Fique conectado

Economia

Inadimplência do consumidor registra a maior queda mensal no ano, revela Serasa Experian

Melhora da condição financeira do consumidor e quantidade de dias úteis abaixo do usual em setembro levaram ao recuo do índice

Publicado em

181

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor caiu 1,9% em setembro deste ano, na comparação com o mês anterior, e registrou a quarta e maior queda mensal de 2012. Na relação anual – setembro deste ano contra o mesmo mês do ano anterior –, a inadimplência do consumidor registrou crescimento de 8,2%. Em agosto/12 a alta frente a agosto/11 havia sido de 7,0%.

 

No acumulado do ano – janeiro a setembro de 2012 frente ao mesmo período de 2011 – a inadimplência cresceu 15,3%, menor que a alta de 23,4% ocorrida no período acumulado de janeiro a setembro de 2011.

 

Segundo os economistas da Serasa Experian, a queda na análise mensal é resultado de um período positivo para o consumidor, em consequência de juros mais baixos no crédito; intensificação da portabilidade de dívidas; maior interesse em renegociar dívidas; lotes recordes de restituição do Imposto sobre a Renda; antecipação da 1ª parcela do 13º salário para aposentados e pensionistas e, mais recentemente, a redução dos juros no rotativo do cartão de crédito.

 

Também contribuiu para o recuo do indicador a quantidade menor que a usual do número de dias úteis de setembro de 2012, afetando principalmente as negativações oriundas dos protestos e dos cheques devolvidos pela segunda vez por falta de fundos.

 

A alta de 15,3% na comparação entre os acumulados confirma o menor ritmo de crescimento da inadimplência do consumidor, considerando duas conjunturas econômicas distintas. Nesse mesmo período de 2011, os juros no crédito eram mais elevados, a inadimplência crescia e o comprometimento da renda do consumidor seguia na mesma direção, ao contrário do atual momento da economia brasileira.

 

Decomposição do Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor

setembro 2012 X agosto 2012

Dívidas não bancárias

Bancos

Protestos

Cheques

Total

Variação (%)

-2,0

1,4

-28,6

-15,0

-1,9

Peso (%)

43,4

46,6

1,3

8,8

100

Contribuição (p.p.)

-0,9

0,6

-0,4

-1,3

-1,9

 Fonte: Serasa Experian

 

Os cheques sem fundos e as dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica, água etc.) puxaram a queda do indicador em setembro de 2012, com variações negativas de 15,0% e 2,0% e contribuições negativas de 1,3 p.p. e 0,9 p.p., respectivamente. Os títulos protestados também contribuíram, com queda de 28,6% e contribuição negativa de 0,4 p.p. A queda do indicador só não foi maior porque as dívidas com os bancos apresentaram alta de 1,4% e contribuíram no indicador com 0,6 p.p.

 

Valor médio das dívidas com os bancos tem queda

 

O valor médio das dívidas com os bancos apresentou queda de 1,9% de janeiro a setembro de 2012, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Já o valor médio das dívidas não bancárias, os títulos protestados e os cheques sem fundos tiveram alta de 1,0%, 7,4% e 12,0%, respectivamente. Veja a tabela abaixo:

 

Modalidades de Inadimplência

Valor médio das dívidas Jan a Set 2011

Valor médio das dívidas Jan a Set 2012

Variação

Dívidas com os bancos

R$ 1.323,54

R$ 1.298,54

-1,9%

Dívidas não bancárias

R$ 327,59

R$ 330,81

1,0%

Títulos protestados

R$ 1.358,22

R$ 1.458,58

7,4%

Cheques sem fundos

R$ 1.342,78

R$ 1.503,91

12,0%

 Fonte: Serasa Experian

Metodologia do Indicador

 

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional. Considera as variações registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados, dívidas vencidas com bancos e dívidas não bancárias (lojas em geral, cartões de crédito, financeiras, prestadoras de serviços como fornecimento de energia elétrica, água, telefonia etc.) em todo o país. Por levar em conta o inadimplemento das pessoas físicas nas mais diversas modalidades – e não apenas dentro do sistema financeiro –, o índice da Serasa Experian consegue capturar movimentos cíclicos de inadimplência, que, muitas vezes, revelam ocorrências que vão se manifestar no sistema bancário dentro de 6 a 12 meses.

Publicidade

Economia

Caixa inicia pagamento do PIS para nascidos em março e abril

Os valores variam de R$ 88 a R$ 1.045 de acordo com a quantidade de dias trabalhados durante o ano base 2018.

Publicado em

Agência da Caixa: nova tabela reajustou abono de acordo com o novo valor do salário mínimo (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A Caixa inicia nesta quinta-feira (13), o pagamento do Abono Salarial (Programa de Integração Social – PIS) calendário 2019/2020, para os trabalhadores nascidos nos meses de março e abril. Os valores variam de 88 reais a 1.045 reais, de acordo com a quantidade de dias trabalhados durante o ano base 2018.

Quem tem conta na Caixa com cadastro atualizado e movimentação receberam o crédito automático antecipado no dia 11.

Os pagamentos são escalonados conforme o mês de nascimento do trabalhador e começaram em julho, com os nascidos naquele mês. O prazo final para o saque do abono salarial do calendário de pagamentos 2019/2020 é 30 de junho de 2020.

São mais de 3,6 milhões de trabalhadores nascidos em março e abril, totalizando 2,7 bilhões de reais em recursos. O valor do benefício pode ser consultado no aplicativo Caixa Trabalhador, no site da Caixa ou pelo atendimento 0800 726 0207.

Confira todas as datas:

Nascidos em Início dos pagamentos Crédito em conta
Agosto 15/08/2019 13/08/2019
Setembro 19/09/2019 17/09/2019
Outubro 17/10/2019 15/10/2019
Novembro 14/11/2019 12/11/2019
Dezembro 12/12/2019 10/12/2019
Janeiro 16/01/2020 14/01/2020
Fevereiro 13/02/2020 11/02/2020
Março 19/03/2020 17/03/2020
Abril 19/03/2020 17/03/2020

Novo valor

O valor do abono salarial foi reajustado de acordo com o novo valor do salário mínimo, conforme a tabela abaixo:

Proporção (meses trabalhados) Valor Abono 2020 Salário R$ 1.045,00
1 R$ 88,00
2 R$ 175,00
3 R$ 262,00
4 R$ 349,00
5 R$ 436,00
6 R$ 523,00
7 R$ 610,00
8 R$ 697,00
9 R$ 784,00
10 R$ 871,00
11 R$ 958,00
12 R$ 1.045,00

Quem tem direito ao saque:

Tem direito ao benefício o trabalhador inscrito no PIS há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2018, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.

É necessário que os dados estejam corretamente informados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), ano base 2018.

Quem possui o Cartão do Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir a uma casa lotérica, a um ponto de atendimento Caixa Aqui ou aos terminais de autoatendimento do banco.

Caso não tenha o Cartão do Cidadão e não tenha recebido automaticamente em conta Caixa, o valor pode ser retirado em qualquer agência do banco, apresentando o documento de identificação oficial com foto.

O trabalhador com vínculo a empresa pública possui inscrição Pasep e recebe o pagamento pelo Banco do Brasil.

Continue lendo

Economia

Caixa libera FGTS a não correntistas nascidos em setembro e outubro

Trabalhador pode consultar valor disponível para saque no site do banco, informando o número do NIS/PIS/Pasep ou CPF.

Publicado em

Do r7.com

A Caixa Econômica Federal libera o saque imediato dos R$ 500 de contas ativas e inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para trabalhadores nascidos em setembro e outubro nesta sexta-feira (6).

Os trabalhadores podem consultar se têm valores a sacar no site da Caixa, informando número do NIS/ PIS/ Pasep ou CPF e senha.

O montante pode ser sacado até dia 31 de março de 2020.

Os correntistas da Caixa já receberam os valores automaticamente.

Como sacar o FGTS

• Lotéricas
Até R$ 100: documento de identificação válido + número do CPF.
Até R$ 500: documento de identificação válido + número do CPF + senha do cidadão• Autoatendimento
Até R$ 500: número do CPF + senha do cidadão.

• Agência
Até R$ 500: documento de identificação válido.

• Correspondentes
Até R$ 500: número do CPF + cartão cidadão + senha do cartão.

O calendário de saques termina em 18 de dezembro deste ano. O Congresso Nacional aprovou o aumento do saque de R$ 500 para R$ 998 (um salário mínimo). No entanto, para entrar em vigor, o texto precisa ser assinado pelo presidente Jair Bolsonaro. Caso aprovado, os trabalhadores que já realizaram o saque do FGTS poderão sacar a diferença em um novo calendário.

Horário de atendimento
As agências da Caixa vão trabalhar em horário estendido devido aos saques desta sexta-feira.

Os locais que normalmente abrem às 8h funcionarão até 1 hora depois do expedimento convencional. Já as agências que abrem às 9h, às 10h ou às 11h vão abrir uma hora antes. O horário é válido para sexta e segunda-feira (9).

Continue lendo

Economia

Trabalhou em 2018? Pode receber até R$ 998 no 5º lote do abono salarial

O PIS é administrado pela Caixa Econômica Federal e o Pasep pelo Banco do Brasil.

Publicado em

Do AssisNews
Trabalhou em 2018? Pode receber até R$ 998 no 5º lote do abono salarial

O quinto lote do PIS/Pasep será liberado pelo governo federal nesta quinta-feira (14).

Para ter direito, é preciso preencher alguns requisitos, como ter ganho em média até dois salários mínimos por mês.

O valor pago é de até um salário mínimo (R$ 998 em 2019) e varia de acordo com o tempo trabalhado.

Se a pessoa trabalhou o ano todo, recebe um salário mínimo. Se trabalhou um mês, ganha proporcionalmente: 1/12 do mínimo.

Desta vez, serão contemplados trabalhadores do setor privado nascidos em novembro, além de servidores públicos com benefício final 4.

O PIS é administrado pela Caixa Econômica Federal e o Pasep pelo Banco do Brasil.

Os nascidos entre julho e dezembro vão receber o abono ainda neste ano.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas