Ex-aluna de Ciência da Computação da Fema, Larissa Piovezani, que acaba de concluir seu Mestrado na Unicamp (Foto: Assessoria)
Ex-aluna de Ciência da Computação da Fema, Larissa Piovezani, que acaba de concluir seu Mestrado na Unicamp (Foto: Assessoria)

A Fundação Educacional do Município de Assis – Fema valoriza as conquistas de seus ex-alunos comemorando seu sucesso no mercado de trabalho e no seu crescimento acadêmico com a realização de pesquisas nos mais diversos programas de Mestrado e Doutorado.

No mês de fevereiro a ex-aluna do curso de Ciência da Computação, Larissa Piovezani concluiu seu Mestrado na Unicamp, campus de Limeira/SP.

Larissa contou que durante todo o tempo de graduação em Ciência da Computação na Fema realizou estágio no Femanet, atuando no projeto [email protected] Segundo ela os anos de estágio foram importantes já que proporcionaram um conhecimento maior nas áreas de atuação.

A área de Informática é muito ampla e as inovações em tecnologia ampliam cada vez mais as possibilidades de atuação do profissional. É fundamental que ao concluir a graduação o aluno tenha conhecimentos de algumas dessas áreas de modo a optar com maturidade em qual delas quer atuar.

A ex-aluna se formou em 2009 e logo em seguida deu início a uma pós- graduação em Desenvolvimento Web – Multiplataformas na Unoeste. Larissa concluiu a pós em 2010 e de imediato foi aceita no Programa de Mestrado da Unicamp em Limeira. A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) é uma das instituições de ensino mais importantes do Brasil e de renome internacional. Possui 64 programas de pós-graduação em Campinas, sete em Piracicaba e dois em Limeira. Ao todo, são 64 mestrados acadêmicos, cinco mestrados profissionais e 65 doutorados, além de vários cursos de especialização. A Unicamp possui 14 programas de pós-graduação que recebem nota máxima da Capes.

A dissertação de Mestrado de Larissa foi sobre “Simulação de Serviços Multimídia em Redes de Acesso de Banda Larga Móvel” e tratava de simular todos os tipos de tráfego de dados modificando os tipos de tarifação em redes 3G e o melhor dimensionamento da rede para que toda a demanda seja atendida.

Embora não tenha participado de nenhum programa de iniciação científica na graduação Larissa conta que valeu a pena se dedicar a aprimorar seus estudos se dedicando a pesquisa. Para isso, segundo ela a formação inicial na área, ou seja, a graduação é muito importante.

Ainda segundo Larissa é muito importante trabalhar e estudar em áreas que gostamos, “o mercado é feito por nós, não importa a linguagem de programação ou a área que queira seguir se tratando de tecnologia é possível ganhar dinheiro em qualquer área. E se alguém tem vontade de continuar estudando, não pare. Tem que sair da faculdade e continuar estudando, seja cursando uma pós, mestrado, doutorado ou certificações. O mercado está muito competitivo e quanto mais qualificações você tiver melhor”, finalizou a ex-aluna e Mestra Larissa.

O coordenador da área de Informática da Fema, Prof. Dr. Alex Sandro Romeo de Souza Poletto parabenizou a ex-aluna e completou afirmando que a Fema fica orgulhosa ao ver seus alunos conquistando títulos e desenvolvendo pesquisas de sucesso. Temos um compromisso com cada aluno que passa pela Fundação e o sucesso de cada um deles traz em si a comprovação de que nossa missão foi cumprida enquanto instituição de ensino superior no desenvolvimento de pesquisa e conhecimento e principalmente na efetivação do ensino, que cabe principalmente a nós docentes da Instituição.

Deixe um comentário

Esta é uma área exclusiva para membros da comunidade

Faça login para interagir ou crie agora gratuitamente sua conta e faça parte.

Assine nossa newsletter

Receba as notícias do AssisNews diretamente em seu email.

VOCÊ PODE GOSTAR

Bolsa Empreendedor abre inscrições para a 3ª turma na região

Cada bolsa será de R$ 1 mil e paga em duas parcelas de R$500.

Receita abre hoje consulta ao lote residual de restituição

Lote contempla restituições residuais de exercícios anteriores.

Governo vai instalar 12 mil pontos de internet em escolas públicas

Governo vai instalar 12 mil pontos de internet em escolas públicas.