoral de São Paulo. De acordo com a Polícia Civil, o representante comercial Edson Claro de Almeida, de 52 anos, matou Elton Gomes da Silva porque o rapaz havia agredido a filha dele e o ameaçou. Edson fugiu logo após o crime.

A filha do representante comercial, de 28 anos, disse que ela e Elton estavam separados há cerca de dois anos, mas ele não se conformava com a situação. Segundo apurado pelo G1 nesta terça-feira (8), ao chegar perto de casa, no bairro Sítio do Campo, a jovem encontrou o ex-companheiro observando a movimentação na rua.

De acordo com ela, Elton a obrigou a entrar no imóvel e pegou uma faca, dizendo que iria matá-la. A vítima tentou acalmá-lo e falou que iria tomar banho. Assim, conseguiu enviar uma mensagem por WhatsApp ao pai relatando as ameaças.

Pai da jovem matou o ex-genro em Praia Grande, SP — Foto: Reprodução/Facebook

Pai da jovem matou o ex-genro em Praia Grande, SP — Foto: Reprodução/Facebook

Ao sair do banheiro, ela relatou ter sido agredida com murros na cabeça por Elton, que pegou o celular de sua mão e quebrou. Minutos depois, ainda segundo a mulher, o pai dela chegou ao local, e o companheiro também o atacou e o ameaçou de morte.

Neste momento, Edson sacou da cintura uma arma e disparou na barriga do ex-genro, que caiu. O representante comercial efetuou outro disparo e fugiu na sequência em seu carro, de acordo com a filha.

Elton chegou a ser socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu e morreu.

O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Praia Grande como homicídio, ameaça, violência doméstica e injúria. Peritos foram ao local e encontraram o celular danificado da vítima e um projétil de arma de fogo.

Caso foi encaminhado à Delegacia Sede de Praia Grande, SP — Foto: Rafaella Mendes/G1

Caso foi encaminhado à Delegacia Sede de Praia Grande, SP — Foto: Rafaella Mendes/G1

Continue lendo
Solutudo 300
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas