Fique conectado

Brasil

Menino de três anos tem parte do pênis amputada após cirurgia de fimose

Família acredita que ocorreu erro médico. O cirurgião que realizou o procedimento foi encontrado morto em casa dias depois .

Publicado em

2.497

Um menino de três anos teve parte do pênis amputada após fazer uma cirurgia de fimose. O pai da criança contou que o cirurgião não admitiu e só teve a confirmação quando transferiu a criança para outro hospital, que a submeteu a uma cirurgia de reconstrução da parte que sobrou do membro.

O cirurgião responsável pela fimose, que é a retirada de excesso de pele do pênis, morreu em casa dias após o acontecimento. A confirmação da morte do médico foi dada pela prefeitura de Malacacheta-MG, cidade onde ocorreu o caso.

A secretaria de Saúde informou que, além do cirurgião, ainda participaram do procedimento um anestesista, um enfermeiro, um instrumentador e dois circulantes de sala. A secretaria disse ainda que solicitou a abertura de um procedimento administrativo.

De acordo com o pai, após pedir para enfermeira trocar o curativo, não conseguiu visualizar o membro. Ele conta que deixou o filho no hospital e a mãe dele ficou como acompanhante. Ele foi para uma reunião e quando retornou, soube que tinha algo errado. A cirurgia que deveria ter durado uns trinta minutos levou cerca de quatro horas.

Ainda segundo ele, quando tirou o primeiro esparadrapo, tinha uma gaze enrolada simulando o pênis do filho, e tudo muito ensanguentado. Quando ele levantou a gaze, não tinha pênis visível. O pai conta que ficou desesperado.

O pai teria chamado o médico de plantão, porque o que tinha operado a criança, teria ido embora, e ele falou que não podia avaliar porque não tinha participado da cirurgia.

Ele procurou o prefeito e o secretário de saúde do município. Segundo ele, mostrou a foto do filho e questionou o secretário, que continuou dizendo que estava tudo bem. Horas depois, o médico que realizou a cirurgia apareceu e disse que estava tudo normal, que quando o pênis desinchasse, ele conseguiria ver o pênis do filho.

Como a criança continuava a reclamar de dores, no dia seguinte o pai assinou um termo de responsabilidade e transferiu a criança para outro hospital.

Na nova unidade, o menino passou por dois novos procedimentos para avaliar o estado em que se encontrava e, em seguida, para a reconstrução do pênis. O pai conta que o laudo do segundo hospital apontou que houve laceração do prepúcio do menino e diz que somente no futuro poderá saber se o filho poderá recorrer a uma prótese.

A conta no hospital ficou quase R$ 10 mil e o pai diz que precisou pegar dinheiro emprestado para pagar, pois não recebeu apoio ou assistência do município no primeiro momento. Apenas depois do caso repercutir na mídia, a Prefeitura ressarciu os custos da segunda internação.

O crime está sendo apurado como lesão corporal. De acordo com a polícia, os familiares já foram ouvidos e agora membros da equipe de cirurgia serão ouvidos. A intenção é apurar se o erro foi apenas do médico que o operou ou mais pessoas teriam contribuído para os danos sofridos pela criança.

Brasil

Cinco morrem e um fica ferido em acidente entre carro e caminhão em Santo Antônio da Platina

Acidente aconteceu por volta das 13h desta sexta-feira (3).

Publicado em

Portal JNN

Cinco pessoas, segundo as primeiras informações dois casais de amigos e uma criança, morreram no início da tarde desta sexta-feira (3) em um grave acidente automobilístico na BR-153, próximo a Santo Antônio da Platina (SP).

De acordo com as equipes de resgate, um Ford Fiesta, com placas de Santo Antônio da Platina, bateu de frente com uma carreta. O carro ficou completamente destruído.

O motorista da carreta foi socorrido e encaminhado ao pronto socorro de Santo Antônio da Platina. Os corpos das vítimas, entre elas uma criança, ficaram presos entre as ferragens do veículo.

A rodovia ficou interditada nos dois sentidos. As circunstâncias do acidente ainda são desconhecidas pela reportagem.

Continue lendo

Brasil

Menina de 10 anos morre engasgada após engolir pirulito

A Prefeitura de Três Rios (RJ) informou que um vizinho colocou a criança em um carro e a levou até uma base da Rodovia do Aço (BR-393).

Publicado em

Do Metrópoles
ARQUIVO PESSOAL
ARQUIVO PESSOAL

Uma menina de 10 anos morreu engasgada após engolir um pirulito na última segunda-feira (16), em Três Rios (RJ). De acordo com informações do jornal O Dia, a menina estava brincando no quintal da avó quando engasgou com o doce. Instantes depois, ela se sentiu mal e desmaiou.

A Prefeitura de Três Rios informou que um vizinho colocou a criança em um carro e a levou até uma base da Rodovia do Aço (BR-393). Médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) tentaram reanimar a menina por aproximadamente 40 minutos, mas ela não resistiu.

A concessionária K-Infra informou que assim que a criança chegou à base 2 da rodovia, a equipe de resgate prestou atendimento imediato à criança.

“Enquanto o socorro era realizado, foi simultaneamente acionado o Samu, que, após tentativas de reanimação, infelizmente constatou óbito“.

Continue lendo

Brasil

Empregada é condenada após usar joia furtada em casamento

O furto foi descoberto depois que a mulher postou foto com a corrente nas redes sociais. Caso aconteceu em Santos, São Paulo.

Publicado em

Do Metrópoles
REPRODUÇÃO
REPRODUÇÃO

Uma empregada doméstica, identificada como Adriana Barreto dos Santos, de 39 anos, foi condenada por furtar joias, roupas, perfumes importados e dinheiro da residência de um empresário para o qual prestava serviço, em Santos, no litoral de São Paulo. A informação é do G1.

A mulher chegou a usar uma corrente com pingente de ouro levada do imóvel no dia de seu casamento – e publicou a foto nas redes sociais. As publicações serviram de prova.

Além da corrente usada no casamento, a esposa do empresário reconheceu outros acessórios e peças de roupa em outras fotos na rede social da empregada.

Em depoimento, a esposa do empresário conta que passou a perceber a falta dos objetos após ver Adriana usando um de seus brincos durante a jornada de trabalho na residência.

Através das câmeras de monitoramento, imagens mostram a empregada levando diversos pertences dos quartos e do escritório da residência. De acordo com o casal, a limpeza dos quartos da casa não eram de responsabilidade da condenada.

O casal procurou a empregada nas redes sociais e, em seu perfil no Facebook, encontrou diversas fotos usando acessórios, roupas e objetos que pertenciam à família. Eles se deram conta, então, que os furtos aconteceram entre o final de 2017 e agosto de 2018.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas