Fique conectado

*

Índice de rotatividade de empregados no comércio de Assis é alto, aponta SINCOVAMA

Levantamento da taxa de rotatividade de trabalhadores no comércio varejista de Assis foi realizado pelo SINCOVAMA e Fecomércio.

Publicado em

200

Índice de rotatividade de empregados no comércio de Assis é alto, aponta SINCOVAMA

Um dos maiores desafios do mercado de trabalho formal brasileiro são as altas taxas de rotatividade da mão de obra. Conhecida também como “turnover”, a rotatividade é a movimentação de trabalhadores medida por determinado período, em relação ao estoque de vínculos celetistas de uma economia ou setor, em local específico.

De forma bem direta, a rotatividade significa custo. São custos para o recrutamento e seleção, custos administrativos para admissão, treinamentos e integração e também aos desligamentos.

De forma bastante clara, o cálculo anual da taxa de rotatividade, segundo o próprio Ministério do Trabalho, é obtido utilizando o menor valor entre o total de admissões e desligamentos sobre o total de empregos no 1º dia do período avaliado. Pesquisas da própria FecomercioSP mostraram que o comércio varejista possui uma das maiores taxas de rotatividade de mão de obra formal no Estado de São Paulo. Ficando por muitas vezes aos patamares mensais de 4% ou próximo aos 50% anuais. Como referência, os líderes são Construção Civil e Agropecuária, com taxas mensais que rondam, respectivamente, 6,5% e 4,5%.

No comércio varejista de Assis o turnover atingiu seu ápice anual em 2013, aos 51,5%.
Depois deste ano há uma queda para os 31,1% do ano passado. Em 2017, pelos dados disponíveis, não parece que o indicador será muito distinto do aferido no ano de 2015. 

Ressalta-se que naturalmente a taxa de rotatividade acompanha o desempenho da geração de vagas. Em momentos de crescimento do emprego, como ocorrido no comércio varejista de Assis até 2013, as admissões superam os desligamentos (saldo positivo de vagas). Com isso utiliza-se exatamente os dados de desligamentos para compor o indicador. Com emprego em alta, os desligamentos também ficam elevados, pois há mais confiança do trabalhador para troca de postos de trabalho. Em momentos de baixa do mercado de trabalho, como em 2016, as admissões ficam abaixo dos desligamentos (saldo negativo de vagas).

Se o mercado está em baixa é porque os empresários não estão contratando, portanto, há menor registro de admissões e recuo taxa de rotatividade. Em suma, a rotatividade, em geral, é dependente direta do aquecimento econômico e, por consequência, do próprio mercado de trabalho.

A constatação do tamanho da taxa de rotatividade do varejo de Assis mostra que mesmo com queda para 31,1% no ano, em cerca de três anos, em uma analogia simples, quase todo mercado de trabalho do setor se movimenta.

Naturalmente o comércio, devido as sazonalidades das datas especiais (Natal, Dia das Mães, Páscoa, etc) possui intrinsecamente rotatividade mais elevada, ainda assim, é importante demonstrar o quão grande é isso. Em geral, a rotatividade, quando não justificada pelas sazonalidades de aumento de demanda, obras, colheitas, entre outros motivos para aumento temporário de trabalhadores, é corrosiva à produtividade econômica.

Exatamente pela burocracia e custo de se contratar ou se desligar, seja a pedido do trabalhador ou decisão do empregador. Este cenário mostra o quão é essencial a modernização das relações trabalhistas no país, dando mais liberdade, simplificação e segurança jurídica para empresários e trabalhadores.

*

Caminhão carregado com cerveja tomba e carga fica espalhada em rodovia

Carreta que tinha saído de Maringá (PR) e seguia no sentido de Agudos tombou no trevo para Lutécia. Motorista não se feriu e passageira foi socorrida com ferimentos leves.

Publicado em

Uma carreta que transportava cerveja tombou na manhã deste sábado (14) na rodovia José Bassil Dower (SP-421), em Paraguaçu Paulista (SP). As latas ficaram espalhadas pelo acostamento da rodovia.

Segundo o Corpo de Bombeiros, uma das vias está interditada para a retirada do veículo e da carga.

Ainda de acordo com os bombeiros, a carreta, que tinha saído de Maringá (PR) e seguia no sentido de Agudos, tombou no trevo de acesso para a cidade de Lutécia.

O motorista não se feriu e a passageira foi socorrida com ferimentos leves para o pronto-socorro de Paraguaçu Paulista. Moradores da região estiveram no local e levaram parte da mercadoria espalhada. A empresa responsável pelos produtos não foi localizada.

Fardos de cerveja transportados pela carreta (Foto: Manoel Moreno)

Caminhão ficou tombado e via precisou ser interditada (Foto: Manoel Moreno)

Moradores levaram parte da carga de cervejas (Foto: Manoel Moreno)

Continue lendo

*

Casal cai em golpe e perde mais de R$ 40 mil ao tentar comprar carro

Vítimas de Cândido Mota trocaram mensagens com um homem que se dizia sócio do dono do veículo. Depois de depositarem o valor combinado, o estelionatário sumiu com o carro e com o dinheiro.

Publicado em

Um casal de Cândido Mota (SP) caiu em um golpe e perdeu mais de R$ 40 mil ao tentar comprar um carro pela internet.

A compra do veículo pela professora Priscila Oliveira e o marido foi planejada durante anos. Até que em um aplicativo de compra e venda os dois encontraram o carro com um preço que, segundo eles, seria a “oferta perfeita”.

Pelo celular, o casal trocou mensagens com o homem que se dizia sócio do dono do veículo. Depois de negociarem e combinarem uma data para que pudessem ver o carro, Priscila e o marido saíram de Cândido Mota e foram até Lins para se encontrarem com o rapaz.

Mensagens trocadas pelo casal com o suposto vendedor (Foto: Arquivo Pessoal)

Eles já tinham feito o depósito na quantia pedida pelo vendedor, cerca de R$ 42 mil. No entanto, chegando lá, ele não apareceu.

“Quando percebemos o que tinha acontecido, fomos direto para o banco. Chegando lá, nos orientaram a ir direto para a delegacia, pois o dinheiro já havia sido movimentado”, conta Priscila Oliveira.

No plantão, o casal tentou novamente entrar em contato com o suposto vendedor.

“Dissemos que estávamos na delegacia. Logo ele disse que iria devolver o dinheiro e, um tempo depois, nos mandou a foto de um comprovante de transferência. Mas meu nome estava escrito errado e foi aí que percebemos que aquilo também era falso”, relata a professora.

Depois disso, de acordo com o casal, o homem deletou o número e não foi mais possível entrar em contato com ele.

De acordo com Priscila, o estelionatário teria enganado ela, o marido e também o dono do veículo.

“A gente trabalha tanto. Tiramos dinheiro da nossa poupança, vendemos nosso próprio carro. Aí para chegar alguém e fazer uma coisa dessas? É muito cruel”, lamenta.

De acordo com o delegado da Polícia Civil de Lins, o caso está sendo investigado e procedimentos estão sendo realizados para que o dinheiro depositado pelo casal seja recuperado.

Casal de Cândido Mota viu fotos do carro pelo anúncio feito na internet (Foto: Reprodução/TV TEM)

Continue lendo

*

Coruja presa em buraco é resgatada pelos bombeiros em Ourinhos

Ave foi encontrada por trabalhadores de uma construção. Ela foi encaminhada para a base da Polícia Ambiental e será solta em seu habitat natural.

Publicado em

OCorpo de Bombeiros de Ourinhos (SP) resgatou, na manhã deste sábado (14), uma coruja que estava presa dentro de um buraco na Vila Santo Antônio.

De acordo com a corporação, a ave estava no fundo do buraco, que tem aproximadamente oito metros de profundidade.

Ela foi encontrada por trabalhadores de uma construção que acionaram os bombeiros.

De acordo com a equipe de resgate, a coruja não estava machucada. Ela foi encaminhada para a base da Polícia Ambiental e depois será solta em seu habitat natural.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas