Intercambiária da FEMA fala sobre sua experiência na Alemanha

A aluna do 3º ano de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da FEMA, Thais Luiza Donega e Souza, retornou do intercâmbio de três meses realizado na Alemanha.

Thais no Porto de Hamburg – O maior porto Alemão

Thais participou de um dos Programas de intercâmbio oferecidos aos alunos da FEMA, ela ficou por três meses na Alemanha onde realizou estágio em sua área. O Programa escolhido por Thais para aperfeiçoar seus conhecimentos acadêmicos e também em língua estrangeira foi o IAESTE -International Association for the Exchange of Students for Technical Experience que promove intercâmbio entre estudantes em mais de 90 países. Através do Programa o estudante pode passar de 2 a 12 meses fazendo estágio na sua área de estudo e recebendo remuneração suficiente para cobertura de suas despesas básicas com alojamento e alimentação. Thais explica que no Brasil o programa é gerenciado pela ABIPE – Associação Brasileira de Intercâmbio Profissional e Estudantil, entidade sem fins lucrativos. Já na Alemanha onde permaneceu por três meses Thais conta que a responsável por orientar e dar todo suporte aos intercambiários é o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), instituição que segundo a aluna Thais auxilia na adaptação do aluno ao novo país, proporcionando translado, acompanhamento e tradução na hora da acomodação no hotel e acompanhamento contínuo a socialização do estudante durante o período de estágio. A intercambiária da FEMA ainda conta que é o DAAD que recebe a remuneração do aluno pelo estágio, paga as despesas de hospedagem e repassa o restante do valor para o mesmo.

Thais conta que conheceu o programa de intercâmbio durante uma palestra do Prof. Dr. Luiz Ricardo Begosso – coordenador de Relações Internacionais da Fundação Educacional do Município de Assis – FEMA e orientador da mesma. Determinada a aprimorar seus conhecimentos no exterior Thais organizou toda a documentação necessária, currículo internacional, histórico escolar, visto, passaporte, e ainda uma avaliação do orientador e enviou para a Jacobs University Bremen – Bremen na Alemanha,  onde foi selecionada para a vaga de estágio na sua área de interesse.

Antes de ir para a Alemanha, Thais recebeu em sua residência um intercambiário de Singapura, um estudante da área de informática, com o qual ela disse ter aprendido muito, tecnicamente e também sobre questões culturais. Ao receber o estudante de Singapura Thais disse ter acumulado mais pontos dentro do Programa IAESTE, o que auxilia no processo de intercâmbio.

A aluna da FEMA disse que a experiência é extremamente positiva e que proporciona não só o aprimoramento da área técnica de interesse, mas da língua estrangeira e principalmente de crescimento pessoal. Ela disse que quando chegou à Alemanha estava assustada e preocupada, mas que logo se adaptou e ficou encantada com o novo país. Ela disse que aperfeiçoou o inglês e ainda aprendeu um pouco de alemão. Segundo ela a vivência trouxe segurança e um peso muito grande ao currículo da mesma. “Mesmo que eu não trabalhe na área que fiz o estágio na Alemanha, sei que a experiência adquirida fará toda diferença ao meu currículo”, disse Thais.

Thais no campus da Universidade – Jacobs University, ao fundo o bloco de Thais

Ela contou que a Universidade de Bremem também é conhecida como “Universidade Internacional”, visto a grande presença de jovens intercambiários do mundo todo. Thais falou que seu grupo de estágio, por exemplo, era composto por dois indianos, uma russa e pelo professor que é italiano. A comunicação entre eles era em inglês.

Na Universidade Thais estagiou num projeto autônomo do seu orientador em Bremem, no desenvolvimento de uma ferramenta para software para a área de dinâmica de simulação molecular e todo o estágio foi desenvolvido no Centro de Pesquisa da Universidade Jacobs, onde a aluna teve amplo contato com estudantes que estavam realizando mestrado e doutorado.

Durante o intercâmbio Thais contou ter tido oportunidades diferenciadas, contou que durante seu curso de graduação aprendeu muitas coisas em linguagem de programação, mas no estágio na Alemanha ela disse que teve acesso a um programa completo, onde pode observar todo seu funcionamento, com permissão de acesso aos códigos, fato que certamente a fez aprender ainda mais sobre a linguagem.

Sobre a sua permanência na Alemanha Thais falou que com a remuneração do estágio, que gira em torno de € 650 euros foi possível pagar todas suas despesas incluindo alimentação, hospedagem. Segundo ela o custo de vida não é alto em Bremem o que também ajuda bastante.

Thais falou que o intercâmbio é uma oportunidade única de conhecimento cultural e profissional e que indica à todos aqueles que tem interesse. A aluna teve pouco tempo na Alemanha pois está no último ano e agora tem que se aplicar na finalização do seu trabalho de conclusão de curso, mas que já está de olho nas oportunidades de bolsas de estudos oferecidas pela Universidade Jacobs na Alemanha. Além de conhecer Bremem , Thais também aproveitou para conhecer Paris (França) e Londres (Inglaterra).

Para finalizar Thais falou que um dos lugares que mais gostou de conhecer na Alemanha foi uma rua histórica de Bremem, chamada de Rua Schnoon, a única que não foi destruída na 2ª guerra mundial, “as casas antigas me deram a impressão de estar em um filme e me emocionaram por saber de toda carga histórica do local e de tudo que aconteceu naquele lugar”, disse Thais.

Atualmente estão envolvidos em Programas de intercâmbios outros alunos da FEMA: Jônatas Domingues de Almeida Chizzolini que está no Canadá; Rodolfo Lourenço Tretel, Allain Daleck Spera e José David Camoleze Júnior que estão em Portugal e o aluno Adriel Francisco Santiago Cavaleiro que em breve embarcará para o exterior. Maiores informações podem ser obtidas junto a Coordenadoria de Relações Internacionais da FEMA, pelo telefone 18 3302-1055, ramal 1065, ou pelo site www.fema.edu.br

Uma panorâmica da MarketPlatz em Bremen, o ponto mais turístico da cidade

#MAIS LIDAS DA SEMANA