COR: Seu efeito diante da visão, seu significado, e mais…

É através das cores que identificamos as coisas presentes em nosso meio, um semáforo, um uniforme, enfim, a cor é fundamental em nosso cotidiano

Bom diaaaaa! Hoje, pretendo falar um pouco do que tem total presença em nossas vidas: AS CORES; é através delas que identificamos as coisas presentes em nosso meio, um semáforo, um uniforme, uma bebida, enfim, a cor é fundamental em nosso cotidiano. Ela é percebida através da visão, o olho humano é capaz de perceber a cor através dos cones (células cones). A percepção da cor é de extrema importância para se observar e entender um ambiente.

A cor é algo que nos é tão familiar que se torna para nós difícil compreender que ela não corresponda a propriedades físicas do mundo mas sim à sua representação interna, a nível cerebral, ou seja, os objetos não têm cor; a cor corresponde a uma sensação interna provocada por estímulos físicos de natureza muito diferente que dão origem à percepção da mesma cor por um ser humano. Não notamos, por exemplo, nenhuma diferença fundamental na cor dos objetos familiares quando se dá uma mudança na iluminação. Para o nosso sistema visual, as cores da pele e das caras das pessoas e as cores dos frutos permanecem fundamentalmente invariáveis, embora seja tão difícil conseguir que esse tipo de objeto fique com a cor certa em um monitor de televisão.

A cor não tem só que ver com os olhos e com a retina mas também com a informação presente no cérebro. Enquanto, com uma iluminação pobre, um determinado objeto cor de laranja pode ser visto como sendo amarelado ou avermelhado, vemos normalmente mais facilmente com a sua cor certa, laranja, porque é um objeto de que conhecemos perfeitamente a cor. E, se usarmos durante algum tempo óculos com lentes que são verdes de um lado e vermelhas do outro, depois, quando tiramos os óculos, vemos durante algum tempo tudo esverdeado, quando olhamos para um lado, e tudo avermelhado, quando olhamos para o outro. O cérebro aprendeu a corrigir a cor com que “pinta” os objetos para eles terem a cor que se lembra que eles têm; e demora algum tempo a perceber que deve depois deixar de fazer essa correção.

O sistema nervoso, a partir da radiação detectada pela retina, extrai aquilo que é invariante sob mudanças de iluminação. Embora a radiação mude, a nossa mente reconhece certos padrões constantes nos estímulos perceptivos, agrupando e classificando fenômenos diferentes como se fossem iguais. O que vemos não é exatamente “o que está lá fora”, mas corresponde a um modelo simplificado da realidade que é de certeza muito mais útil para a nossa sobrevivência.

O nosso sistema sensorial faz emergir todo um contínuo muito vasto de cores com as diferenças de tonalidades que nós aprendemos a categorizar, associando determinados nomes a certas bandas de tonalidade (com uma definição extremamente vaga). É este hábito humano de categorizar que nos faz imaginar que o nosso sistema nervoso faz uma detecção “objetiva” de uma determinada cor que existe no mundo exterior.

Figura 1: Cores diversas.

Cores quentes e cores frias

Figura 2: Cores quentes e frias.

Em um resumo rápido, as cores quentes, são associadas ao sol e ao fogo: amarelo, laranja e vermelho. São aquelas que transmitem calor.

Já as cores frias, são associadas à água, ao gelo, ao céu e às árvores: Violeta, azul e verde. São aquelas que nos transmitem sensação de frio.

O significado das cores
CINZA: elegância, humildade, respeito, reverência, sutileza;
VERMELHO: paixão, força, energia, amor, velocidade, liderança, alegria, perigo, fogo, raiva, revolução, “pare”;
AZUL: harmonia, confidência, conservadorismo, austeridade, monotonia, dependência, tecnologia;
CIANO: tranquilidade, paz, sossego, limpeza, frescor;
VERDE: natureza, primavera, fertilidade, juventude, desenvolvimento, riqueza, dinheiro, boa sorte, ciúmes, ganância;
AMARELO: concentração, otimismo, alegria, felicidade, idealismo, riqueza, fraqueza;
MAGENTA: luxúria, sofisticação, sensualidade, feminilidade, desejo;
VIOLETA: espiritualidade, criatividade, realeza, sabedoria, resplandecência;
ALARANJADO: energia, criatividade, equilíbrio, entusiasmo;
BRANCO: pureza, reverência, paz, simplicidade, esterilidade, rendição;
PRETO: poder, modernidade, sofisticação, formalidade, morte, medo, anonimato, raiva, mistério;
CASTANHO: sólido, seguro, calmo, natureza, rústico, estabilidade, estagnação, peso, aspereza.

#MAIS LIDAS DA SEMANA