Fique conectado

Economia

Trabalhadores já podem sacar abono do PIS/Pasep de 2017

Para ter direito ao PIS/Pasep é necessário ter trabalhado formalmente por pelo menos um mês em 2017.

Publicado em

649

(Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil/Agência Brasil)

Começa hoje (26) o pagamento do abono salarial referente ao ano base 2017. A estimativa é que sejam destinados R$ 18,1 bilhões a 23,5 milhões de trabalhadores.

Conforme o calendário de pagamento, quem nasceu de julho a dezembro, recebe o benefício ainda este ano. Já os nascidos entre janeiro e junho, terão o recurso disponível para saque no ano que vem. Em qualquer situação, o dinheiro ficará à disposição do trabalhador até 28 de junho de 2019, prazo final para o recebimento.

Para ter direito ao abono salarial do PIS/Pasep é necessário ter trabalhado formalmente por pelo menos um mês em 2017 com remuneração média de até dois salários mínimos. Além disso, o trabalhador já deveria estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter tido seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O valor que cada trabalhador tem para sacar é proporcional ao número de meses trabalhados formalmente. Quem trabalhou o ano todo recebe o valor cheio, que equivale a um salário mínimo (R$ 954). Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é R$ 80.

Os empregados da iniciativa privada, vinculados ao Programa de Integração Social (PIS), sacam o dinheiro nas agências da Caixa Econômica Federal. Para saber se tem algo a receber, a consulta pode ser feita pessoalmente, pela internet ou no telefone 0800-726-0207.

Para os funcionários públicos vinculados ao Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), a referência é o Banco do Brasil, que também fornece informações pessoalmente, pela internet e pelo telefone 0800-729-0001.

O abono salarial do PIS/Pasep é um benefício pago anualmente com recursos provenientes do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), abastecido por depósito feitos pelos empregadores do país. Além do abono salarial, o FAT custeia o programa de Seguro-Desemprego e financia programas de desenvolvimento econômico. Os recursos do abono que não são sacados pelos trabalhadores no calendário estabelecido todos os anos retornam para o FAT, para serem usados nos demais programas.

Economia

Raízen confirma manutenção do refino de açúcar na unidade de Tarumã

Assessoria de imprensa da empresa emitiu nota oficial na tarde desta quarta-feira.

Publicado em

De O Diário do Vale
Raízen confirma manutenção do refino de açúcar na unidade de Tarumã

Por conta dos comentários que surgiram na região nos últimos dias de que a Raízen dispensaria mais funcionários além dos 250 já desligados na última semana, a assessoria de imprensa da empresa emitiu nota oficial na tarde desta quarta-feira, para esclarecer o caso.

Veja também

Diz o texto: “A Raízen informa que manterá as operações de refino de açúcar na unidade Tarumã. A empresa esclarece que todos os desligamentos oriundos da revisão contratual com a Camil já estavam previstos pela companhia”.

E conclui a nota: “A empresa novamente reitera o seu agradecimento a todos os funcionários desligados nesse momento pelo seu tempo de trabalho e dedicação e esclarece que, além de garantir o recebimento das verbas previstas em lei, preparou um pacote de benefícios que inclui um banco de currículo, que será compartilhado nas duas regiões, para que todos os desligados possam ter acesso a eventuais novas oportunidades, assim como seguirá oferecendo ações de apoio à comunidade local”.

Continue lendo

Economia

Raízen anuncia demissão de 250 trabalhadores da unidade de Tarumã

Demissão em massa atinge funcionários do ‘empacotamento de açúcar e logística varejo’.

Publicado em

O Diário do Vale

Em carta divulgada aos seus trabalhadores na manhã desta sexta-feira, dia 5, e assinada pelo vice-presidente executivo de EAB, Francis Queen, a Raízen, grupo que atua nos setores de produção de açúcar e etanol, transporte e distribuição de combustíveis e geração de bioeletricidade, confirmou ontem a demissão de aproximadamente 250 funcionários da unidade de Tarumã, que emprega trabalhadores de várias cidades da região, inclusive de Assis, Cândido Mota, Florínea, Maracaí e outras.

De acordo com o texto, a decisão se deu por conta de uma ‘revisão contratual entre a Raízen e a Camil, que acabou internalizando as operações de empacotamento de açúcar e logística varejo no novo centro de distribuição, em Barra Bonita’. “Diante dessa decisão, tivemos que encerrar as operações de empacotamento e logística varejo nas unidades de Barra Bonita e Tarumã”, diz a nota.

A empresa, cujo nome é formado pela união das palavras ‘raiz’ e ‘energia’, justificou ainda que nos últimos meses, ‘empenhou-se para absorver o máximo possível de funcionários na própria Raízen’. “Trabalhamos com a Camil para viabilizar a incorporação de nossos funcionários nas operações nesse novo centro de distribuição de nosso parceiro em Barra Bonita. Felizmente conseguimos que dezenas de funcionários fossem absorvidos”, continua o texto.

A seguir, o vice-presidente anuncia o desligamento de parte do quadro de funcionários. “Infelizmente, hoje efetuamos o desligamento da outra parte de funcionários não absorvidos. Para os funcionários desligados, preparamos um pacote de benefícios com o intuito de minimizar os impactos dessa mudança”, disse.

E prosseguiu: “A Raízen continuará apoiando estes funcionários em processos de recolocação na região onde residem, além de implementar várias iniciativas por meio de nossa área de responsabilidade social nas comunidades onde estão inseridos, com ações direcionadas para capacitá-los nessa transição”.

Por fim, a assessoria da imprensa da Raízen emitiu nota agradecendo a todos os ‘funcionários desligados nesse momento pelo seu tempo de trabalho e dedicação’. “Esclarecemos que, além de garantir o recebimento das verbas previstas em lei, preparamos um pacote de benefícios que inclui um banco de currículo, que será compartilhado nas duas regiões, para que todos os desligados possam ter acesso a eventuais novas oportunidades, assim como seguiremos oferecendo ações de apoio à comunidade local”, finalizou.

Continue lendo

Economia

Tarifas de pedágio em Florínea e outras 7 cidades serão reajustadas a partir deste sábado

Reajuste será válido em oito cidades onde os pedágios são operados pela Entrevias Concessionária de Rodovias

Publicado em

Do AssisNews
Tarifas de pedágio em Florínea e outras 7 cidades serão reajustadas a partir deste sábado

A partir da zero hora deste sábado (6), entra em vigor o reajuste contratual anual das tarifas de pedágio nas oito praças operadas pela Entrevias Concessionária de Rodovias, que integra a quarta etapa do Programa de Concessão Rodoviária com o Governo do Estado de São Paulo. Será aplicado o índice IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de 4,66%, que corresponde à reposição da inflação medida entre junho de 2018 e maio de 2019.

Desde o início das concessões em São Paulo, o reajuste é aplicado todo dia 1º de julho, data estipulada nos contratos das três primeiras etapas do Programa. Já nas concessões mais recentes, assinadas a partir de 2017, como por exemplo a Entrevias, o reajuste é sempre aplicado na data de aniversário do contrato, (6 de julho).

As novas faixas de tarifas foram publicadas no Diário Oficial desta sexta-feira.

Confira, na tabelas abaixo, as novas tarifas (válidas para veículos de passeio, motocicletas e, em caso de veículos comerciais, por eixo) nas praças administradas pela Entrevias na região de Marília, na rodovia SP- 333 em Pongaí, Marília, Echaporã e Florínea. Na região de Ribeirão Preto, nas rodovias Anhanguera (SP-330), Attílio Balbo (SP-322) e Armando Salles Oliveira (SP-322), em Ituverava, Sales Oliveira, Sertãozinho e Pitangueiras.

Além disso, desde os contratos assinados a partir de 2017, segue mantido o desconto de 5% para todos os usuários que fizerem a opção pelo pagamento eletrônico (cabines automáticas com leitura de tag). Mais informações podem ser obtidas no site da empresa (www.entrevias.com.br), em Mapas e Tarifas.

Sobre a Entrevias Concessionária de Rodovias – A Entrevias Concessionária de Rodovias é responsável pela operação, manutenção e modernização do lote Rodovias do Centro-Oeste Paulista, com um total de 570 quilômetros de vias no eixo entre Florínea, na divisa com o Paraná, e Igarapava, na divisa com Minas Gerais. O contrato de concessão assinado com o governo do Estado de São Paulo prevê investimentos de R$ 3,9 bilhões na restauração de rodovias, ampliação da malha viária e implantação de tecnologias e inovações que contribuem para prestação de serviços de alta qualidade aos usuários. Em caso de emergência nas rodovias ligue para 0800-3000-333.

Veja os valores:

Continue lendo
Solutudo 300
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas