Fique conectado

Brasil

Médica embriagada que provocou série de acidentes paga fiança e vai responder em liberdade

Juiz arbitrou fiança de R$ 7,5 mil em audiência de custódia neste domingo (2); no dia anterior, Ligia Capellari, de 56 anos, causou uma série de acidentes que deixou seis pessoas feridas em Campinas (SP).

Publicado em

294

Moto atingida por carro de mulher embriagada em Campinas — Foto: Wesley Justino/EPTV

A médica de 56 anos que dirigia embriagada e provocou uma série de acidentes que deixou seis pessoas feridas em Campinas (SP) vai responder pelo caso em liberdade. Segundo apurado pela EPTV, afilliada TV Globo, na audiência de custódia neste domingo (2) o juiz arbitrou fiança de R$ 7,5 mil. O G1 tentou contato com Ligia Capellari, sem sucesso.

A médica foi detida e autuada no sábado (1) por lesão corporal culposa e embriaguez ao volante. De acordo com a Polícia Militar Rodoviária, o teste de bafômetro apontou 0,98 miligramas de álcool por litro de ar expelido.

De acordo com o boletim de ocorrência, a médica apresentava diversos sinais de embriaguez, tais como “odor, fala pastosa, desequilíbrio e olhos avermelhados”.

Pela legislação brasileira, quando o teste supera 0,34mg o motorista é autuado por crime de trânsito. Em caso de lesões corporais graves ou gravíssimas, a punição varia de 2 a 5 anos de prisão.

O acidente

No registro do boletim de ocorrência, consta que, por volta das 17h, a médica bateu na lateral de um carro e fugiu. Ela saiu da Rodovia Santos Dumont (SP-075) em direção à Rodovia Miguel Melhado (SP-324) e a motorista do carro atingido passou a seguir o veículo para anotar a placa.

Segundo o registro, na altura do Km 90 da Rodovia Miguel Melhado, no bairro Campo Belo, Ligia atropelou um motociclista de 27 anos. O rapaz sofreu uma fratura e terá de passar por cirurgia em dez dias.

Helicóptero Águia fez o resgate de policial atropelado por médica embriagada em Campinas (SP) — Foto: Wesley Justino/EPTV

Na sequência, de acordo com as informações do boletim de ocorrência, a médica atropelou outro motociclista, um policial militar de 21 anos, que fazia o patrulhamento no bairro. O PM foi levado pelo helicóptero Águia ao HC da Unicamp. A unidade médica não forneceu o estado de saúde.

Com o impacto do atropelamento do PM, a moto do policial atingiu uma senhora de 61 anos com suas três netas, de 8, 9 e 10 anos. Ela retornavam para casa quando foram atingidas pelo veículo. As vítimas foram socorridas à UPA São José com escoriações e já receberam alta.

O G1 tentou localizar a médica Ligia Capellari para comentar o caso, sem sucesso.

Brasil

Homem é preso após agredir bandidos que invadiram sua casa em Curitiba

Delegado soltou os criminosos, que voltaram na mesma casa para concluir o roubo.

Publicado em

Do 24h
Foto: Banda B

Um homem foi preso após agredir bandidos que invadiram sua casa para roubar na manhã desta quinta-feira (06) em Curitiba. Segundo a esposa do homem, Poliana Vilela, 35, a casa onde ela mora com o marido Silvano Rogério Weber, 35, foi invadida por dois ladrões durante a madrugada. Ao perceber a presença dos criminosos, o homem partiu para cima dos bandidos e entrou em luta corporal com eles.

Neste momento, os familiares chamaram a Polícia Militar (PM) que ao chegar no local prendeu os dois criminosos. O homem acompanhou os policiais até a delegacia, mas chegando lá, recebeu voz de prisão do delegado pelo crime de tortura. A atuação do delegado revoltou os familiares de Silvano.

Para aumentar a revolta, os dois criminosos foram soltos em seguida pelo delegado. Detalhe: ao saírem da delegacia, eles voltaram para a mesma casa para buscar a bicicleta que haviam deixado no local. Na residência, eles tentaram, pela segunda vez, cometer o roubo.

Ainda na delegacia, enquanto a mulher do dono da residência aguardava os procedimentos, uma viatura do Bope retornou com um dos criminosos, que havia invadido a casa mais uma vez. O delegado então, decidiu que antes de ser preso, ele deveria ir até um hospital para ser atendido.

Continue lendo

Brasil

PM prende homem fantasiado de Superman por tráfico de drogas no centro de SP

Ele era procurado pela Justiça do Paraná.

Publicado em

Do AssisNews
Foto: Divulgação

Policiais militares prenderam, na madrugada deste domingo (02) na região da Luz, no centro de São Paulo, um homem vestido com a fantasia de Superman. Ele foi abordado entre as ruas General Rondon e Conselheiro Nebias, nos Campos Elíseos.

Durante a abordagem, o super-herói ‘fake’ foi revistado e com ele, nada foi encontrado. Porém, ao consultar o RG do homem, foi constatado que ele tinha um mandado de prisão em aberto expedido pela Justiça de Curitiba, por tráfico de drogas.

O homem foi detido e levado ao 2º DP do Bom Retiro, no centro da capital paulista.

Continue lendo

Brasil

Padre Marcelo Monge é investido cônego na Arquidiocese de São Paulo

Aos 16 anos, ele ingressou no Seminário Menor da Diocese de Assis (SP), em 1985.

Publicado em

De O São Paulo
Foto Luciney Martins/O SÃO PAULO

No domingo, 2, na Catedral da Sé, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, presidiu a missa do 1º Domingo do Advento, na qual foi investido como Cônego do Cabido Metropolitano de São Paulo o Padre Marcelo Álvares Matias Monge, Pároco da Paróquia Santo Antônio de Lisboa, no Tatuapé. Participaram da celebração alguns cônegos do Cabido, que acolheram o novo membro da instituição eclesiástica de mais de dois séculos.

O rito de investidura canônica é marcado pela entrega do anel, sinal de fidelidade à Igreja por meio da nova missão, e do barrete, espécie de chapéu que compõe a veste coral dos cônegos, usadas nas liturgias da Catedral.

COMPROMISSO

Cônego Marcelo nasceu em 13 de abril de 1968, em Ubirajara (SP), sendo o 11º dos 13 filhos de Alfredo Álvares Monge e Anésia Francisca Monge. “Nasci na roça, no sítio São José, no bairro do Ingazeiro, onde fui criado até os 6 anos e meio de idade, quando fui morar com a minha irmã mais velha na cidade. Aos 16 anos, ingressei no Seminário Menor da Diocese de Assis (SP), em 1985”, contou.

Ordenado sacerdote em 6 de março de 1994, o novo Cônego foi Pároco das Paróquias São João Batista, no Brás; Santa Luzia e São Pio X, na Vila Leme; e Santo André Apóstolo, no Jardim Santo André, todas na Região Episcopal Belém, na qual  também já foi Coordenador de Pastoral. Cônego Marcelo também já exerceu o cargo de diretor da Caritas Arquidiocesana de São Paulo. Ele possui, ainda, mestrado em Teologia, na área de Missiologia.

Em entrevista ao O SÃO PAULO, Cônego Marcelo afirmou que recebeu sua nomeação para o Cabido “com muita alegria e, ao mesmo tempo, preocupação” diante da responsabilidade a ele confiada: “Eu sempre busquei exercer com fidelidade e amor aquilo que me é confiado pela Igreja. Esse é mais um compromisso para o qual eu disse ‘sim’. Quero corresponder ao chamado que me fizeram na Igreja em São Paulo”.

O CABIDO

O Cabido Metropolitano nasceu junto com a fundação da Diocese de São Paulo, em 1745, e tem a função de zelar pela Catedral da Sé. “O cabido de cônegos, seja da catedral, seja colegial, é o colégio de sacerdotes, ao qual compete realizar as funções litúrgicas mais solenes na igreja catedral ou colegiada; além disso, compete ao cabido da catedral desempenhar funções que lhe são confiadas pelo direito ou pelo bispo diocesano. [cf. Código de Direito Canônico 503]”.

De acordo com os novos estatuto e regimento do Cabido Metropolitano, promulgados em 8 outubro de 2016, existem duas categorias de cônegos: catedráticos e eméritos. “Foi extinta a categoria de cônego honorário, que existia anteriormente”, explicou o Cônego Sergio Conrado, Arcediago, isto é, presidente do Cabido Metropolitano, na ocasião da promulgação do novo Estatuto. São catedráticos os cônegos nomeados pelo Arcebispo a partir de uma lista tríplice apresentada pelo Cabido, ao qual compete o direito de apresentação. Torna-se emérito o cônego catedrático ao atingir 80 anos.

Ao saudar o Cônego Marcelo, Dom Odilo destacou que o ingresso de um novo membro no Cabido é um sinal de renovação da presença dessa instituição na Catedral e na Igreja, como sinal de comunhão e corresponsabilidade de todo o clero com o Arcebispo em relação ao pastoreio e nas responsabilidades do serviço evangelizador da Igreja em São Paulo. “Que Deus abençoe, portanto, os cônegos, e com eles, abençoe a todos os sacerdotes que realizam esse trabalho tão fundamental para a vida da Igreja”, afirmou o Arcebispo Metropolitano.

Continue lendo
Solutudo 300
WhatsAssp AssisNews
Banner Star Som
Publicidade

FaceNews

Mais lidas