“Contação de Histórias” é promovido para o Ensino Infantil Municipal

Os contadores usavam artifícios para contar suas narrativas de uma maneira mais interessante, como melodias, ritmos e rimas.

“Contação de Histórias” é promovido para o Ensino Infantil Municipal (Foto: Arquivo Pessoal)

A Contação de histórias é uma atividade que ocupa a imaginação humana há milhares de anos, era a forma usada para se passar um fato adiante muito antes da escrita ser inventada. Os contadores usavam artifícios para contar suas narrativas de uma maneira mais interessante, como melodias, ritmos e rimas, para que as pessoas pudessem entender e lembrarem mais facilmente.

Como parte das atividades de Educação Infantil, o projeto “Contação de Histórias”, ministrado pelo pedagogo Flávio Adriano de Souza tem levado, de forma Lúdica, literatura às escolas. O projeto usa a linguagem teatral como recurso para dar sentido à contação, a partir de técnicas de voz, interpretação, expressão corporal e jogos teatrais.

“Atualmente há uma valorização da leitura de textos literários, pois se julga importante desde os primeiros anos de vida da criança o contato com histórias e com material escrito, devido à importância de que antes de ler a criança tenha contato com o universo da leitura, seja ao escutar os adultos contando fatos corriqueiros do dia a dia ou ao escutar histórias infantis contadas por seus pais e professores”, expõe o pedagogo Flávio.

De acordo com Maralice Chiampi, Supervisora de Ensino da Secretaria Municipal da Educação, o projeto nasceu a partir de uma necessidade da Educação Infantil de formar leitores de qualidade, além de estimular os saberes das crianças iniciando esse trabalho desde pequenos, quando bebês, fornecendo subsídios através das trocas de experiências com os educadores, aperfeiçoando assim as técnicas de como contar histórias.

Hoje o projeto atende a 15 escolas municipais de ensino infantil, onde é ministrado todos os dias, no período da manhã e da tarde, seguindo cronograma para que todas as escolas possam ser contempladas de maneira igualitária.

#MAIS LIDAS DA SEMANA