Raízen é processada em R$ 10 milhões por morte de trabalhador

Os fiscais aplicaram 15 multas por irregularidades relacionadas à falta de segurança do trabalho.

O empregado da Raízen morreu em abril de 2012 quando fazia a manutenção de um evaporador da usina, que explodiu subitamente

O Ministério Público do Trabalho em Bauru ingressou com ação civil pública contra a Raízen Energia, maior produtora de açúcar e etanol do mundo, por omissão na morte de um trabalhador em uma das unidades fabris da empresa em Barra Bonita (SP), conhecida como Usina da Barra, uma das maiores da América Latina. O valor da causa é R$ 10 milhões.

O procurador Luis Henrique Rafael alega, com base em autos de infração aplicados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, que a empresa não capacitou o trabalhador para o manuseio de máquinas e também não instituiu procedimentos de segurança.

O empregado da Raízen morreu em abril de 2012 quando fazia a manutenção de um evaporador da usina, que explodiu subitamente. Segundo apurado pela perícia do MTE, o meio ambiente de trabalho era inseguro.

Os fiscais aplicaram 15 multas por irregularidades relacionadas à falta de segurança do trabalho. O vaso de pressão, dispositivo responsável pela explosão, não possuía registro, nem trava de segurança e ainda não havia passado por inspeção periódica. Além disso, os empregados não são capacitados e não havia procedimento ou instrução de trabalho para as atividades desenvolvidas no momento do acidente.

“A situação descrita pelos fiscais revela que a empresa vem sonegando direitos mínimos e indisponíveis dos seus empregados, sem que haja o saneamento das irregularidades”, afirma Luis Henrique.

Pedidos
O MPT pede a condenação da Raízen ao pagamento de R$ 10 milhões por danos morais coletivos, “pela exposição ao risco, durante anos, de acidentes de trabalho e doenças profissionais”.

Consta dos pedidos liminares o ajuste da conduta da empresa em todos os quesitos levantados pelos fiscais, especialmente relacionados à segurança no ambiente de trabalho (em especial os vasos de pressão) e à capacitação de funcionários.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA