Em imagem captada no dia 28 de fevereiro, Sol é visto com poucas manchas na superfície (Foto: Nasa/SDO)

A atividade do Sol em 2013 está abaixo do previsto pelos astrônomos, segundo a agência espacial americana (Nasa). Este ano é considerado o “máximo solar”, período de pico de atividade após um ciclo de 11 anos, em que há um aumento no número de manchas na superfície da nossa principal estrela.

Até agora, porém, esse auge não aconteceu, e as manchas estão bem aquém dos valores registrados em 2011. Além disso, as fortes explosões na camada mais externa do Sol estão pouco frequentes.

Em imagem captada no dia 28 de fevereiro, Sol é visto com poucas manchas na superfície (Foto: Nasa/SDO)

A imagem acima, feita pela sonda Observatório Solar Dinâmico (SDO), da Nasa, mostra o Sol do lado virado para a Terra, no dia 28 de fevereiro. Um equipamento da SDO chamado HMI – que estuda as oscilações da superfície e do campo magnético solares – registrou algumas pequenas manchas em uma região que, durante os picos de atividade, normalmente fica cheia desses pontos escuros.

Apesar da atividade considerada baixa, esta semana uma grande erupção solar lançou um fluxo de radiação em direção a Marte, o que levou a Nasa a desativar temporariamente o robô Curiosity. No passado, tempestades no Sol afetaram o funcionamento de aviões, satélites e serviços de GPS na Terra.

Deixe um comentário

Esta é uma área exclusiva para membros da comunidade

Faça login para interagir ou crie agora gratuitamente sua conta e faça parte.

Assine nossa newsletter

Receba as notícias do AssisNews diretamente em seu email.