Fundação Lemann levará Khan Academy as escolas municipais de Assis em 2013

Segundo o Secretário Municipal da Educação Vinicius Guilherme Símili a Fundação Lemann doará kits com cerca de 30 laptops educacionais para as escolas selecionadas

Prefeitura de Assis e Fundação Lemann fecham parceria

Mal sabia Salman Khan, um físico formado pelo MIT(Massachusetts Institute of Technology), que as aulas despretensiosas de matemática que ele postava no YouTube para ajudar seus primos chegariam tão longe. Com vídeos curtos e simples, suas explicações ficaram tão populares na internet que ganharam o mundo. Agora, vídeos da Khan Academy traduzidos para o português estão chegando a mais de 1.200 alunos de escolas municipais de São Paulo e chegará em 2013 a rede municipal de ensino de Assis. A iniciativa, parceria da Fundação Lemann com a Khan Academy, reuniu os vídeos traduzidos e contextualizados para a realidade brasileira em uma ferramenta on-line.

Desde o início de 2012, o projeto vem sendo testado em seis turmas de três escolas da rede municipal de ensino do município de São Paulo. “A intenção é que, no futuro, isso possa se tornar uma política pública”, diz Daniela Caldeirinha, coordenadora de projetos da Fundação Lemann ao apresentar o Khan Academy na Sala de Aula para o responsável pela Coordenadoria de Convênios Urias Turbiani e para Divanil Regina Terçarioli Assistente Técnica Pedagógica da Secretaria Municipal da Educação.

O primeiro passo em sala de aula, explica Urias Turbiani, é a criação de login e senha para que as crianças tenham acesso ao ambiente on-line, onde estão os vídeos e os exercícios. Enquanto os alunos exploram a ferramenta, o professor consegue acompanhar, em tempo real, o percentual de acertos dos estudantes, o número de vezes que eles tentaram um exercício até conseguir chegar ao resultado correto e aos vídeos que eles assistiram.

Segundo o Secretário Municipal da Educação Vinicius Guilherme Símili a Fundação Lemann doará kits com cerca de 30 laptops educacionais para as escolas selecionadas – o número varia conforme a escola, mas é calculado para que cada aluno trabalhe com seu computador – às escolas participantes. Para facilitar o trabalho, a organização oferece também suporte técnico para tirar dúvidas ou dar assistência remota aos professores. Além do apoio técnico e dos equipamentos, a fundação dará apoio pedagógico aos professores em reuniões periódicas.

A Fundação Lemann fará uma visita técnica a Rede Municipal de Ensino de Assis no dia 9 de janeiro de 2013 para conhecer as instalações das unidades escolares contempladas. Ainda sobre o projeto Urias menciona que “Não existe um único jeito de trabalhar com a ferramenta”, em alguns momentos, metade da turma vai estar no ambiente on-line, enquanto a outra metade está desenvolvendo outra atividade. Às vezes, toda a turma estará junta assistindo aos vídeos.

Para fins de avaliação do projeto, a fundação sugere que metade das aulas de matemática utilizem a ferramenta. Ao fim de todas as aulas, a fundação pede que os professores entreguem um formulário de autoavaliação aos alunos. Nesse formulário, as crianças devem dizer se fizeram a atividade, se acharam fácil, se aprenderam e se podem ensinar a um colega. Essa última informação, diz Divanil, pode ajudar os professores a programarem agrupamentos de alunos e trabalhos em equipe para as próximas aulas. As turmas que participarem do projeto e algumas que não participaram e formam um grupo de controle farão uma prova antes de o projeto ser implementado e outra ao final do ano letivo de 2013.

#MAIS LIDAS DA SEMANA