Comércio de Assis fica aberto em horário especial nesta sexta-feira

Alteração no horário é devido às comemorações do Dia dos Pais.

Faltando poucos dias para o próximo domingo, Dia dos Pais, as lojas do comércio de Assis se preparam para receber os consumidores em horário especial de atendimento nesta sexta-feira, dia 9 de agosto, até às 22 horas. No sábado, 10, o horário será das 9h às 17 horas, de acordo com calendário sugestivo da ACIA – Associação Comercial e Industrial de Assis.

O Dia dos Pais é a quarta mais importante do calendário festivo e costuma movimentar especialmente os segmentos de confecção, calçados, eletroeletrônicos e perfumaria. Segundo um levantamento realizado pelo Google, 41% das pessoas pretendem comprar os presentes na véspera ou até na própria data e 38% planejam gastar mais com a “lembrança” do papai em 2019.

O diretor do Comércio da ACIA, Nilson Mello, recomenda aos lojistas que ainda dá tempo de caprichar na vitrine, na página na internet ou redes sociais, visando incremento no faturamento no período.

“O mês de agosto se beneficia dessa tradição em se presentear os pais, o que costuma representar um bom reforço no movimento. Mas é preciso aproveitar o apelo da data para atrair o cliente. Sempre é possível conseguir bons resultados com criatividade. É fundamental que o lojista invista em uma bela vitrine e, por exemplo, nos meios que facilitam a forma de pagamento”, afirma.

Dados nacionais

Levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) nas 27 capitais brasileiras constatou que 67% dos consumidores pretendem ir às compras em razão do Dia dos Pais. A taxa representa um aumento de seis pontos percentuais em relação a 2018. Na prática, isso significa que aproximadamente 105 milhões de pessoas devem comprar presentes para o segundo domingo de agosto. O valor que os entrevistados pretendem desembolsar com os “mimos” também subiu: em média, pretende-se gastar R$ 189,98, R$ 41 a mais do que em 2018 – gerando no comércio um movimento de cerca de R$ 20 bilhões.

#MAIS LIDAS DA SEMANA