Após chegar à semifinal, Assis recebe o dobro de inscrições para Feira de Ciências

Em 2016, Diretoria registrou sete trabalhos científicos; desta vez número saltou para 14 projetos com temas de sustentabilidade e tecnologia.

Após chegar à semifinal, Assis recebe o dobro de inscrições para Feira de Ciências

A Secretaria da Educação encerrou em junho as inscrições da 5º edição da Feira de Ciências das Escolas Estaduais de São Paulo (FeCEESP). Em Assis, uma boa notícia: o número de inscritos dobrou. No ano passado, a Diretoria de Ensino – primeira etapa da competição – registrou sete trabalhos científicos. Desta vez, são 14 projetos inéditos com temas de sustentabilidade e tecnologia cadastrados. Em 2016, o trabalho de da E.E Prof. Ernani Rodrigues sobre o uso da compostagem para redução do descarte dos resíduos “in natura” ficou em entre os 30 melhores da competição.

A Feira tem o objetivo de estimular e promover a formação dos estudantes na área das Ciências da Natureza, além de já inseri-los no contexto da Iniciação Científica. A partir de agora, alunos do 6º ano do Ensino Fundamental também podem participar. Para isso foram definidas duas categorias: Júnior (6º ao 9º ano) e Master (1ª e 2ª série do Ensino Médio).

Para Marcus Paulo Costa, professor coordenador de Ciências da Natureza e à frente da seleção em Assis, um dos motivos do aumento do interesse se deve ao incentivo que os próprios alunos fazem aos demais colegas. “Dentro das salas de aula os professores das áreas de ciências, biologia, física e química também impulsionam os estudantes, mostrando no dia a dia, em lições teóricas e práticas, como a participação pode agregar mais conhecimento”, conta. Além disso, no primeiro semestre, os docentes foram até as unidades dos inscritos para ajudar na elaboração do trabalho escrito, tirar dúvidas e sugerir novas ideias.

Na primeira fase a Diretoria avaliará os trabalhos e escolherá quatro melhores para a próxima fase. Os projetos, mesmo não classificados, serão expostos em feria na Diretoria de Ensino no próximo ano. “A participação favorece a vida acadêmica dos alunos. Futuramente esse conhecimento adquirido pode ajudar na escola profissional, pelo protagonismo e responsabilidade que proporciona”, opina o professor Marcus Paulo.

Saiba mais sobre as etapas da Feira de Ciência das Escolas Estaduais de São Paulo no Portal da Educação (http://www.educacao.sp.gov.br/feiradeciencias).

#MAIS LIDAS DA SEMANA