Fique conectado

Saúde

Surto da síndrome ‘mão-pé-boca’ deixa prefeitura de Assis em alerta

Depois da confirmação de que dez crianças de uma escola infantil pegaram a doença, Secretaria da Educação decidiu afastá-las por recomendação médica.

Publicado em

4.086

Criança com a síndrome da ‘mão-pé-boca’ e sua principal característica, as manchas que ficam na pele (Foto: Arquivo pessoal)

A Secretaria de Educação de Assis (SP) está em alerta depois que foram confirmados dez casos da síndrome “mão-pé-boca” em uma escola de ensino infantil da cidade.

A doença é contagiosa, e por isso, as crianças com idades a partir de um ano que foram infectadas precisaram ser afastadas das aulas da Emei Maria Adilecta Mello Ribeiro, seguindo uma orientação médica.

Segundo a prefeitura, não há registros da síndrome em outras unidades da cidade e todas as orientações de prevenção já foram passadas nas escolas para os pais.

A síndrome “mão-pé-boca” é considerada muito comum no período de aulas e pode se espalhar ainda com mais facilidade devido ao tempo seco. Os principais sintomas são feridas na boca, além de erupções nas mãos e nos pés.

Na região, um surto semelhante da doença aconteceu recentemente em Ourinhos, o que obrigou uma creche da cidade a mudar a rotina com relação aos cuidados com a prevenção.

Região

Paraguaçu Paulista registra primeira morte suspeita de gripe

Mulher de 65 anos estava internada no Hospital de Caridade de Paraguaçu e não havia tomado a vacina contra a gripe; a campanha prossegue até o próximo dia 31 em todas as unidades de Saúde.

Publicado em

Silvana Paiva
Paraguaçu Paulista registra primeira morte suspeita de gripe

Foi registrada a primeira morte suspeita por gripe H1N1 em Paraguaçu Paulista, nesta quinta-feira (23), de acordo com a informação do Departamento de Saúde. Trata-se de uma mulher de 65 anos, cujo nome não foi divulgado, que não tomou a vacina contra a gripe e que estava internada na UTI – Unidade de Terapia Intensiva – do Hospital de Caridade de Paraguaçu.

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Saúde, conforme informação da Vigilância Epidemiológica, que reforça o alerta de prevenção. “Chamo a atenção, principalmente, para a importância da vacinação em crianças de seis meses a menores de seis anos, idosos e gestantes. Esse grupo é considerado prioritário, pois é formado de pessoas mais vulneráveis e que correm maior risco de óbito se contraírem a gripe H1N1 e não estiverem vacinadas”, orientou a coordenadora do setor de Vigilância Epidemiológica do Departamento de Saúde, Gisele Oliveira.

Longe da meta

A uma semana do fim da campanha já que a vacinação segue até o dia 31 de maio, apenas 68% do público-alvo se vacinou contra a gripe em todo o país.

Em Paraguaçu Paulista foram vacinados 78% do público-alvo, sendo que a meta é 90%. Desse percentual, os que se vacinaram até agora está assim: crianças são 54%; gestante 68%; idosos 74%; trabalhadores da Saúde 117%; professores 106%; crônicos 64%; e puérperas 84%.

Na região, o índice também não é dos melhores: 65%. E no estado de São Paulo, 62% do público-alvo foram vacinados. Todos os dados são do Ministério da Saúde e estão atualizados até o último dia 23 de maio.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza, que teve início no dia 10 de abril, continua até o fim da próxima semana, no dia 31 de maio. “A vacina está disponível de graça nas unidades de saúde de todo município. Para diminuir a circulação do vírus é preciso que todas as pessoas que fazem parte do público prioritário da campanha se vacinem. A vacina é a forma mais eficaz de evitar a doença”, afirmou a diretora de Saúde de Paraguaçu Paulista, Cristiane Bonfim.

O H1N1 é um subtipo da influenza, agente causador da gripe. O vírus é dividido em tipos e subtipos. As letras (A e B, por exemplo) referem-se ao tipo, já as formas (H3N2, H1N1) são subtipos. Segundo o Ministério da Saúde, todos são igualmente preocupantes, sem uma maior letalidade em nenhum deles.

O público-alvo para vacinação contra a gripe é composto por:

– Pessoas com 60 anos ou mais

– Mulheres com até 45 dias do parto

– Trabalhadores da área da saúde

– Professores de escolas públicas e privadas

– Povos indígenas

– Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais

– Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade em medida socioeducativa

– População privada de liberdade

– Servidores do sistema prisional

A escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Continue lendo

Saúde

Cândido Mota confirma 61 casos de dengue

Prefeitura reafirma pedido de apoio da população no combate ao mosquito ‘aedes aegypti’.

Publicado em

De O Diário do Vale

O município de Cândido Mota chegou ontem a 61 casos confirmados de dengue nesta quinta-feira. A informação foi dada pela Secretaria de Saúde, que confirmou a tendência de crescimento nos casos da doença. Até uma semana atrás eram 38 pessoas doentes. “Precisamos que a população se mantenha firme nas ações de combate ao mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, da febre amarela e da chikungunya”, disse o prefeito Roberto Bueno.

O boletim epidemiológico atualizado neste dia 23 indica também que foram feitas 315 notificações, sendo 176 negativas, 78 aguardando coleta/resultado e 20 recusas à realização da sorologia de dengue. Segundo a secretária de Saúde Amanda Mailio Santana, o município continua priorizando as ações de controle dos criadouros do aedes aegypti. “A equipe da Vigilância Epidemiológica continua atuando firme no controle de criadouro nas regiões onde os casos foram positivados e foram encontradas larvas”, disse.

A secretária destacou que dentre às inúmeras atividades que vêm sendo realizadas no município, estão as apresentações do grupo de teatro da VE de Cândido Mota. Ele está se apresentando nas escolas, falando da necessidade da prevenção. O grupo já esteve na escola ‘João e Maria’ e no Projeto Guri. Além disso, segundo Amanda Mailio, a Secretaria da Saúde desenvolve outras atividades, como o tratamento e remoção de criadouros, bloqueio de casos, processos educativos permanentes, mutirão de limpeza, limpeza de fundos de área verde, trabalhos educativos em escolas e moradores.

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Talita Franciscani, ressaltou que a ‘dengue é uma doença preocupante e que o município precisa da ajuda da população para combatê-la’. “A Secretaria de Saúde vem agindo sistematicamente e a nossa preocupação é que muitos focos do mosquito estão nas residências. Portanto, essa luta contra o aedes aegypti é de todos nós”, alertou Talita Franciscani.

Ela alerta ainda que a população precisa adotar os cuidados, evitando acúmulo de água parada, lixo e entulhos nos quintais, limpeza de terrenos e caixas d’água.

Por fim, o prefeito Roberto Bueno reafirmou a preocupação da administração pública municipal com a dengue. Estamos em uma luta constante contra o mosquito aedes aegypti. Temos realizado campanhas nos bairros da cidade, distrito e patrimônio, recolhendo materiais inservíveis, evitando que se tornem focos do mosquito. A equipe da Vigilância Epidemiológica realiza as mais diferentes ações, como visita de agentes de vetores em residências, pontos estratégicos e imóveis especiais, capacitações, palestras, ações de conscientização a população através da imprensa escrita e falada, enfim, preocupação rotineira e constante. Um dos nossos principais trabalhos é sensibilizar a população sobre o perigo que o mosquito oferece à saúde. É fundamental que os moradores deixem as equipes entrarem nas casas, nos quintais, para desenvolverem a ação”, finalizou o prefeito.

Continue lendo

Saúde

ESF do Parque Universitário altera expediente para reforma do prédio

Durante esse período, os pacientes que necessitarem de atendimento devem se dirigir ao PA do Maria Isabel.

Publicado em

Do AssisNews
ESF do Parque Universitário altera expediente para reforma do prédio

A Prefeitura de Assis através da Secretaria Municipal de Saúde comunica que no período de 24 até 28 de maio, a Estratégia Saúde da Família do Parque Universitário ficará fechada por motivos de reformas no prédio.

O atendimento ao público retorna normalmente na quarta-feira, 29.

Durante esse período, os pacientes que necessitarem de atendimento devem se dirigir ao Pronto Atendimento Maria Isabel.

Continue lendo
Silvana lopes
Solutudo 300
WhatsAssp AssisNews
Plenitude
Publicidade

FaceNews

Mais lidas