Paraguaçuense conquista prêmio internacional por suas pesquisas em Física Teórica

A Distinção EPS Emmy Noether de Inverno de 2019 para Mulheres em Física é concedida à paraguaçuense Cristiane Morais Smith.

Os membros do júri da EPS Emmy Noether do inverno de 2019 decidiram atribuir a distinção Emmy Noether à paraguaçuense Cristiane Morais Smith, “por suas contribuições destacadas à teoria dos sistemas de matéria condensada e átomos ultrafrios para revelar novos estados quânticos da matéria”.

A Dra. Cristiane Morais Smith nasceu em 1964 em Paraguaçu Paulista (SP). Ela fez seus estudos de Bacharelado e Mestrado em Física Teórica. A maior parte de seu doutorado foi realizada na ETH Zurich, no campo de sistemas dissipativos quânticos. Após seu doutorado em 2004, ela passou por uma posição C1 de 6 anos na Universidade de Hamburgo, Alemanha. Antes do final desse período, ela retornou à Suíça, à Universidade de Fribourg, onde foi Maitre Assistante e depois Professora Associada, depois de receber o Professeur Boursier da Fundação Nacional de Ciência da Suíça em 2001. Em 2004, ela aceitou uma cadeira em Física da Matéria Condensada na Universidade de Utrecht, na Holanda. Ela foi premiada com a Bolsa VICI da Organização Holandesa de Pesquisa em 2008 e o Prêmio Dresselhaus da Alemanha em 2016. Ela recebeu um prêmio de Professor Visitante Especial “Ciência sem Fronteiras” do Governo Brasileiro de 2013-2016 e um HEFE (Especialista Estrangeiro de Alto Nível) do Governo Chinês em 2014 e 2015 para visitar o Centro Quântico de Wilczek. Atualmente é bolsista e membro do Conselho Consultivo Internacional do Instituto TD Lee em Xangai e membro convidado da Fundação Alexander von Humboldt.

Cristiane Morais Smith lidera um grupo de pesquisa em Sistemas Fortemente Correlacionados no Instituto de Física Teórica da Universidade de Utrecht, trabalhando em sistemas de baixa dimensão, variando de matéria condensada a átomos frios. Seu grupo foi pioneiro no desenvolvimento de uma descrição termodinâmica de isoladores e supercondutores topológicos, bem como o uso de uma formulação de eletrodinâmica quântica projetada para investigar fases topológicas impulsionadas por interações. Nos últimos anos, seu grupo tem desempenhado um papel importante no desenvolvimento de simuladores quânticos eletrônicos e metamateriais em colaboração com experimentalistas em Utrecht.

#MAIS LIDAS DA SEMANA