Fique conectado

Brasil

Padre Quevedo morre aos 88 anos em BH

Publicado em

131

Padre Quevedo morreu por complicações no coração — Foto: Comunicação da Província dos Jesuítas do Brasil/Divulgação

Oscar González Quevedo Bruzan, o Padre Quevedo, de 88 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira (9), em Belo Horizonte, por complicações cardíacas. Padre Quevedo morreu na Casa Irmão Luciano Brandão, no Bairro Planalto, na capital mineira, onde são atendidos jesuítas idosos e com problemas de saúde. Ele morava no local desde 2012.

A assessoria de imprensa da Casa Jesuíta, que tinha divulgado de manhã que o velório seria fechado para o público, informou nesta tarde que a cerimônia será aberta, a partir das 8h desta quinta-feira (10), no auditório da Faculdade Jesuíta. O enterro está marcado para as 11h, no Cemitério Bosque da Esperança, no Bairro Jaqueline, Norte de Belo Horizonte.

Natural de Madri e naturalizado brasileiro, Padre Quevedo é considerado um dos maiores especialistas do mundo na área de parapsicologia e autor de dezenas de livros, muitos dos quais traduzidos para outras línguas, como “O que é parapsicologia”, “A Face Oculta da Mente” e “As Forças Físicas da Mente”. Além de parapsicologia, era formado em filosofia, teologia e humanidades clássicas.

Na década de 1970, ficou famoso por desmascarar o ilusionista Uri Geller, que dizia entornar talheres com seus poderes paranormais.

“Isso non ecziste”

O religioso ganhou, anos depois, um quadro no Fantástico para desvendar fenômenos da natureza e desmascarar charlatões. Ficou famoso pelo bordão “Isso non ecziste”.

Segundo o site Memória Globo, a ideia surgiu em agosto de 1999, quando a produção do programa decidiu colocar no ar um quadro que seguisse a linha de Mister M, sucesso de audiência naquele ano.

Após negociações, Padre Quevedo aceitou o convite, dizendo que não interpretaria nenhum personagem, já que era um estudioso com a missão de “desmistificar essa mentalidade mágica que envolve os fenômenos parapsicológicos”.

O Caçador de Enigmas foi ao ar entre janeiro e maio do ano 2000, com apresentação de Cid Moreira que, diante de um fundo preto, parcialmente iluminado, apresentava o assunto do dia em clima de mistério: “esse é um caso para padre Quevedo.”

O religioso investigou casos como o de gêmeas que diziam sentir as mesmas coisas, mesmo estando separadas; expôs a farsa de uma casa mal-assombrada; interpretou gravações impostores diziam ser do além; comentou casos de premonição envolvendo a queda do Fokker da TAM.

Naturalizado brasileiro

Segundo a Ordem dos Jesuítas, Padre Quevedo ingressou na Companhia de Jesus aos 15 anos. Em 1959, aos 29 anos, chegou ao Brasil e, na década de 1960, naturalizou-se brasileiro.

Ele foi professor universitário de parapsicologia no Centro Universitário Salesiano de São Paulo (Unisal) e no Centro Latino-Americano de Parapsicologia (Clap), onde também foi diretor.

Brasil

Guardas resgatam cachorro que estava sendo devorado vivo por urubus no Paraná

Cãozinho estava tentando se esconder entre pedras na Ilha da Cotinga, em Paranaguá.

Publicado em

Do 24h
Foto: Divulgação / GCM Paranaguá

Guardas Civis da Patrulha Marítima de Paranaguá (PR), no litoral do estado, trabalharam no resgate de um cachorrinho que estava abandonado em uma ilha, e sendo devorado vivo por urubus.

O caso foi relatado pelo secretário municipal de segurança da cidade, João Carlos Silva, que mobilizou uma equipe da GCM para resgatar o animal.

Acredita-se que o cachorro tenha sido abandonado na ilha propositalmente; Após ser avistado por um grupo de turistas que passeava de caiaque pelo local, a Guarda Civil foi informada e tratou de socorrê-lo. O cachorro apresentava muitos ferimentos, e foi levado à Secretaria Municipal de Meio Ambiente, onde está sendo tratado.

“A maldade do homem ultrapassa barreiras, a vida desse animal podem ter certeza, vale muito mais do que a de muitos que se dizem seres humanos.” desabafou João Carlos nas redes sociais, após o resgate.

Continue lendo

Brasil

Homem ataca estudantes com faca e deixa um morto em pensionato de Maringá

Ataque aconteceu na madrugada deste domingo (17), no Paraná. Estudante de química não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Publicado em

Do G1
Faca foi usada para atacar estudantes em pensionato — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um jovem de 22 anos foi morto a punhaladas após um homem atacar estudantes em um pensionato na madrugada deste domingo (17) em Maringá, no norte do Paraná. Outros dois rapazes ficaram feridos. O suspeito foi preso, segundo a Polícia Civil.

O crime aconteceu na Zona 7. O autor do ataque morava nos fundos da residência. De acordo com a Polícia Civil, ele entrou na casa por volta das 2h e atacou três rapazes que estavam na cozinha. Dois conseguiram fugir e foram perseguidos na rua pelo suspeito.

As vítimas e vizinhos que ouviram a confusão acionaram a Polícia Militar (PM). O homem havia retornado para o pensionato para atacar outros estudantes, quando foi contido por uma equipe policial, segundo a PM. Ele foi preso e levado para a Delegacia de Polícia Civil de Maringá.

O estudante Orivaldo José da Silva Filho, de 22 anos, foi atacado pelo suspeito. Ele tentou fugir, mas acabou não resistindo aos ferimentos e morreu no local. O jovem era do de Conchas, no interior de São Paulo, e estava em Maringá onde se preparava para ingressar em uma turma de doutorado em Química.

Os outros dois jovens que fugiram ficaram feridos. Eles foram encaminhados para hospitais da cidade e continuam internados. A polícia não informou a idade dos jovens feridos.

Suspeito preso

Segundo a Polícia Civil, o autor do ataque é Osvaldo dos Santos Pereira Junior, de 26 anos. Ele foi preso em flagrante pela Polícia Militar e ouvido pela Polícia Civil na manhã deste domingo (17).

O suspeito confessou que esfaqueou os jovens e disse à polícia que era maltratado na casa. Ainda de acordo com a Polícia Civil, o homem estava muito transtornado no momento do crime e pediu para que os jovens se ajoelhassem. Na sequência, atacou as vítimas com um punhal.

A Polícia Civil informou que investiga o crime e que irá apurar a saúde mental do suspeito.

Segundo a polícia, o suspeito ainda não tem advogado constituído.

Residência onde ataque aconteceu fica na Zona 7, em Maringá — Foto: Honório Silva/RPC

Continue lendo

Brasil

Cachorrinha “se entrega” à polícia durante prisão do dono por tráfico

Fora a parte engraçada e fofa, o dono foi pego com 11 quilos de maconha. Já a cadelinha ganhou um novo lar, bem em frente ao flagrante.

Publicado em

Do Metrópole
Cachorrinha “se entrega” à polícia durante prisão do dono por tráfico (Foto: Reprodução)

Dois homens foram presos por tráfico de drogas no Centro de Deodápolis, a 252km de Campo Grande (MS). Porém, uma cachorrinha roubou a cena da detenção. A cadela, com pouco mais de dois meses, “se entregou” à polícia junto com seu dono. As informações são da Campo Grande News.

“A foto foi tirada no instante que ela estava deitada, de barriga para cima, chamando o dono para brincar o que deu a impressão de que ela estava realmente se entregando”, disse o policial, segundo o site.

Fora a parte engraçada, a dupla foi flagrada com 11 quilos de maconha e segue presa na delegacia de Deodápolis aguardando audiência de custódia. Os nomes dos suspeitos não foram divulgados.

Final feliz
O delegado de Deodápolis contou que, em frente a casa onde o flagrante ocorreu, moram José Guilherme Urnau Romera e sua família. Eles ficaram responsáveis pela cachorrinha.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas