Cartão Recomeço financia recuperação de dependentes químicos

Benefício de R$ 1.350,00 mensais será concedido a usuários que buscarem ajuda voluntariamente; inicialmente serão distribuídos 3 mil cartões

Geraldo Alckmin

O governador Geraldo Alckmin lançou nesta quinta-feira, 9 de maio, o Cartão Recomeço, benefício destinado à recuperação voluntária de dependentes químicos. Inicialmente serão distribuídos 3 mil cartões que custearão o atendimento em entidades escolhidas pelo Estado por meio de edital. O valor do benefício é de R$ 1.350,00 mensais.

O Cartão Recomeço é uma iniciativa para ampliar e facilitar o acesso ao atendimento dos usuários de drogas em entidades especializadas, que prestam serviços de acolhimento, recuperação e reinserção social. “Estamos dando mais um passo na direção correta para enfrentar esse grande desafio do mundo moderno que é o consumo de crack, que virou uma epidemia e o Estado não pode se omitir frente a uma situação como essa”, enfatizou o governador. O investimento mensal do Estado com o cartão passa de R$ 4 milhões.

Para esta primeira fase do Programa Recomeço, foram escolhidas 11 cidades: Diadema, Sorocaba, Campinas, Bauru, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Presidente Prudente, São José dos Campos, Osasco, Santos e Mogi das Cruzes. Os critérios usados para a escolha dos municípios foram o tamanho da rede de referência em assistência social e saúde e a localização nas regiões-polo.

As entidades de acolhimento serão escolhidas por sua capacitação técnica. Para isso, será lançado um edital. Uma vez definida a entidade, os serviços de assistência das prefeituras das cidades escolhidas farão o cadastramento e o direcionamento dos usuários de drogas para receber o cartão. A duração do benefício é de até 180 dias, considerado por especialistas o tempo adequado para a recuperação do dependente. O cartão somente poderá ser usado nas entidades para o custeio da recuperação. Não há possibilidade de outro uso comercial.

O Cartão Recomeço será concedido aos usuários maiores de 18 anos que forem considerados aptos para o acolhimento social. As entidades de acolhimento serão escolhidas por sua capacitação técnica.

A coordenação do Programa será feita por um Grupo Gestor, comandado pelo doutor Ronaldo Laranjeira, referência no atendimento de dependentes químicos e professor titular do Departamento de Psiquiatria da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). O Grupo será formado por representantes das secretarias de Estado de Desenvolvimento Social, da Justiça e Defesa da Cidadania, e da Saúde.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA