Atividade econômica acumula expansão de 1,0% no ano, revela Serasa

Setor de serviços e consumo sustentam a alta da atividade econômica no ano

O Indicador Serasa Experian de Atividade Econômica apresentou crescimento de 0,2% em setembro/12 na comparação com o mês imediatamente anterior (agosto/12), já descontadas as influências sazonais. Com isto, o crescimento da atividade econômica brasileira acumulou expansão de 1,0% nos três primeiros trimestres de 2012 em comparação com o mesmo período do ano passado. Com relação ao terceiro trimestre de 2012, a alta da atividade econômica verificada frente ao segundo trimestre foi também de 1,0%, já descontados os fatores sazonais.

Segundo os economistas da Serasa Experian, o terceiro trimestre representou um momento de reativação da atividade econômica após um período de baixo dinamismo verificado desde o início do segundo semestre do ano passado. Reduções sistemáticas das taxas de juros, incentivos fiscais em setores específicos (veículos, linha branca, etc.), estabilização da inadimplência e mercado de trabalho aquecido têm ajudado a impulsionar a economia a partir do segundo semestre deste ano.

Do ponto de vista da oferta agregada, o setor de serviços, acumulando crescimento de 2,0% nos primeiros nove meses de 2012, surge como o principal motor da atividade econômica em 2012. Por outro lado, o crescimento da atividade econômica não tem sido mais intenso devido aos recuos de 1,9% e de 0,8% verificados tanto na atividade agropecuária quanto no setor industrial, respectivamente.

Pelo lado da demanda agregada, o consumo do governo, com crescimento acumulado de 4,1% no ano até setembro e o consumo das famílias, com alta de 3,2% para este mesmo período, têm tido importante papel na sustentação da atividade econômica em 2012. Já os investimentos (formação bruta de capital fixo) estão apresentando fraco desempenho em 2012, acumulando retração de 4,4% nos nove primeiros meses deste ano, sendo o principal fator a pesar negativamente sobre o desempenho da atividade econômica neste ano.

Por fim, as variáveis relativas ao setor externo (exportações e importações de bens e serviços) oscilaram próximo à estabilidade no acumulado do ano até setembro, com variações de -0,5% para as exportações e de +0,5% nas importações.

#MAIS LIDAS DA SEMANA