Dirigente analisa arrecadação de R$ 1 trilhão em impostos

O ano de 2013 terá uma arrecadação tributária nominal superior a de 2012, com crescimento nominal de aproximadamente 2%.

O presidente da Acia, João Antõnio Binato

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Assis (Acia), João Antõnio Binato, analisou a marca de R$ 1 trilhão arrecadada pelo Governo no dia 27 de agosto, três dias antes do arrecadado no ano passado.

“Pelo sexto ano consecutivo, a arrecadação tributária brasileira ultrapassa a marca de R$ 1 trilhão”, disse o dirigente que considera elevadíssima pelo pouco tempo de arrecadação. “Quando começamos a mensurar o valor de impostos arrecadados com o placar eletrônico em 2008, a marca de um trilhão de reais foi atingida pela primeira vez no dia 13 de dezembro”, recordou o dirigente ao observar a diminuição do período arrecadado, pois, em 2009 a marca foi atingida dia seis de dezembro; em 2010 no dia 18 de outubro; em 2011 no dia 13 de setembro e no ano passado dia 29 de agosto”, falou.

O ano de 2013 terá uma arrecadação tributária nominal superior a de 2012, com crescimento nominal de aproximadamente 2%. A arrecadação total deste ano será próxima de R$ 1,62 trilhão, com uma queda real de 5% em relação ao ano anterior, de acordo com a previsão dos especialistas. “Individualmente, o tributo de maior arrecadação é o ICMS, com 20,66% do total, seguido da contribuição previdenciária para o INSS com 18,02%, do Imposto de Renda com 17,17% e da Cofins com 10,84%”, analisou o dirigente da ACE de Pompeia e da Facesp. De acordo com as estatísticas comparativas do valor arrecadado, a média de arrecadação diária totaliza R$ 4,72 bilhões, sendo que por segundo é arrecadado o valor de R$ 54.633,48. Até 27 de agosto de 2013, cada brasileiro já pagou R$ 5.117,86 em tributos. Até o final do ano, cada brasileiro terá pago aproximadamente R$ 8.202,00.

A região Sudeste concentra 63,52 de toda a arrecadação, seguida da região Sul com 13,41%, região Centro-Oeste com 10,61%, região Nordeste com 9,07%, e região Norte com 3,39%. São Paulo é o estado com maior arrecadação, com 37,58%, seguido do Rio de Janeiro com 16,17%, Minas Gerais com 6,98%, Distrito Federal com 6,92%, Paraná com 5,38% e Rio Grande do Sul com 4,91%. Os estados com menor arrecadação são Acre com 0,12% do total, Amapá com 0,11%, e Roraima com 0,09%.

R$ 1 TRILHÃO CORRESPONDE
Empilhadas: à altura de 3.333.333 prédios de 100 andares cada um; colocadas em seqüência: preencher 93% da distância da Terra ao Sol; colocadas lado a lado: 3.493 voltas na Terra; daria para preencher a metragem quadrada de 1.443.000 campos de futebol do tamanho do Maracanã; se cada nota fosse um litro de água, corresponderia à vazão de 56 horas das Cataratas do Iguaçu; preencher a metragem quadrada de 8 cidades do tamanho de São Paulo. “Não importa a comparação, trata-se de muito dinheiro”, frisou Binato.

#MAIS LIDAS DA SEMANA