Fema comemora o primeiro ano da pós – graduação em Química Ambiental

A especialização tem como público alvo profissionais de química, de engenharia, de tecnologia, ciências biológicas e de gestão ambiental.

Alunos da pós-graduação realizaram diversas atividades, entre elas esteve a visita a Hidrelétrica de Itaipu.

Com o final de mais um ano letivo, a Fundação Educacional do Município de Assis – Fema comemorou este ano dois novos cursos de graduação e também o primeiro ano no oferecimento do curso de pós-graduação em Química Ambiental.

A pós-graduação em Química Ambiental é o mais novo curso Latu Senso oferecido pela Fundação Educacional do Município de Assis e o primeiro na área de exatas. A especialização tem como público alvo profissionais de química, de engenharia, de tecnologia, ciências biológicas e de gestão ambiental.

Às aulas da primeira turma tiveram início em maio deste ano

Durante o curso os participantes estudam os processos químicos que ocorrem no meio ambiente, com o objetivo de promover o melhoramento dos processos, que envolvam o tratamento de resíduos de origem industrial e urbana, como efluentes gasosos, resíduos sólidos e esgotos. A contribuição com a melhora da qualidade de vida do Planeta e dos seres que nele habita, faz da química ambiental uma ciência responsável pela produção de materiais, processos, serviços e mão de obra qualificada para atuar em empresas de diversos segmentos.

Segundo a coordenadora do curso de pós-graduação em Química Ambiental da Fema, Profª Ms. Patrícia Cavani Martins de Mello, atualmente, há uma demanda grande pelos profissionais detentores deste tipo de conhecimento, considerando que muitas empresas expandem seus negócios, aumentando sua lucratividade, através da comprovação de que seu processo produtivo é “limpo” ou, usando uma linguagem mais popular, ecologicamente correto. Para isso, um profissional especializado em química ambiental, é absolutamente necessário à empresa. Ainda segundo ela, outro “filão” de atuação destes especialistas são as prestações de consultoria técnica. Neste setor, o químico pode atuar na investigação de terrenos, remediação de áreas contaminadas, análises de risco, projetos de engenharia, indicadores de sustentabilidade, licenciamento ambiental, elaboração de laudos e relatórios técnicos, interpretação de legislações e regulamentos, análise laboratorial, etc.

A Coordenadora da especialização em Química Ambiental, explicou que a Fundação lutou muito para oferecer esta pós -graduação e com grande satisfação hoje, a Fema comemora este primeiro ano de atividade. “Este ano foi marcado por muitas ações, realizamos com os nossos alunos aulas práticas, teóricas e visitas técnicas, que nos garantiram atingir nossos objetivos acadêmicos e também de contentar os nossos alunos com uma formação de boa qualidade. As aulas se iniciaram em maio e, ao longo deste ano, apenas dois alunos desistiram, assim contamos com um turma de 27 profissionais, o que para um curso de pós -graduação em Química é um número muito expressivo”.

Ainda segundo a Coordenadora, a Fema foi pioneira no oferecimento deste curso na região, o que, segundo ela, simboliza a confluência das iniciativas individuais e o reconhecimento institucional da necessidade de oferecer uma sólida formação em química voltada para capacitar profissionais que possam contribuir para o desenvolvimento social, científico e econômico preservando a qualidade do meio ambiente. “Não tenho conhecimento de que exista em outra cidade da nossa região um curso como este. Antigamente existia um curso semelhante de stricto sensu em Londrina e hoje este curso não existe mais. Além da Fema oferecer um curso diferenciado, ele é único na área da química ambiental, o que nos deixa muito satisfeitos. Tudo isso é muito importante para os alunos deste curso, pois eles serão  selecionados dentro de um grande grupo de profissionais. A aplicabilidade  desta especialização é muito grande, visto que a área ambiental tem exigido profissionais qualificados em diversas áreas, em especial a de Química. Assim, temos certeza que nossos alunos conseguirão aplicar sua formação na área profissional com bastante brevidade”.

Ainda segundo Ms. Patrícia Cavani, outro destaque deste curso de pós-graduação é o seu corpo docente, que segundo ela é composto por professores, mestres e doutores, de grandes e tradicionais Universidades. Ainda segundo ela, durante as aulas algumas disciplinas exigiram um contato dos alunos com a parte de análises e visitas de campo. “Quase todas as disciplinas ministradas no curso até o momento tiveram atividades práticas, como por exemplo a disciplina de Ecologia Geral e Aplicada, que envolveu uma atividade de verificação de organismos patogênicos em água; na disciplina de Química nos Recursos Hídricos foram realizadas coletas e análises físico-químicas e microbiológicas de qualidade da água; dentro da disciplina de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, ministrada pelo Prof. Ms. Thiago Hernandes, os alunos visitaram aterros, usina de reciclagem e o sistema de tratamento de esgoto da cidade; já dentro da disciplina, que trabalha com as práticas de laboratórios, chamada Métodos e Técnicas Analíticas, nós visitamos órgãos de pesquisa que trabalham com análise de componentes, que são considerados poluentes dentro da atmosfera, no solo ou na água”. Patrícia ainda destacou entre as atividades de 2013, duas visitas técnicas realizadas pelos alunos: na Hidrelétrica de Itaipu, onde eles também conheceram o Parque Nacional das Cataratas; e no Instituto de Química da Unesp de Araraquara.

As inscrições para os cursos de pós- graduação da Fema estão abertas. Os valores da taxa de inscrição, mensalidades e demais informações podem ser obtidas na página da Fundação na internet, www.fema.edu.br. Outras informações também estão disponíveis na seção de pós -graduação da Fema, de segunda a sexta feira, das 8h00 às 21h00, ou pelo telefone (18) 33021055 ramal 1001.

#MAIS LIDAS DA SEMANA