Fique conectado

Estilo de vida

Bebê de 28 quilos intriga médicos no México

Aos 2 meses, Luis Manuel Gonzales já pesava 10kg; pai da criança pediu doações para custear despesas médicas.

Publicado em

66

Luis Manuel Gonzales é quase como qualquer bebê de 10 meses: balbucia as primeiras palavras e quer tocar em tudo. Mas uma diferença dramática coloca a sua vida em risco: ele pesa 28kg, e seu pai ganha pouco mais de US$ 200 por mês.

O caso deste bebê, que, no entanto, não exige comida constantemente, faz parte do universo de crianças que sofrem de obesidade e diabetes infantil, que o México lidera em nível mundial. Mas as causas do seu excesso de peso são desconhecidas.

Luisito nasceu em 15 de dezembro de 2016, com 3,5 kg e 52cm, quase o mesmo que seu irmão Mario, 2, que, ao seu lado, parece pequeno. Aos 2 meses, Luisito já pesava 10kg, e, nos oito meses seguintes, triplicou de peso.

Luiz Gonzales, de 10 meses, em seu carrinho na cidade de Colima, México (Foto: Pedro Pardo/AFP)

“Eu achava que era porque meu leite era bom”, disse à AFP a mãe do bebê, Isabel Pantoja, 24, moradora do município de Tecomán, no estado mexicano de Colima.

Os pais de Luis Manuel criaram uma página no Facebook e uma conta bancária para receber doações que os ajudem a custear as despesas médicas. Os dois se revezam para levar o bebê ao hospital, onde ele realiza exames de sangue frequentes.

A preocupação dos pais de Luis Manuel aumentou quando um pediatra disse que o bebê poderá precisar de injeções de hormônios no valor de US$ 555 cada.

Diagnóstico

Uma das principais teorias é a de que Luis Manuel sofra da síndrome de Prader-Willi, que deixa as crianças sem o regulador de saciedade, provoca atraso mental, “músculos fracos de gelatina”, problemas cardíacos e afeta o desenvolvimento dos órgãos sexuais.

Isabel Pantoja e seu filho Luis Gonzales, que pesa 28 quilos aos 10 meses (Foto: Pedro Pardo/AFP)

“Às vezes, precisamos levá-lo três ou quatro dias por semana ao hospital” da capital do estado, Colima, conta o pai, Mario Gonzales.

Para a família, os passeios pelo povoado acabaram. O bebê, que usa fraldas de adulto, fica cansado após passar meia hora na mesma posição, e temos que carregá-lo e caminhar com ele”, diz Gonzales, que, assim como a mulher, não perde o bebê de vista.

Durante a entrevista, Luisito dá gargalhadas quando coçam a sola de seus pés, explora com a boca qualquer objeto que lhe é dado, e observa com curiosidade os equipamentos de foto e vídeo dos jornalistas, comportando-se como qualquer criança de sua idade, e passando muitas horas do dia sem pedir comida.

O que ele não pode fazer, lamenta a mãe, “é engatinhar, não pode caminhar. Não podemos trazê-lo em um andador, como as outras crianças de 10 meses, mas, fora isso, “já se senta, sustenta a cabecinha e tenta segurar sozinho a mamadeira”, conta Isabel.

O pai de Luis Manuel, operário em uma fábrica de brinquedos, conta, preocupado, que a mulher “está começando a sentir os efeitos do peso do bebê”.

Suspeita esperançosa

Há cerca de um mês, a família foi contactada pela cirurgiã especializada em Nutrição Clínica Silvia Orozco, do centro Zone Diet México, sistema criado por um nutricionista americano, o que renovou a confiança no futuro de Luis Manuel.

“Ele tem gordura no fígado, pulmão e coração. Sua vida corre muito risco, mas esperamos poder ajudá-lo a tempo”, disse Silvia à AFP. Ela aguarda o resultado das últimas amostras enviadas aos Estados Unidos.

A médica espera que as análises confirmem que o bebê não tem a síndrome Prader-Willi, e que sua obesidade se deva a um aumento celular excessivo provocado pela falta de nutrientes anti-inflamatórios durante a gestação, o que teria provocado “um funcionamento deficitário da tireoide, de suas glândulas suprarrenais, responsáveis pelo metabolismo”.

Neste caso, o tratamento seria hormonal, diz Silvia sobre o diagnóstico do bebê, que se alimenta apenas de fórmula de leite reduzida em gorduras, leite materno e papinhas de legumes e frutas.

Publicidade

Estilo de vida

Alimentação nutritiva no Outubro Rosa!

A nutrição balanceada também é uma forma de prevenção contra o câncer.

Publicado em

Do G1
Castanhas, nozes e amêndoas são bem-vindas na dieta, por conter diversos nutrientes e fitoquímicos — Foto: Pixabay/Divulgação

A nutrição é uma forte aliada na prevenção do câncer, e esse tema é discutido no mês de outubro, destinado à conscientização do Câncer de Mama! Alguns pontos levantados pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA) e algumas dicas nutricionais devem ser levadas em consideração e evidenciadas. Confira:

1. Não é apenas um determinado alimento que pode desencadear ou “tratar” o câncer

Uma alimentação saudável auxilia na prevenção e no tratamento de câncer, dentro de um planejamento nutricional equilibrado que envolve aspectos sociais, culturais e emocionais. Recomenda-se o consumo de, no mínimo, cinco porções (400 g) por dia de vegetais, englobando frutas, legumes e verduras. Os alimentos de origem vegetal são fontes de fitoquímicos que contribuem com o equilíbrio geral do organismo, essenciais para diversas vias metabólicas. O mesmo acontece com o desenvolvimento do câncer, uma vez que um alimento isoladamente não é fator de risco, mas sim um conjunto de hábitos e estilo de vida inadequados.

2. Corantes artificiais podem favorecer a formação do câncer

Os refrigerantes, por exemplo, são compostos pela substância 4-MI (4-metil-imidazol), classificada como possivelmente cancerígena pela Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC), da Organização Mundial da Saúde (OMS). Pesquisas mostram o alto potencial de alimentos e bebidas com esse tipo de componente em promover desequilíbrios celulares e desenvolvimento de diversos tipos de câncer.

3. Inclua em sua rotina alimentar…

  • Verduras e legumes no almoço e jantar, todos os dias. Os vegetais crucíferos, como couve-flor, brócolis e repolho, podem desempenhar papel fundamental na proteção contra o câncer.
  • Frutas e sementes de chia, linhaça, gergelim… Ótimas fontes de antioxidantes naturais que combatem o estresse oxidativo gerado pelo excesso de radicais livres que aumentam o risco de desenvolvimento de
  • Grãos integrais, importantes para a modulação do funcionamento intestinal e essenciais para aumentar a absorção de componentes nutricionais.
  • Especiarias naturais: a cúrcuma ou açafrão da terra é uma fonte natural de bioativos (mais precisamente os curcuminoides) responsáveis por prevenir o desenvolvimento de tumores. Adiciona-la nas receitas e evitar os condimentos prontos e industrializados é uma ótima mudança preventiva!
  • Oleaginosas: castanhas, nozes, amêndoas, sempre são bem-vindas na nossa dieta, por conter diversos nutrientes e fitoquímicos que atuam como antioxidantes e anti-inflamatórios duas ações que minimizam a oncogênese.

Equilibrar a nossa alimentação e conscientizar-se dos exames preventivos para o câncer de mama é essencial para alcançarmos bem-estar e tratamentos mais assertivos! Previna-se!

Continue lendo

Estilo de vida

Método deixa cílios com efeito leque sem make ou fio artificial:’Muda curvatura’

Confira.

Publicado em

Do Purepeople
Já ouviu falar em Lash Lifting? O procedimento visa deixar os cílios alongados e volumosos sem máscara ou fios artificiais (Foto: Getty Images)

Com a tendência da “no makeup” em alta, o movimento que busca valorizar a beleza natural ganhou força e a maquiagem sem máscara de cílios passou a ser mais utilizada.

Com essa desconstrução, procedimentos que visam deixar os fios alongados e volumosos sem o uso do cosmético estão se destacando ao oferecerem praticidade, além de garantirem que os pelos não fiquem empelotados e grudados.

Em entrevista para o Purepeople, a especialista Mariana Mizael revela um novo tratamento que, diferentemente da extensão de cílios, não aplica fios artificiais: “O Lash Lifting é uma técnica em que a curvatura dos fios originais muda, permitindo que eles alcancem o maior tamanho e curvatura possíveis.”

Saiba como funciona: ‘Utilizo 4 produtos’

Para quem é a favor de métodos menos invasivos, o lifting é uma ótima opção. “A grande diferença do Lash Lifting para a extensão é que não se utiliza fios artificiais. São os próprios fios da paciente que são trabalhados sem precisar de cola e nem manutenção”, esclarece a profissional ao descrever: “Utilizo 4 produtos seguindo um passo a passo que costuma durar 1 hora.”

O cuidado com os cílios irá permitir que ele mude de forma e fique parecido com o efeito alcançado pela maquiagem. “Esses produtos vão curvar, hidratar, colorir e nutrir os fios originais”, explica Mariana ao aconselhar: “Não indico para quem tem os cílios muito curtos, pois não será possível curvar. Sempre avalio antes para não frustrar o paciente.”

Tempo de duração: ‘De 6 a 8 semanas’

Com um custo de R$350,00 já incluindo a coloração dos pelos, o Lash Lifting exige cuidados especiais após a sua realização: “Não existem cuidados antes do procedimento. No pós, só peço para não molhar pelas próximas 24 horas. Depois disso, é vida normal, podendo utilizar máscara de cílios inclusive.” Sobre o tempo de duração, Mariana aponta que vai variar de acordo com o crescimento de novos pelos: “Não tem manutenção. O procedimento costuma durar de 6 a 8 semanas e só não dura mais, porque temos a troca natural dos fios, que acontece por completo a cada 3 messes, e os nossos fios não terão a curvatura dos trabalhados.” O ideal é refazer o Lash Lifting após os cílios serem trocados. “Recomendo fazer o procedimento a cada 60 dias para mantê-los bem curvados”, comenta a especialista ao revelar a importância de fazer o tratamento com um profissional da área: “A técnica precisa ser aplicada com muito profissionalismo, pois os olhos são bem sensíveis. O produto não pode entrar em contato com a parte interna e somente os fios devem ser trabalhados.”

(Por Fernanda Casagrande)

Continue lendo

Estilo de vida

Seis passos para encontrar seu próprio estilo

Descobrir o próprio estilo é mais fácil do que parece, confira as dicas.

Publicado em

Do MSN
Estilo (Foto: Kal Loftus/Unsplash)

Poucas coisas são mais pessoais que o seu estilo. A forma como você se veste é um jeito de mostrar ao mundo quem você é! Mas será que suas roupas refletem mesmo sua personalidade? As coisas acontecem de maneira muito rápida na moda e é fácil acabar seguindo uma tendência ou ficar preso em uma zona de conforto. Mas como descobrir o próprio estilo? É mais fácil do que parece.

1. Entenda seu corpo

Para começar, é fundamental usar roupas que valorizem suas características e não se preocupe em entrar no menor modelito disponível – ninguém vai ver o que está escrito na etiqueta da sua roupa.

Além disso, descubra quais cores são melhores para o seu tom de pele. Para pessoas de pele mais clara, por exemplo, é recomendável evitar tons pastéis e dar preferência a cores mais intensas e escuras. Para quem tem pele parda, o ideal é evitar tons médios: aposte em cores bem claras ou bem escuras para não correr risco de errar. Já a pele negra cai bem com quase qualquer tom, e as restrições são menores. A evitar, talvez apenas algumas tonalidades de marrom.

2. Encontre a sua inspiração

Pense nas pessoas que você considera mais bem vestidas: qual é o estilo delas? Saber o que você acha bonito em outras pessoas pode ser o primeiro passo para descobrir o que você vai se sentir bem usando.

Dê uma zapeada em blogs de moda, no Instagram e no Pinterest. Para saber qual é o seu estilo, o melhor caminho é conhecer vários estilos diferentes.

3. Peça ajuda!

Ninguém é obrigado a entender de moda. Não tenha medo de procurar um(a) personal stylist – profissionais treinados para identificar que estilo cai melhor em cada pessoa. Se você não quiser pagar um profissional, saiba que existem inúmeras lojas que têm vendedores formados para ajudar o cliente a encontrar a melhor roupa. São profissionais que fazem muito mais do que só tentar empurrar um produto que não tenha nada a ver com você.

4. Não se esqueça dos acessórios

Essa dica vale tanto para mulheres quanto para homens. Se as mulheres podem comprar uma bolsa ou uma pulseira que vai dar um ‘tchan’ no look, os homens podem fazer isso com um relógio ou uma armação de óculos estilosa. Lembre-se: pequenos detalhes podem fazer a diferença entre um look comum e um look mega estiloso.

5. Não se aprisione em um único estilo

Para ter estilo não é necessário ficar presa a só um tipo de look. Todos temos diversas facetas na nossa personalidade. Seus looks também podem ser assim. Você gosta de roupas retrô, mas também de um modelito mais minimalista para sair? Ambos têm espaço no seu guarda-roupa. Acredite no seu instinto!

6. Cuide bem das suas roupas

De que adianta tem um estilo único se as cores da sua roupa desbotaram ou as fibras estão esgarçadas? A sorte é que esse cuidado é muito fácil. Não deixe de usar amaciante para proteger suas roupas, preservar as cores e evitar odores desagradáveis. O Comfort Intense, por exemplo, previne o desbotamento e ressecamento das fibras causado pelo processo de lavagem. Ele sela e protege as fibras dos tecidos, fazendo com que a cor das suas roupas fique vibrante, como se fossem novas.

7. O mais importante: seja você mesma(o)!

Uma das características mais importantes (talvez a mais importante) de quem tem estilo é confiança. E para ser confiante, é preciso estar confortável. Não se preocupe demais com o estilo dos outros – procure vestir cores e tecidos de que você goste, combinados da maneira que você preferir. Seja você mesmo!

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas