Dirigente da Acia acredita que novo Sistema estimula vendas

De acordo com o Banco Mundial países que adotaram o cadastro positivo conseguiram reduzir a inadimplência em até 43%.

Para João Antonio Binato, este tipo de consulta deve estimular vendas mais seguras.

Com o crescimento do Cadastro Positivo que passou a contar com as instituições financeiras a abastecer o sistema com as informações creditícias dos clientes, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Assis, João Antônio Binato, acredita que este tipo de consulta deve estimular vendas mais seguras. “Não tenho dúvidas de que em breve este tipo de informação será importante para os comerciantes e para os consumidores”, disse o dirigente ao tomar conhecimento do funcionamento do sistema. A partir deste mês os dados serão fornecidos por bancos, financeiras e administradoras de leasing.

Na prática, quando um cliente, pessoa física ou jurídica, buscar um agente financeiro para ter um empréstimo ou fazer um financiamento, será questionado se deseja ter o próprio histórico de pontualidade de pagamento de dívidas incluído no cadastro positivo. Caso aceite, o histórico poderá ser acessado por lojas, bancos, prestadoras de serviços e pelas financeiras. Por exemplo, imagine que aquele cliente, que autorizou a inclusão das informações no cadastro positivo, resolva parcelar a compra de um calçado. Durante a transação, antes de pagar, o lojista acessará o histórico de pontualidade de pagamento do cliente.

Caso as contas estejam em dia, o lojista poderá oferecer vantagens a ele, como um prazo maior para o pagamento. “Na esperança de que a chance de não receber sejam as mínimas”, falou o dirigente. “Com o tempo a expectativa é que o cadastro, ao valorizar os bons pagadores dos maus pagadores, crie um cenário mais saudável para o mercado de crédito”, disse João Antônio.

De acordo com o Banco Mundial países que adotaram o cadastro positivo conseguiram reduzir a inadimplência em até 43%. Estados Unidos, China, México Alemanha e Chile são alguns dos países que adotaram esse modelo. Nesses países também foi observado o aumento no acesso ao mercado de crédito após a implantação do cadastro. O cadastro positivo está ativo desde junho de 2011, quando a Lei n° 12.414/11 foi aprovada. Até então, era abastecido com dados coletados pelos próprios birôs e pelo varejo, a partir deste mês, o setor financeiro também irá municiá-lo com informações dos clientes. As informações creditícias de um consumidor só poderão constar do cadastro com autorização dele.

O próprio consumidor poderá acessar as informações, a qualquer momento, gratuitamente e a qualquer momento, segundo Alair Mendes Fragoso, ao lembrar que o cadastro conterá: o número de contratos de empréstimos, valores contratados, número de parcelas, valor de cada parcela, data de vencimento das parcelas, além de informações sobre renda, renda comprometida, profissão, empregador, hábito de pagamento e compromissos assumidos e vigentes.

#MAIS LIDAS DA SEMANA