Sistema solar reduz conta de energia de empresário assisense

A radiação captada é convertida através de um equipamento chamado inversor que distribui a energia para o relógio de força do imóvel.

Sistema fotovoltaico instalado no estabelecimento comercial (Foto: Reprodução/Record Paulista/Ayrton Rodrigues)
Sistema fotovoltaico instalado no estabelecimento comercial (Foto: Reprodução/Record Paulista/Ayrton Rodrigues)

O empresário assisense Nemitala José Boltros, proprietário de uma esfiharia em Assis (SP) não estava satisfeito com o valor de sua conta de energia que era mais de R$ 2 mil por mês, um gasto bastante elevado nessa época de crise.

Por este motivo, o empresário resolveu investir em um sistema solar de produção de energia elétrica. Trinta e duas placas fotovoltaicas foram instaladas no telhado do estabelecimento que se tornou uma estação produtora de energia.

A radiação captada pelas placas é convertida através de um equipamento chamado inversor que distribui a energia para o relógio de força do imóvel e o excedente é distribuído na rede elétrica que passa pela rua.

Desta forma, além de reduzir a conta do estabelecimento comercial para a tarifa mínima exigida pela empresa distribuidora ele passou a ser um fornecedor de energia elétrica e a energia excedente volta para o consumidor em forma de crédito.

Proprietário da Tenda Árabe, Nemitala (Foto: Reprodução/Record Paulista/Ayrton Rodrigues)
Proprietário da Tenda Árabe, Nemitala (Foto: Reprodução/Record Paulista/Ayrton Rodrigues)

“É um modo pra gente começar a economizar, o gasto estava muito alto e agora daqui dois, três anos o investimento estará tudo pago” conta o empresário.

Ainda de acordo com Nemitala, o investimento é um tanto quanto alto. “O investimento completo custou R$ 75 mil, mas acredito que em menos de cinco anos teremos o retorno do gasto investido” explica.

Cada placa tem vida útil de pelo menos 20 anos e além da economia o sistema pode representar lucro para o investidor a longo prazo.

De acordo com Dario José de Almeida, responsável pela instalação do equipamento, o modelo implantando em Assis é o primeiro da região e a tendencia é que a produção própria de energia cresça consideravelmente no Brasil como já acontece em outros países. “Essa é uma novidade no Brasil, mas já se destaca muito na Alemanha, Itália e outros países que se utilizam bastante dessa tecnologia e no Brasil ainda é muito pouco utilizada” conta.

Proprietário da Eletrônica Xavier, Dário (Foto: Reprodução/Record Paulista/Ayrton Rodrigues)
Proprietário da Eletrônica Xavier, Dário (Foto: Reprodução/Record Paulista/Ayrton Rodrigues)

#MAIS LIDAS DA SEMANA