Aparelho Nexcor é um pouco maior que um celular (Foto: Corcam/Divulgação)

Um grupo de especialistas brasileiros desenvolveu um monitor cardíaco portátil inteligente, que permite o envio à distância de eletrocardiogramas, a localização do paciente para seu socorro e a detecção adiantada de problemas do coração.

Aparelho Nexcor é um pouco maior que um celular (Foto: Corcam/Divulgação)

O aparelho diminui a preocupação permanente dos pacientes de sofrer uma crise longe de um médico. Um deles é Eric Nielsen, um psicólogo de 36 anos com um sopro no coração que faz parte do grupo de teste do aparelho.

“Eu sei que ele está me vigiando, vê o que está acontecendo, e assim sei que meu coração está sendo observado”, disse à Agência Efe Nielsen, destacando que o monitor detecta irregularidades sem sintomas que ele não poderia notar.

O aparelho, que deve chegar este ano ao mercado com o nome de Nexcor, vigia os problemas cardíacos à distância e em tempo real, através de eletrocardiogramas que envia a uma central de controle. Também conta com um comunicador que permite ao paciente falar com um especialista de forma imediata se se sente mal.

“A diferença deste aparelho é que ele automaticamente detecta as alterações mais precoces das doenças cardíacas, não só a frequência, mas ele consegue buscar e fazer a avaliação do ritmo e das alterações”, assinalou à Efe o cardiologista Eli Szwarc, um dos encarregados de testar o equipamento.

O monitor é um aparelho um pouco maior do que um telefone celular que o paciente leva na cintura. ao qual vão conectados quatro eletrodos colocados em seu peito.

É o resultado de um trabalho conjunto durante cinco anos da Flextronics Instituto de Tecnologia (FIT), uma organização sem fins lucrativos, e a empresa Corcam, com participação do Hospital do Coração, de São Paulo, centro de referência cardiovascular do país.

No projeto trabalharam 40 profissionais, entre médicos, engenheiros, projetistas e pesquisadores.

O monitor, que transmite as informações automaticamente através das redes de telefonia celular, foi testado com mais de 160 pacientes do Hospital do Coração.

Antonio André, presidente da Corcam, disse à Efe que o monitor “pode identificar o infarto em fase inicial e síndromes raras de arritmia” através de um software que comunica esses dados, em tempo e localização real do paciente com a central, encarregada de passar a informação aos médicos.

Estados Unidos e Europa receberão este semestre os primeiros modelos produzidos, que serão alugados aos pacientes com um preço que pode rondar os R$ 600 reais por semana, segundo seus criadores.

“É um modelo que pode ser personalizado, de acordo com as condições específicas de cada paciente”, explicou André.

Szwarc, no entanto, considerou que a “detecção precoce” dos problemas cardíacos facilitada pelo monitor permite ao paciente ter um auxílio de emergência de “melhor qualidade” e aumentar as possibilidades de sobrevivência.

“O GPS integrado do aparelho pode, através da nossa central, enviar a equipe de emergência mais próxima ou detectar inclusive uma queda do paciente”, acrescentou.

Deixe um comentário

Esta é uma área exclusiva para membros da comunidade

Faça login para interagir ou crie agora gratuitamente sua conta e faça parte.

Assine nossa newsletter

Receba as notícias do AssisNews diretamente em seu email.

VOCÊ PODE GOSTAR

Entidades médicas esperam decisão da Anvisa sobre cigarro eletrônico

Estudos comprovam que dispositivos causam danos à saúde.

Aprovado piso de dois salários mínimos para agentes comunitários de saúde

Agentes comunitários de todo o país acompanharam as votações no Congresso.

Covid-19: Casos vão a 30.152.402 e mortes a 661.258

Desde o início da pandemia 96,3% dos infectados se recuperaram.