Fique conectado

Economia

Preço da gasolina para o consumidor final cai menos que nas refinarias em novembro

Valor médio nas bombas caiu cerca de 4%, ou R$ 0,21; no mesmo mês, Petrobras reduziu os preços em R$ 0,32, ou cerca de 17%; diesel também caiu mais nas refinarias que nos postos.

Publicado em

181

Bomba de gasolina em posto na Avenida Morumbi, zona sul de São Paulo — Foto: Marcelo Brandt/G1

O preço médio da gasolina para o consumidor terminou a semana em queda de 1%, o que representa um recuo de R$ 0,04, para o total de R$ 4,505 por litro. O dado faz parte do levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP), divulgado nesta sexta-feira (30). No mês, a queda do valor nas bombas foi de cerca de 4%, ou o equivalente a R$ 0,21. A queda é menor que o reajuste pela Petrobras nas refinarias, de 1,3% na semana e 17% no mês, aproximadamente.

O valor representa uma média de preços calculada pela ANP a partir dos dados coletados nos postos e, portanto, podem variar de acordo com a região.

A queda do preço médio da gasolina para o consumidor final foi menor do que o corte nas refinarias. Em novembro, a Petrobras baixou o preço da gasolina nas refinarias em R$ 0,32, ou cerca de 17%. Nesta semana, a queda foi de 1,4%, ou R$ 0,02.

Os cortes fazem parte da política de preços da Petrobras que busca acompanhar as cotações internacionais. Dessa maneira, a petroleira reajusta os valores do combustível quase diariamente, em uma variação que depende de fatores como o câmbio e o preço do barril de petróleo. O repasse ou não dos reajustes para o consumidor final depende dos postos.

Segundo cálculo mais recente da Petrobras, o preço que a empresa cobra nas refinarias representa menos de um terço (26%) do valor pago pelos consumidores.

Os números sugerem que, nos últimos meses, os postos vêm aumentando sua margem de lucro. Atualmente, 18% do preço final corresponde aos custos e lucro dos distribuidores e postos de gasolina. Em maio, essa fatia era de 12%, e no final de outubro era de 14%.

Comparação entre o preço da gasolina nas bombas e nas refinarias — Foto: Betta Jaworski/G1

Na terça-feira (27), a ANP pediu que as principais distribuidoras de combustíveis esclareçam por que a redução do preço da gasolina nas refinarias não tem chegado para o consumidor final. As empresas têm um prazo de 15 dias a partir da solicitação para atender ao pedido.

“Foi observada a redução significativa de preços da gasolina A pela Petrobras, sem que essa decisão tenha chegado ao consumidor final”, disse a ANP em nota na ocasião.

No acumulado do ano, o preço médio da gasolina para o consumidor final já acumula alta de quase 10% – variação bem superior à inflação esperada para 2018, de menos de 4%, segundo o último Boletim Focus divulgado pelo Banco Central com as expectativas do mercado.

Diesel

O preço médio do diesel para o consumidor final também terminou a semana e o mês em queda, e, da mesma maneira que a gasolina, o recuo também foi maior nas refinarias do que nas bombas.

Segundo a média divulgada pela ANP, o valor médio por litro para o consumidor final terminou a semana em R$ 3,640 – o que representa uma queda de cerca de 0,3% na semana e 2% no mês.

Nas refinarias, a Petrobras reduziu o valor do combustível para R$ 1,7984 – o que representa um recuo de cerca de 15% no mês de novembro.

A Petrobras vem ajustando o valor do diesel nas refinarias com frequência inferior à da gasolina, como parte do acordo feito em junho para encerrar a greve dos caminhoneiros. O repasse ou não para o consumidor final também depende dos postos.

Em 2018, o preço médio do diesel para o consumidor final acumula alta de 9,4% – ou seja, assim como no caso da gasolina, o aumento está acima da inflação esperada para o ano todo.

Etanol e gás de cozinha

A ANP também divulga semanalmente os preços médios do litro do etanol e do botijão de gás de cozinha.

Nesta semana, o preço médio por litro do etanol ficou em R$ 2,869 – o que representa um recuo semanal de 1,3%. Em novembro, a queda foi de 3,8%. No ano, o preço médio do litro do etanol acumula queda de 1,4%.

Já o preço do GLP caiu 0,17% na semana, mas encerrou o mês em alta de 1%, para R$ 69,37. No ano, o gás de cozinha acumula alta de quase 3%.

Economia

Supermercados de Assis e região ficarão fechados nesta Sexta-feira Santa

Já no sábado, funcionamento será normal.

Publicado em

Do AssisNews

O Sincomerciários de Assis, com apoio da Fecomerciários, assinou na última semana, o Termo de Compromisso com várias empresas do ramo supermercadista da cidade e região que garante ao comerciário folga na Sexta-feira Santa, no dia 19 de abril.

De acordo com o documento, ‘as empresas comerciais do ramo de gêneros alimentícios estão cientes da proibição de abertura e funcionamento de seus estabelecimentos comerciais no dia 19, comprometendo a dar cumprimento às normas da CCT – Convenção Coletiva de Trabalho 2018/2019 em vigor, mantendo fechados os respectivos estabelecimentos, deixando de convocar os funcionários para o trabalho nesta data’.

O documento foi assinado pelos Supermercados da Rede 20, Amigão, Rede Avenida, São Judas Tadeu, Kané, Neves, Pag Poko, Compre Center, Kawakami, Superbom, Martins, Tá Barato e Walmart.

Para o presidente do Sincomerciários, Vagner Campos, esta é uma vitória do Sindicato que luta sempre pelos direitos dos trabalhadores. “Nosso intuito é a garantia do direito do comerciário e o bom relacionamento entre a empresa e o empregado”, ressalta.

Continue lendo

Economia

Governo estima salário mínimo para 2020

Atualmente o salário mínimo é de R$ 998,00.

Publicado em

Agência Estado

O governo estimou o salário mínimo em R$ 1.040,00 no ano que vem, de acordo com o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) divulgado nesta segunda-feira, 15. Este ano, o salário mínimo está em R$ 998,00.

No relatório bimestral de março, a equipe econômica havia previsto que o índice que reajusta o piso nacional deve ficar em 4,2% este ano, o que resultaria num valor próximo a R$ 1.040,00.

Para 2021, o mínimo previsto na PLDO é de R$ 1.082,00. Para 2022, a estimativa é de R$ 1.123,00.

Continue lendo

Economia

Cadastro atualizado amplia acesso do cliente a informações e serviços

Atualize seus dados com a Energisa Sul-Sudeste e facilite o seu dia a dia.

Publicado em

Do AssisNews

Quando contratamos um serviço é importante conhecermos como ele funciona e de que forma podemos contribuir para que tenhamos comodidade e praticidade no nosso dia a dia. No caso do fornecimento de energia elétrica também é assim, manter os dados atualizados permite que o cliente se mantenha informado sobre o serviço e ainda evita imprevistos para quem muda de residência ou imóvel comercial.

Com os dados atualizados, o cliente evita constrangimentos e ainda passa a ter acesso aos serviços disponíveis no site da Energisa (www.energisa.com.br), no aplicativo para smartphone Energisa On e redes sociais (Facebook e Twitter). “Por meio desses canais os clientes têm acesso aos principais serviços que hoje estão disponíveis nas agências presenciais. Mais de 80% dos serviços oferecidos na agência, também podem ser utilizados por meio dos canais digitais, no conforto da sua casa, ou de qualquer outro lugar que o cliente esteja”, completa Hermann Clay de Almeida, coordenador de Canais Digitais do Grupo Energisa.

Outra vantagem em manter o cadastro atualizado, é que o cliente pode utilizar a conta de energia elétrica como comprovante de residência. Além disso, todos os outros serviços oferecidos pela Energisa só podem ser realizados quando solicitados pelo titular da conta de energia elétrica ou representante legal. “Com dados de contato do cliente, podemos enviar para ele diversas informações sobre o seu contrato com a empresa, como algum impedimento de leitura, agendamento de algum serviço solicitado por ele, ou até mesmo sobre alguma manutenção na rede na região onde o cliente está”, destaca Hermann Clay de Almeida.

Como atualizar os dados cadastrais

Para atualizar os dados, o cliente que já é titular da conta pode entrar no site (www.energisa.com.br) com login e senha, atualizar o seu cadastro e clicar em salvar. A atualização também pode ser feita por meio das redes sociais Facebook e Twitter da Energisa. Basta o cliente entrar pelo chat com um dos nossos atendentes, disponíveis de 6h às 00h (meia-noite), de segunda a domingo, informar os dados e o atendente fará a atualização. No Energisa On, o cliente pode tirar uma foto dos documentos e enviar pelo próprio aplicativo que a atualização será realizada. Outra opção, é ligar no 0800 70 10 326, e atualizar os dados pelo Call Center com um de nossos atendentes.

Titularidade

Quando há a mudança de imóvel também é preciso ficar atento à titularidade da conta. “Quando mudamos de imóvel é importante atualizar o cadastro e fazer a mudança de titularidade, pois mantendo a conta de luz no nome de outra pessoa, o novo proprietário ou inquilino assume o risco de ter o fornecimento de energia elétrica suspenso, caso o titular faça a solicitação de suspenção do serviço à distribuidora”, alerta Hermann.

Canais de atendimento ao cliente:

  • Aplicativo para celular Energisa On (disponível para iOS, Android e Windows Phone)
  • www.energisa.com.br
  • www.facebook.com/energisa
  • Agências de atendimento presencial
  • Call center – 0800 70 10 326
  • Ouvidoria – 0800 70 10 324
Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas