Astrônomos medem distância até galáxia vizinha com precisão inédita

Grande Nuvem de Magalhães está a 163 mil anos-luz.
Trabalho publicado na ‘Nature’ pode ajudar a estudar expansão do universo.

Ilustração mostra como funciona o binário de
eclipse (Foto: ESO/Divulgação)

Uma equipe internacional de astrônomos mediu, com precisão inédita, após quase uma década de observações, a distância entre a Via Láctea e uma de suas vizinhas mais próximas, a Grande Nuvem de Magalhães, e concluiu que ela fica a 163 mil anos-luz. O resultado será publicado na próxima edição da revista “Nature”.

Segundo Wolfgang Gieren, da Universidade de Concepción, no Chile, um dos líderes da pesquisa, o resultado tem uma margem de  precisão de 2%. O trabalho pode ajudar a determinar melhor a constante de Hubble, – a taxa de expansão do Universo – e compreender a energia escura, que faz acelerá-la. Os pesquisadores determinam o tamanho do universo medindo primeiro as distâncias a objetos próximos e, depois, as usam como escala para estimar distâncias maiores.

Uma vez que as estrelas da Grande Nuvem de Magalhães são usadas para fixar a escala de distâncias a galáxias mais distantes, a medição apresentada agora é considerada muito importante pelos autores.

Os astrônomos conseguiram fazer o cálculo mais preciso da distância até a Grande Nuvem de Magalhães observando pares raros de estrelas, chamadas binários de eclipse. Essas estrelas orbitam uma em torno da outra e, assim, vão passando também uma na frente da outra.

Quando isso acontece, visto da Terra, o brilho conjunto de cada binário diminui numa determinada proporção quando uma estrela passa em frente da outra, e em outra quantidade quando a mesma estrela passa por trás de sua companheira.

Ao detectar as variações no brilho e medir a velocidade orbital das estrelas, é possível determinar o tamanho delas, as suas massas e as características das suas órbitas. Combinando estes dados com medições do brilho total e da cor das estrelas, podem ser determinadas distâncias muito precisas.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA